Language
home » têxtil »

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Indústria brasileira precisa se digitalizar com urgência

De 24 setores da indústria brasileira, 14 precisam adotar com urgência estratégias de digitalização para se tornarem internacionalmente competitivos. É o que relata o mais recente estudo da CNI – Confederação Nacional da Indústria, apresentado durante o III Fórum de Manufatura, realizado nos dias 19 e 20 de março, em São Paulo. O setor têxtil/vestuário está entre os mais vulneráveis, ao lado de calçados, químicos, máquinas e equipamentos, entre outros.

Aos que ainda não se convenceram de que a "Manufatura Avançada" não é futurismo ou ficção, o gerente de política industrial da CNI, João Emilio Gonçalves, alerta: "A chegada da Indústria 4.0 será muito mais rápida do que todas as revoluções industriais anteriores. Por essa razão, as principais nações industrializadas do mundo já inseriram a manufatura avançada no centro de suas estratégias de política industrial, visando aumentar sua competitividade. O Brasil precisa com urgência se adequar a essa realidade, pois sua capacidade de competir internacionalmente dependerá desta transformação". O executivo participou do Painel de Abertura do Fórum, que abordou as perspectivas econômicas, de mercado e tecnológica para a retomada da indústria brasileira nos próximos anos.

Nova fronteira

Durante a plenária, que reuniu cerca de 200 empresários, executivos e profissionais de diversas áreas, o debate gerou em torno da Indústria 4.0, nova fronteira da produção industrial que tornará a forma de como se produz hoje totalmente obsoleta em poucos anos. As principais tecnologias envolvidas nesta revolução são: internet das coisas (IoT), robótica, impressão 3D, big data, computação na nuvem, inteligência artificial e sistemas de simulação virtual. Segundo o estudo da CNI, a principal diferença em relação às demais revoluções industriais pelas quais o mundo já passou, está na velocidade das transformações produzidas pela digitalização.

É bom lembrar que a primeira revolução, a 1.0, começou a cerca de 230 anos, quando James Watt inventou a máquina à vapor que, curiosamente, deu um grande impulso à indústria têxtil no século 18, que passou a ser mecanizada. A segunda revolução, a 2.0, aconteceu no início do século 20, com a introdução da linha de montagem, que permitiu a produção padronizada em escala, e a revolução 3.0 aconteceu a partir da década de 1970, com a introdução do CNC (Comando Numérico Computadorizado) nos centros de usinagem e máquinas automatizadas. Agora, a indústria 4.0, cujo conceito surgiu em 2011 na Alemanha, propõe informatizar as fábricas, promovendo uma integração horizontal na produção. Isto é possível graças à integração das tecnologias avançadas (já citadas) que permitirá, por exemplo, que máquinas "conversem" com máquinas ao longo das operações industriais, enxugando etapas de processo, eliminando retrabalho e intervenção humana e possibilitando uma perspectiva inimaginável para o desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Gargalos para implantação

A pesquisa da CNI, realizada com 2.225 empresas de todos os portes entre 4 e 13 de janeiro de 2016, identificou o uso das tecnologias digitais em diferentes estágios da cadeia industrial. Segundo o relatório: "A maior parte dos esforços feitos pela indústria no Brasil está na fase dos processos industriais. Setenta e três por cento das que afirmaram usar, ao menos, uma tecnologia digital o fazem na etapa de processos. Outras 47% utilizam na etapa de desenvolvimento da cadeia produtiva e apenas 33% em novos produtos e novos negócios".

O principal motivo para as indústrias buscarem tecnologias digitais está no aumento da eficiência, já que em geral, de acordo com a pesquisa da CNI, a indústria brasileira apresenta produtividade inferior à média internacional e baixa inserção no comércio exterior. "Dado o gap de produtividade atual, muitos setores sofrerão cada vez mais com a concorrência internacional, por isso, a adoção da digitalização é fundamental", enfatiza João Emílio Gonçalves, gerente de política industrial da CNI.

