Language
home » têxtil »

Processo e tecnologia

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Transporte de umidade em camisetas esportivas após lavagens

O conforto é um aspecto muito importante ao se tratar de vestuário. Por isso, cada vez mais estão sendo desenvolvidos tecidos com aplicações específicas para proporcionar conforto em todas as situações. Neste trabalho, foram estudadas as propriedades de transporte de umidade de camisetas de malha comumente utilizadas para a prática esportiva, a fim de verificar sua capacidade de gerenciamento do suor durante exercícios físicos. Contatou-se que as camisetas estudadas apresentaram, antes das lavagens, comportamento que, embora não seja o ideal para gerenciamento de umidade, apresenta uma boa absorção e difusão do suor pelo tecido, sem, no entanto, privilegiar o transporte de líquido do avesso para o direito. Após as lavagens, provavelmente pela perda dos produtos de acabamento, o comportamento muda, diminuindo bastante a área de difusão (o que dificulta a evaporação), embora aumente um pouco o transporte transversal. 

  1. INTRODUÇÃO 

A preocupação com a prática esportiva vem crescendo constantemente. Nesse contexto, a indústria têxtil tem buscado se encaixar de forma moderna e prática, desenvolvendo trajes adequados para cada prática esportiva, com tecnologias específicas para gerenciar a umidade e manter o corpo seco durante o exercício físico, propiciando aos consumidores um maior conforto, segundo Shishoo (2005). Para Bartels (2005), o conforto têxtil aplicado ao esporte apoia-se em três eixos: elasticidade, regulação térmica e toque. De acordo com Vasconcelos (2006), o transporte de umidade é importante componente no conforto térmico, porém difícil de ser medido e quantificado.

Dentro desse contexto, o objetivo deste trabalho é verificar as propriedades de transporte de umidade em camisetas de malha para a prática esportiva através do aparelho MMT (moisture management tester) e avaliar o comportamento dessas propriedades após lavagens que simularão o uso e desgaste do material. 

  1. 2.     REFERENCIAL TEÓRICO 

2.1.        Funcionalidade dos tecidos

A funcionalidade de um tecido, de acordo com o dicionário, pode ser definida como aquela que busca a facilidade, utilidade e comodidade de seu usuário. Segundo isso, um dos principais objetivos da funcionalidade dos tecidos é o conforto. Para tanto, é importante que isolem termicamente do frio ou do calor e que transpirem adequadamente. Mas existem casos nos quais se procura também que o tecido adquira novas funcionalidades que não tinha inicialmente, como antibacterianas, de descarga de eletricidade estática ou materiais com memória permanente.

Segundo Martin (2010), para os consumidores a roupa que se veste é um reflexo da personalidade de cada um, isto é, uma pessoa usa um tipo de roupa, e não outro, porque tem uma determinada maneira de ser e de pensar. Na atualidade, especialmente as pessoas jovens e de idade média preferem vestir roupas mais informais, que sejam cômodas de usar e fáceis de manter. Estes fatores são, inclusive, mais importantes do que usar a última moda.

Por isso, a gestão da funcionalidade da indumentária é cada vez mais importante, devendo buscar desenhos que tendam para a facilidade, utilidade e comodidade de seu emprego. Em definitivo, o conforto pessoal.

2.2.         Suor

Na percepção do conforto, existe a intervenção de aspectos fisiológicos, físicos e psicológicos, que têm algo a ver com os mecanismos de regulação térmica do corpo humano e com o papel que desempenha a roupa nessa regulação, pois modifica as respostas termorregulatórias humanas. Porém, além de uma boa gestão da temperatura, a roupa, na medida do possível, deve ser capaz de realizar uma boa gestão da umidade, isto é, do suor. O suor contém principalmente água, além de outras substâncias, como ureia, ácido úrico e cloreto de sódio.