Porém, o problema não está só na deficiência da indústria, mas também na falta de ações do governo para liderar uma Agenda de Inovação e Competitividade. "No Brasil, há muita dificuldade para se coordenar ações de governo. É preciso uma política industrial que dê suporte à indústria para que ela possa crescer e inovar", destacou Carlos Américo Pacheco, diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, acrescentando que a instituição possui programas de cooperação que apoiam as empresas na área de Pesquisa e Desenvolvimento para criação de produtos e processos inovadores. "Em 20 anos já atendemos 1.200 empresas sendo que em 2017, aumentou significativamente o número de startups com foco em manufatura avançada e big data". Segundo ele, hoje existem 12 propostas sobre manufatura avançada, solicitadas pela indústria paulista. "Nós sugerimos que as empresas se organizem em consórcio e façam parcerias com centros acadêmicos para viabilizarem os projetos, mas, diferentemente de outros países, no Brasil temos poucas iniciativas consorciadas".

O Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) e o Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) desembolsaram, em 2015, mais de R$ 118 milhões em fomento para empresas. Além de poucos recursos para investimento em pesquisa e inovação, e da falta de cultura associativa para viabilizar novos projetos, a indústria brasileira ainda enfrenta o maior dos desafios: a falta de infraestrutura para implantação da indústria 4.0. Para os especialistas que participaram do Fórum, a carência abrange desde a baixa escolaridade, falta de profissionais especializados no mercado e dificuldades das telecomunicações no País, afinal, sem internet rápida e acessível, fica difícil pensar em "internet das coisas".

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Marcia Mariano
Fotos: Marcia Mariano

Data de publicação: 23/03/2018

Conteúdo relacionado


Oportunidades no setor têxtil para Brasil e China
Um seminário com Rodada de Negócios, realizado no dia 12 de junho, reuniu empresários chineses e brasileiros para discutirem sobre negócios na área têxtil/confecção, considerada pelos dois países como importante para a economia, devido ao grande emprego de mão de obra. O evento foi organizado pelo LIDE China em parceria com a CCPIT (Conselho Chinês de Promoção do Comércio Internacional), Eastern Silk Market China e Braga Nascimento e Zilio Advogados Associados.  2018-11-13 - Tags: lide china zilio advogados associados fan jianlong farid murad abimaq

BNDES aprova R$ 29,8 milhões à tecelagem Santaconstancia
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou concessão de crédito no valor de R$ 29,8 milhões na modalidade BNDES Giro para a Santaconstancia, empresa de tecelagem com sede em São Paulo. O prazo da operação é de 60 meses.  2018-11-12 - Tags: bndes giro santaconstancia taxa de longo prazo bndes banco nacional de desenvolvimento economico e social

NILIT sob novo comando na América Latina
O grupo NILIT recebe Paulo De Biagi como CEO da Nilit Brasil, responsável pela região da América Latina. Com esta nomeação, a Nilit ratifica a importância do Brasil e de toda a região da América Latina para a empresa e o firme compromisso de atender o mercado com o melhor serviço e produtos de alta qualidade.  2018-11-09 - Tags: grupo nilit paulo de biagi nilit brasil america latina cht brasil

Archroma conclui aquisição da M. Dohmen
A Archroma, produtor global de corantes e produtos químicos para soluções sustentáveis, adquiriu, recentemente, todas as ações restantes da M. Dohmen S.A., grupo internacional especializado na produção de corantes têxteis e produtos químicos para o setor automotivo, carpete e vestuário.  2018-11-08 - Tags: archroma clariant basf m dohmen marcos furrer fibras sinteticas

A tradição inventora da suíça se destaca na área têxtil
Ao longo dos séculos, o espírito inovador dos suíços tem se demonstrado através de invenções que abrangem vários campos da experiência humana, entre os quais a indústria têxtil mundial, cujo avanço tecnológico tem sido notável. As empresas suíças de máquinas têxteis estão no centro dessa tradição de inventividade, que vem evoluindo com o passar do tempo.  2018-11-07 - Tags: itma 2019 daniel borel swiss textlile machinery dna tecnologico itma asia citme 2018

Senai Cetiqt divulga os primeiros projetos de Confecção 4.0
Já imaginou um body que é capaz de medir a febre do bebê e ainda enviar informações sobre a curva térmica da criança via bluetooth para um aplicativo no celular dos pais, que por ventura possam estar longe de seu filho? Ou ainda um robô que com base nas suas curtidas nas redes sociais envia informações para que designers desenvolvam novas roupas inspirados em tudo aquilo que você mais gosta?  2018-11-05 - Tags: senai cetiqt abit fernando pimentel bndes renato boaventura coteminas mbi no nordeste nordeste 2019

Empresas do setor têxtil dão o pontapé inicial na 4ª Revolução Industrial
Já imaginou um body que é capaz de medir a febre do bebê e ainda enviar informações sobre a curva térmica da criança via bluetooth para um aplicativo no celular dos pais, que por ventura possam estar longe de seu filho? Ou ainda um robô que com base nas suas curtidas nas redes sociais envia informações para que designers desenvolvam novas roupas inspirados em tudo aquilo que você mais gosta?  2018-10-29 - Tags: senai cetiqt mbi em industria avancada fernando pimentel confeccao 4 0 curso

Dornbirn-GFC 2018 celebra o conhecimento em inovação têxtil
Mais de 700 participantes de 35 nações assistiram as palestras apresentadas na 5ª Dornbirn-GFC 2018, maior conferência mundial dedicada ao setor de fibras químicas, realizada de 12 a 14 de setembro na Áustria.  2018-10-09 - Tags: 58 congresso de dornbirn gfc messe frankfurt edana hkrita rwth aachen premio paul schlack

Empresa catarinense participa de rodada de negócios na Colômbia
Com a finalidade de promover produtos brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para o país, a Agência Brasileira de Exportações e Investimentos (Apex) realiza ações dentro e fora do Brasil. Entre elas a rodada de negócios que reúne empresários de diferentes segmentos para fortalecer a indústria nacional e seu potencial de exportação, além de contatos que vão além do comercial.  2018-10-09 - Tags: apex censi maquinas america latina colombia sheila censi braun solano censi

Abit e IEMI apresentam balanço da cadeia têxtil e vestuário
“Tínhamos expectativas otimistas para 2018 que, infelizmente, não se confirmaram. Em vez de fecharmos o ano com crescimento de 2,8% devemos ficar em 1,4%”, disse Fernando Pimentel, presidente da Abit – Associação Brasileira da Indústrias Têxtil e de Confecção, durante apresentação do balanço setorial, realizado na sede da entidade, em São Paulo, no último dia 28 de setembro.  2018-10-05 - Tags: fernando pimentel abit iemi inteligencia de mercado marcelo prado cadeia textil brasileira 2019 textil

A VDMA Textile Machinery premia cinco jovens engenheiros
Cinco novos talentos foram premiados por meio do Concurso Promoção de Jovens Engenheiros, realizado pela Fundação Alter Reiners com a chancela da VDMA – Federação dos Fabricantes de Máquinas Têxteis da Alemanha. A premiação, num total de 17.500 euros, foi oferecida pelo diretor executivo da entidade, Peter D. Dornier, que também preside a fundação W. Reiners.  2018-10-05 - Tags: vdma fundacao alter reiners benjamin weise rwth aachen university universidade reutlingen jan merlin abram aachen

Stoll colabora para reativar a produção de malhas nos EUA
Criado por um grupo de fabricantes de vestuário, liderados pelos executivos de moda Jon Lewis e John Elmuccio, o Projeto I é uma ação ousada que visa trazer de volta para os Estados Unidos a fabricação de malhas, revitalizando o mercado local de moda. A iniciativa, que conta com a parceria da Stoll, empresa alemã líder na produção de máquinas retilíneas (tricô) e fully fashion (vestuário sem costura), foi anunciada durante o primeiro Stoll Symposium, realizado no dia 27 de setembro, em Nova York, quando a companhia celebrou 145 anos de fundação.  2018-10-03 - Tags: h stoll ag & co kg paramalhas jon lewis stoll 3d malharia stoll