O homem é um animal homeotérmico, isto é, mantém a temperatura do corpo praticamente constante, ao redor de 36,5 °C. Quando praticamos algum exercício físico, a grande atividade muscular produz muito calor, e a temperatura do corpo tende a aumentar. Então, o suor é eliminado. A água contida no suor se evapora pela pele, provocando uma redução na temperatura do ar que a circunda. Isso favorece as perdas de calor do corpo para o ambiente - fato que contribui para a manutenção da temperatura do nosso corpo. A gestão da umidade consiste na capacidade de uma roupa para transportar o suor desde a pele e dispersá-lo no ambiente, de tal modo que a pele e a roupa permaneçam secas, enquanto o corpo humano realiza um exercício físico.

2.3.         Conforto

Logicamente, as exigências que dizem respeito à capacidade de gestão da temperatura e da umidade de uma roupa serão diferentes segundo o grau de atividade física que venha a ser realizada e de acordo com as condições ambientais. Além da temperatura e da umidade, existem outros fatores que também influem no conforto, como a elasticidade do tecido e a facilidade para a eliminação das cargas eletrostáticas acumuladas. Outros são mais difíceis de avaliar, como o toque e o caimento do tecido.

Na apreciação destas últimas propriedades, existe um alto componente de subjetividade. Finalmente, os fatores psicológicos indicam que o conforto é uma sensação muito relacionada com o estado de ânimo de cada pessoa e que dependerá, de certo modo, da forma de pensar, sentir e avaliar as emoções de cada pessoa.

Segundo Vasconcelos (2006), o corpo humano está adaptado para operar em pequenas margens de temperatura e não funciona bem quando esta é muito alta ou muito baixa. No entanto, pequenas flutuações de temperatura no interior do corpo podem causar desconforto. Os avanços nos isolamentos térmicos dos tecidos diminuem essas flutuações. Antigamente, o isolamento térmico se associava com o volume de roupa. Hoje em dia, os sistemas de camadas deram origem a roupas multifuncionais leves e elegantes, sem sacrificar nenhuma propriedade.

A origem e o desenvolvimento das novas tecnologias começaram com tecidos militares e esportivos (MARTIN, 2010). Em ambos os casos, as fibras naturais eram inicialmente cômodas para se usar. Percebia-se log em seguida, no entanto, que elas podiam absorver muita umidade, mas secavam muito lentamente. O desenvolvimento de roupas a partir de fibras adequadas para a prática de exercícios deu-se porque se desejava roupas que fossem capazes de manter uma temperatura confortável e permanecessem secas em diferentes condições metrológicas e em vários níveis de intensidades das atividades (RAJ, 2011).

As propriedades de um tecido são determinadas, em parte, a partir das propriedades das fibras das quais ele é feito. O conforto proporcionado por uma roupa depende das propriedades de transferência de calor e de gerenciamento de umidade das fibras que constituem o tecido do qual ela foi confeccionada. No entanto, vários outros fatores são importantes na dissipação de calor e umidade, tais como a geometria e densidade das fibras, a estrutura dos fios e tecidos e os tratamentos e acabamentos aplicados durante a fabricação da roupa.

2.4.         Gestão da umidade

Se a umidade não se evapora pela pele, os poros do tecido se enchem de líquido, que substitui o ar, diminuindo a capacidade de isolamento. Os nervos sensores da pele detectam essa umidade, produzindo no inverno rigidez, no verão tato pegajoso e, em ambos os casos, desconforto. A gestão da umidade consiste na capacidade dos tecidos de transportar a umidade da pele até a superfície externa da roupa e dispersá-la pelo ambiente, de modo que a pele e a peça de roupa permaneçam secas durante seu uso. Uma boa gestão da umidade é de grande importância para a regulagem da temperatura corporal (termorregulação).

Raj (2011) afirma que não há duvidas de que o controle da umidade nas roupas esteja muito relacionado com o conforto, físico e psicológico, e que é cada vez mais valorizado pelo consumidor, que está disposto a pagar mais. De fato, os tecidos com gestão da umidade deixaram de ser exclusivos para esportes, exercícios físicos, e são cada vez mais comuns no vestuário cotidiano.

Nas estruturas têxteis, os capilares entre fibras são os responsáveis por transportar a umidade. A ação capilar depende do diâmetro e da energia superficial. Esta última pode ser modificada de acordo com o acabamento do artigo. Quanto menor for o diâmetro dos capilares, maior o seu número, ou quanto maior for a energia superficial, maior a tendência de um líquido se mover através dos capilares.

As fibras que absorvem pouca umidade e a eliminam mais rapidamente regulam melhor a temperatura do corpo, melhoram a atuação dos músculos e retardam o cansaço. Quanto menor o seu diâmetro, melhor para a absorção, porque é maior a densidade de compactação e há um aumento no número de capilares.

Fatores que também influenciam são o tipo de tecido, a espessura do material e o tipo de acabamento.

2.5.         O aparelho MMT (Moisture Management Tester)

Para medir a capacidade de gestão de umidade nos tecidos, um método recente utiliza o Moisture Management Tester (MMT), que é um aparelho que visa quantificar a capacidade de gerenciamento de umidade de têxteis de forma dinâmica.

O instrumento consiste em dois sensores, sendo um superior e um inferior, e cada um deles com sete pinos concêntricos. A amostra a ser testada será colocada entre os dois sensores. A superfície superior do tecido (top surface) estará na direção do sensor superior, simulando o comportamento do lado do tecido em contato com a pele. A superfície inferior estará na direção do sensor inferior, simulando o comportamento do lado externo do tecido em contato com o ar externo.

Quando há transporte de umidade em um tecido, a resistência de contato elétrico muda e essa mudança depende de dois fatores: os componentes da água e o teor de água no tecido. No MMT, a influência dos componentes da água é fixa; portanto, a resistência elétrica depende somente ao teor de água no tecido.

Uma série de índices é definida e calculada para caracterizar a capacidade de gestão de umidade na amostra testada: tempo para molhar, taxa de velocidade de absorção, índice cumulativo de transporte unidirecional e capacidade geral de gestão de umidade.

Os resultados obtidos são baseados em resistência à água, repelência à água e características de absorção de água da estrutura do tecido, incluindo estrutura geométrica e interna do tecido e as características de absorção de suas fibras e fios.

  1. 3.     MATERIAIS E MÉTODOS 

Foram selecionadas quatro camisetas esportivas 100% poliéster de diferentes marcas e com diferentes tecnologias empregadas para gerenciar a umidade presente no tecido após o exercício físico. Duas das camisetas são compostas de um único tipo de tecido, enquanto as outras duas possuem em áreas específicas, de maior transpiração, tecidos diferentes.

Para caracterização dos tecidos das camisetas, foram realizados os ensaios de gramatura e espessura, de acordo com as normas ASTM D1777 e ASTM D3776.

Os ensaios de capacidade de gerenciamento de umidade foram realizados no aparelho MMT de acordo com a norma AATCC Test Method 195-2009. O aparelho mede, através de sensores de condutividade elétrica, a capacidade dos tecidos de transportar líquido axial e transversalmente, fornecendo gráficos e índices que mostram o comportamento da umidade em ambas as faces do tecido, bem como a capacidade de transportá-la da face interna para a face externa.

3.1.                     Camisetas:

  • Ø Camiseta 1: 100% poliéster com dois tecidos

 

3.2.        Caracterização:

Tabela 1 – Caracterização das camisetas

Camiseta

Gramatura (g/m²)

Espessura (mm)

Camiseta 1 - Ligamento 1

135,3

0,33

Camiseta 1 - Ligamento 2

122,7

0,29

Camiseta 2

121,3

0,37

Camiseta 3 - Ligamento 1

137,7

0,48

Camiseta 3 - Ligamento 2

125,3

0,22

Camiseta 4

127,8

0,39

 

 1.4.     RESULTADOS E DISCUSSÕES 

4.1.                     Gráficos comparativos

Os gráficos a seguir mostram os índices de OMMC obtidos para as várias camisetas, antes e depois das lavagens. Como é possível observar pelos gráficos e no resumo da Tabela 2, todas as camisetas apresentam alteração de comportamento, passando de “tecido que absorve e seca rápido” para “tecido de penetração de água”, conforme classificação do MMT. Pode-se verificar que antes das lavagens as camisetas absorvem o líquido rápidamente, o qual também se espalha rapidamente sobre superfícies grandes dos dois lados, ou seja, por todo o tecido.