Mahlo America Inc. celebra 50 anos e reposiciona seu mercado
Por mais de 70 anos, o nome Mahlo representou tecnologia de controle e medição de alta qualidade "made in Germany" [feito na Alemanha]. Agora, a subsidiária americana Mahlo America Inc. está comemorando seu aniversário de 50 anos com um futuro promissor.  2018-09-28 - Tags: mahlo america inc mahlo gmbh qualiscan qms mahlo america maquina textil

Fibertex Nonwovens investe em expansão para o mercado sul americano
Em fevereiro de 2018, a Fibertex Nonwovens, que pertence ao conglomerado industrial dinamarquês Schouw & Co., adquiriu a fabricante brasileira de não-tecidos Duci (Joint Venture entre DuPont Cipatex). Seis meses após a aquisição, a Fibertex Nonwovens anuncia a expansão de sua capacidade de produção. “O processo de integração da operação no Brasil superou em muito nossas expectativas.  2018-09-24 - Tags: fibertex nonwovens duci jørgen bech madsen carlos benatto fibertex naotecidos geotexteis schouw

Bayer lança fungicida para combater doenças no algodoeiro
Diante da retomada do consumo do algodão no mercado têxtil e do expressivo aumento da colheita deste ano, de quase 2 milhões de toneladas de plumas, a Bayer lança no mercado o fungicida Fox®Xpro, com formulação inovadora de alta performance, para combater os fungos causadores da ramulária, principal doença que afeta os algodoeiros do país.  2018-09-05 - Tags: bayer mauro alberton fungicida cotonicultura marcos dallagnese quinona oxidase sou algodao marcio portocarrero abrapa

Empresa têxtil do Vale do Itajaí ganha destaque no mercado externo
Potenciar os negócios além das fronteiras brasileiras é o objetivo da vertical de internacionalização do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi). Em Santa Catarina o projeto é aplicado pela Fiesc, pelo Sebrae, operacionalizado pela Strategizers - Gestão Estratégica em importação, exportação e internacionalização de empresas, e no Vale do Itajaí conta com o apoio do Sindicato Patronal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico (Simmmeb).  2018-08-29 - Tags: procompi sebrae vale do itajai censi douglas candido fiesc strategizers

Indianos conquistam mercado brasileiro de acabamento têxtil
Dois grandes fabricantes indianos de máquinas têxteis, Jupiter Comtext e Harish Textile Engineers, participaram da Febratex 2018, que aconteceu de 21 a 24 de agosto, em Blumenau, apresentando seus produtos em um estande informativo.  2018-08-28 - Tags: harish textile engineers febratex 2018 jupiter comtext robert schofield shri j m mistry india

ABINT alerta sobre a importância das normas técnicas para a eficácia dos projetos
A Geotecnia é um importante setor em que os nãotecidos e tecidos técnicos estão inseridos. Em forma de geomantas, geogrelhas, georedes, geomembranas, geotubos, entre outros, são usados para proteção, filtração, drenagem, reforço, separação e barreira de impermeabilização de solo.  2018-08-24 - Tags: geotecnia naotecidos tecidos tecnicos geomantas geogrelhas georedes geomembranas geotubos geossinteticos geotexteis

Oferta aumenta e preço do algodão cai no mercado brasileiro
Depois de atingir o nível mais alto de 2018 no final de junho, o preço do algodão caiu no mercado interno brasileiro durante a primeira quinzena de julho. A queda está relacionada aos avanços na colheita, o que elevou a disponibilidade de algodão no mercado spot brasileiro, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA) em seu último relatório quinzenal.  2018-08-03 - Tags: centro de estudos avancados em economia aplicada cepea esalq algodao conab industria manufatureira

Inovação tecnológica das indústrias brasileiras é a maior em um ano
A proporção de indústrias brasileiras que realizaram algum tipo de inovação em processos ou produtos no 1º trimestre de 2018 foi de 45,9% e alcançou o melhor resultado em um ano. É o que aponta a Sondagem de Inovação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) encomendada à Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgada na quarta-feira (25).  2018-07-30 - Tags: sondagem de inovacao da agencia brasileira de desenvolvimento industrial guto ferreira abdi sondagem pesquisa e desenvolvimento