Tabela 2: Descrição do comportamento dos tecidos das camisetas, sem lavagens e após 15 lavagens.

Camiseta

0 lavagens

15 lavagens

Camiseta 1 - Ligamento 1

Tecido que absorve e seca rapidamente

Tecido de penetração de água

Camiseta 2

Tecido que absorve e seca rapidamente

Tecido de penetração de água

Camiseta 3 - Ligamento 1

Tecido que absorve e seca rapidamente

Tecido de penetração de água

Camiseta 4

Tecido que absorve e seca rapidamente

Tecido de penetração de água

O comportamento apresentado é típico de tecidos que foram tratados com produtos (amaciantes) hidrófilos, que facilitam a difusão do líquido sobre a superfície dos filamentos que compõem o tecido.

Após lavagens, provavelmente pela perda do produto hidrófilo, as camisetas mudaram de comportamento, passando a transportar o líquido de um lado para outro, porém diminuindo drasticamente a área de difusão. Esse comportamento é definido pela estrutura da malha e tipo de filamento sem a influência agora do amaciante. Do ponto de vista de facilidade de evaporação do suor e consequente conforto térmico, é um comportamento pior em relação ao inicial.

O ideal seria que apresentassem um comportamento de “tecido com gerenciamento de umidade”, conforme designado no manual do MMT (2010).

Os tecidos com ligamento 2 das camisetas 1 e 3, por serem “furadinhos” e aplicados somente em algumas regiões especiais, apresentaram alto índice de transporte de líquido, propiciando um melhor desempenho geral nas camisetas  onde estão aplicados. Eles não sofrem alteração com as lavagens, pois os furos permitem a passagem do líquido independentemente do produto de acabamento. O da camiseta 3 apresenta performance superior ao da camiseta 1.

  1. 5.     CONCLUSÃO

A análise dos resultados mostrou que todas as camisetas apresentaram alteração de comportamento, passando de “tecido que absorve e seca rápido” para “tecido de penetração de água”, conforme classificação do MMT. Foi possível verificar que, antes das lavagens, as camisetas absorvem o líquido rapidamente e este se espalha rapidamente sobre áreas grandes dos dois lados do tecido. É um comportamento típico de tecidos que foram tratados com produtos (amaciantes) hidrófilos, que facilitam a difusão do líquido sobre a superfície dos filamentos que compõem o tecido. Após lavagens, provavelmente pela perda do produto hidrófilo, as camisetas mudaram de comportamento, passando a transportar o líquido de um lado para outro, porém diminuindo drasticamente a área de difusão. Esse comportamento é definido pela estrutura da malha e tipo de filamento sem a influência agora do amaciante. Do ponto de vista de facilidade de evaporação do suor e, consequentemente, conforto térmico, é um comportamento piorado em relação ao do artigo original antes das lavagens, mostrando que os produtos perdem eficiência no transporte de umidade após as lavagens.

BIBLIOGRAFIA

ALFIERI, Paulo P.M. Apostila Tecnologia Fibras II; FEI, São Bernardo do Campo, 2009.

BARTELS, V. T., Physiological comfort of sportswear, In: SHISHOO, R. Textile in sport, Woodhead Publishing in Textiles, Cambridge, 2005.

DAS B, DAS A, KOTHARI VK, FANGUIERO R and ARAUJO M., Moisture transmission through textiles part I: processes involved in moisture transmission and the factors at play. AUTEX Res J 2007; 7:

GASI, F., BITENCOURT, E., VASCONCELOS, F.B., Estudo comparativo das propriedades de permeabilidade ao vapor transporte de umidade e proteção ultravioleta em malhas de poliamida 6.6 e poliéster com elastano, Revista Química Têxtil, ano XXXIII, mar 2010.

GUILLÉN, J. G., Microfibras. Barcelona: UPC, 2001.

HU, J. et al.  Moisture Management Tester: A Method to Characterize Fabric Liquid Moisture Management Properties. 2005. Institute of Textile and Clothing, The Hong Kong Polytechnic University, Hung Hom, Kowloon, Hong Kong.

MMT: Moisture Management Tester – Instruction Manual. Versão 4.0. 2010. SDL Atlas LLC. Charlotte, USA.

MCCANN, J., Material requirements for the design of performance sportswear , In: SHISHOO, R. Textile in sport, Woodhead Publishing in Textiles, Cambridge, 2005.

MARTIN, J. R. S., Transpirando conforto: A gestão da funcionalidade e o conforto nos tecidos, Revista Química Têxtil , nº 100, Setembro de  2010.

OZDIL N, SUPUREN G, OZÇELIK G and PRUCHOVA J., A study on the moisture transport properties of the cotton knitted fabrics in single jersey structure. Tekstil ve Konfeksiyon, 2009; 3: 218–223.

RAJ, R. P. Moisture transmission in knited fabrics. Dissertação - Department of Textile Technology, Bannari Amman Institute of Technology Sathyamangalam, Erode, Tamilnadu, India, 2011.

SHISHOO, R., Textiles in Sports, Woodhead Publishing in Textiles, Cambridge, 2005.

SUPUREN G., OGLAKCIOGLU N., OZDIL N. and MARMARALI A., Moisture management and thermal absorptivity properties of double-face knitted fabrics, Textile Research Journal, 81: 1320, 2011.

UMBACH KH. Aspects of clothing physiology in the development of sportswear. Knitting Tech, 1993.

UMBACH, K. H., Optimization of the wear comfort by suitable fibre, yarn and textile construction, 40th International Man-Made Fibres Congress, Dornbirn, Austria, 2001.

VASCONCELOS, F. B., Parâmetros para o desenvolvimento de artigos esportivos, Congresso de Moda Esportiva, Rhodia, São Paulo, 2006.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Autores: Fernanda Gomes de Vasconcelos, Toshiko Watanabe e Fernando Barros de Vasconcelos

*Publicado na revista Textilia Texteis Interamericanos - edição 94

Data de publicação: 18/12/2014

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Sensores fotoelétricos auxiliam indústria na análise de processo
Indicada para diversos tipos de indústrias, entre elas a têxtil, a linha de sensores fotoelétricos M18 da empresa Schmersal trabalha principalmente com luz infravermelha e são indicados para processo de automação em geral. Na indústria têxtil, os sensores podem ser aplicados na fiação e tecelagem, nas áreas de produção e também logística.  2018-07-11 - Tags: sensores fotoeletricos conector m12 schmersal academia schmersal marcos haselmann

Shima Seiki Italia expõe na 83ª edição da Pitti Filati
A Shima Seiki Italia S.p.A., subsidiária da fabricante japonesa de máquinas de malharia retilínea Shima Seiki MFG.LTS., participa da Pitti Immagine Filati 83, que acontece de 27 a 29 de junho em Florença, Itália. Na seção Fashion At Work [Moda no Trabalho], vai expor aos visitantes técnicos e criadores soluções em hardwares e softwares para o design, fabricação e processamento de malharia.  2018-06-22 - Tags: shima seiki italia pitti immagine filati 83 fashion at work svr123sp

Uster deselvolve soluções completas para a qualidade dos nãotecidos
Visando atender o mercado de nãotecidos, que continua com tendência global de crescimento, a empresa suíça Uster amplia sua oferta tecnológica para o setor com o novo Uster® Jossi Vision Shield, sistema de detecção e eliminação efetiva da contaminação existente em fibras naturais e sintéticas.  2018-06-21 - Tags: uster technologie uster nonwovens anex 2018 itma asia citme evs fabric uster group

Trisoft traz sustentabilidade para o setor automotivo
A Trisoft, maior empresa da América Latina em produção de itens com lã de PET, traz para o mercado automotivo produtos da linha de Agulhados que oferecem características exclusivas como moldabilidade, flexibilidade, alta resistência mecânica, além de serem auto extinguíveis e recicláveis.  2018-06-15 - Tags: trisoft la de pet agulhado termoprensado agulhado termofixado agulhado naotecidos tecidos tecnicos

Schlafhorst apresenta novo limpador automatizado para Autocoro 9
Maior tolerância às matérias-primas, máxima produtividade, custos mínimos e melhor qualidade do fio são os atributos que uma fiação a rotor precisa para atingir suas metas e manter seus clientes satisfeitos. O novo limpador Vacuum Trash Cleaner (VTC) é a resposta da Schlafhorst para atender esta demanda.  2018-06-11 - Tags: grupo saurer autocoro 9 vacuum trash cleaner schlafhorst limpador vtc

Autefa mostrou tecnologia para nãotecidos nos EUA
Durante a Techtextil North America, que aconteceu de 22 a 24 de maio, em Atlanta, (EUA), a Autefa Solutions apresentou tecnologia para nãotecidos para os mercados de isolamento térmico e acústico, produção de carpetes e processamento avançado de fibras.  2018-06-06 - Tags: naotecidos autefa solutions teares stylus techtextil north america carda airlay k 12

ISI em Biossintéticos e SENAI DN realizam Seminário de Biotecnologia 4.0
Com o apoio da Associação Brasileira de Biotecnologia Industrial – ABBI, o Instituto SENAI de Inovação em Biossintéticos do SENAI CETIQT e o SENAI Departamento Nacional organizaram o Seminário Biotecnologia 4.0, na sede da Confederação Nacional da Indústria – CNI, em São Paulo.  2018-05-29 - Tags: biossinteticos biotecnologia industrial senai cetiqt confederacao nacional da industria abbi

Datacolor® apresenta tecnologia inovadora para medição objetiva de cores para tecidos impressos
A Datacolor® anunciou o lançamento do SpectraVision, uma solução que permite às empresas medir objetivamente e comunicar digitalmente a cor de materiais antes não mensuráveis, incluindo impressões multicoloridas, acabamentos, fios, zíperes e rendas, economizando custos e diminuindo significativamente o tempo da concepção inicial ao consumidor final.  2018-05-25 - Tags: datacolor gerenciamento de cores softwares spectravision avaliacao digital de cores diane geisler

Global Química & Moda é uma das confirmadas na Febratex 2018
Empresa conta com 70% do market share no mercado têxtil brasileiro e aposta na ampliação de atuação na área calçadista. Marcas reconhecidas mundialmente, como Epson, Sensient e Coldenhove estão no portfólio da companhia.  2018-05-21 - Tags: gqm global quimica & moda impressao digital epson felipe sanchez epson sentient lamberti neenah coldenhove

Stäubli mostra tecnologia para tecelagem na ITM Turquia
A Stäubli, que participou da ITM 2018, maior feira do setor de máquinas, equipamentos, insumos e tecnologia para a indústria têxtil realizada na Turquia, obteve bons contatos de visitantes, que poderão render oportunidades reais de negócios nos próximos meses.  2018-05-17 - Tags: itm 2018 staubli safir s40 jacquard eletronicas maquina textil

Fraldas com nãotecidos de alta performance garantem maior absorção
A Freudenberg Performance Materials, empresa do Grupo Freudenberg, fornece aos seus clientes da América do Sul e do Norte nãotecidos com alto desempenho para as camadas de distribuição e superior das fraldas, conhecida como Acquisition and Distribution Layer (ADL), para evitar vazamento, umidade ou qualquer desconforto aos bebês.  2018-05-08 - Tags: freudenberg performance materials freudenberg naotecidos tecidos tecnicos nonwovens acquisition and distribution layer fraldas

Fio de poliamida com equilíbrio de biomassa é lançado na Domotex
Lançado em janeiro pela empresa belga Beaulieu Yarns, na feira Domotex de Hanover (Alemanha), o EqoBalance® destacou-se como primeiro fio contínuo de poliamida PA6 com equilíbrio de biomassa, destinado à indústria de tapetes e carpetes de uso residencial e comercial.  2018-05-04 - Tags: karena cancilleri beaulieu international group eqobalance biomassa fios continuos

Lançada na Alemanha a nova máquina para malhas grossas da Stoll
Com a ADF 530-24, a Stoll apresenta uma nova máquina retilínea para produção de malharia grossa. Com 24 transportadores de fios contínuos independentes e três sistemas de gauges (agulha por polegada) E2,5.2, E5 e E7, o novo modelo permite cores sofisticadas e design de alto padrão, possibilitando mais espaço para a criatividade e sinergia com as tendências de moda.  2018-05-02 - Tags: stoll ekc gauges agulhas malharia tecnologia ad

Novos equipamentos aumentam produção de lacres da Ecotag
Um investimento de peso, baseado na indústria 4.0, deu largada ao ano de produção da Ecotag. A startup, que produz lacres de autenticidade, recebeu mais de 10 toneladas em novos equipamentos em janeiro. Com a implantação das melhorias, a fábrica, que fica em Blumenau (SC) conta agora com capacidade produtiva de 60 milhões de peças por ano.  2018-04-30 - Tags: ecotag junior souza tags lacres fncp startup blumenau

Fabricante alemão de viscose apresenta novidades na ANEX 2018
A empresa alemã, Kelheim Fibres, especialista em fibras especiais de viscose, apresentará a fibra Danufil®QR para produção de lenços desinfetantes ao mercado mundial. A novidade será lançada na ANEX 2018, maior feira de nãotecidos e tecidos técnicos da Ásia, que acontecerá de 6 a 8 de junho, em Tóquio, no Japão, em parceria com a All Nippon Nonwovens Association (ANNA) e a ANFA.  2018-04-24 - Tags: kelheim fibres fibra danufil all nippon nonwovens association anex 2018 fibras

Equipamento especial para aplicação de tags em meias
Produtividade e segurança na produção de meias são as características que a Censi Máquinas pretende entregar com o novo equipamento do portfólio. A marca catarinense, com mais de 2 mil clientes e presença em todo o Brasil, acaba de lançar a ATM-S.  2018-04-20 - Tags: censi maquinas atm-s tags meias sheila censi braun etiquetamento

GQM destaca fortalecimento da marca durante a Expoprint 2018
Visitantes tiveram a oportunidade de conhecer novidades em maquinários e insumos para impressão digital em uma das principais feiras do segmento da América Latina. A empresa também aproveitou o evento para levar conteúdo para o mercado por meio de palestras.  2018-04-13 - Tags: gqm epson sensient lamberti felipe sanchez expoprint america latina digital textile conference

Grupo Santex Rimar aposta na ITM 2018 para lançar novo tear
Além de ser o tear de pinça mais rápido do mercado, o novo SMIT GS980, que será lançado pelo grupo italiano Santex Rimar na feira ITM 2018, em Istambul, na Turquia, é competitivo em termos de versatilidade, rendimento, qualidade de produção, eficiência e sustentabilidade.  2018-04-12 - Tags: smit gs980 santex rimar itm 2018 simone rancan smit naotecidos

Tear para denim é destaque da Itema na feira da Turquia
Ocupando o maior estande do setor de tecelagem da ITM 2018 - International Textile Machinery Exhibition, que acontece entre 14 e 17 de abril, no Centro de Convenções e Congressos da Feira TÜYAP de Istambul, o Grupo Itema, com sede na Itália e operações na Suíça e China, fará o lançamento oficial da segunda geração do tear R95002denim, com diversas inovações.  2018-04-11 - Tags: itm 2018 itema sk ultralight r95002denim tecelagem de pincas airjet a9500 tear

SPGPrints consolida sua posição no mercado na ExpoPrint 2018
A SPGPrints Brasil alavancou novos negócios e consolidou sua posição no Brasil e na América Latina, durante a ExpoPrint Latin America 2018, realizada em São Paulo, no Expo Center Norte, na segunda quinzena de março.  2018-04-10 - Tags: spgprints brasil expoprint latin america 2018 etiquetas embalagens cristiane joia fujii pike 700 uv