Language
home » têxtil »

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Indústria brasileira precisa se digitalizar com urgência

De 24 setores da indústria brasileira, 14 precisam adotar com urgência estratégias de digitalização para se tornarem internacionalmente competitivos. É o que relata o mais recente estudo da CNI – Confederação Nacional da Indústria, apresentado durante o III Fórum de Manufatura, realizado nos dias 19 e 20 de março, em São Paulo. O setor têxtil/vestuário está entre os mais vulneráveis, ao lado de calçados, químicos, máquinas e equipamentos, entre outros.

Aos que ainda não se convenceram de que a "Manufatura Avançada" não é futurismo ou ficção, o gerente de política industrial da CNI, João Emilio Gonçalves, alerta: "A chegada da Indústria 4.0 será muito mais rápida do que todas as revoluções industriais anteriores. Por essa razão, as principais nações industrializadas do mundo já inseriram a manufatura avançada no centro de suas estratégias de política industrial, visando aumentar sua competitividade. O Brasil precisa com urgência se adequar a essa realidade, pois sua capacidade de competir internacionalmente dependerá desta transformação". O executivo participou do Painel de Abertura do Fórum, que abordou as perspectivas econômicas, de mercado e tecnológica para a retomada da indústria brasileira nos próximos anos.

Nova fronteira

Durante a plenária, que reuniu cerca de 200 empresários, executivos e profissionais de diversas áreas, o debate gerou em torno da Indústria 4.0, nova fronteira da produção industrial que tornará a forma de como se produz hoje totalmente obsoleta em poucos anos. As principais tecnologias envolvidas nesta revolução são: internet das coisas (IoT), robótica, impressão 3D, big data, computação na nuvem, inteligência artificial e sistemas de simulação virtual. Segundo o estudo da CNI, a principal diferença em relação às demais revoluções industriais pelas quais o mundo já passou, está na velocidade das transformações produzidas pela digitalização.

É bom lembrar que a primeira revolução, a 1.0, começou a cerca de 230 anos, quando James Watt inventou a máquina à vapor que, curiosamente, deu um grande impulso à indústria têxtil no século 18, que passou a ser mecanizada. A segunda revolução, a 2.0, aconteceu no início do século 20, com a introdução da linha de montagem, que permitiu a produção padronizada em escala, e a revolução 3.0 aconteceu a partir da década de 1970, com a introdução do CNC (Comando Numérico Computadorizado) nos centros de usinagem e máquinas automatizadas. Agora, a indústria 4.0, cujo conceito surgiu em 2011 na Alemanha, propõe informatizar as fábricas, promovendo uma integração horizontal na produção. Isto é possível graças à integração das tecnologias avançadas (já citadas) que permitirá, por exemplo, que máquinas "conversem" com máquinas ao longo das operações industriais, enxugando etapas de processo, eliminando retrabalho e intervenção humana e possibilitando uma perspectiva inimaginável para o desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Gargalos para implantação

A pesquisa da CNI, realizada com 2.225 empresas de todos os portes entre 4 e 13 de janeiro de 2016, identificou o uso das tecnologias digitais em diferentes estágios da cadeia industrial. Segundo o relatório: "A maior parte dos esforços feitos pela indústria no Brasil está na fase dos processos industriais. Setenta e três por cento das que afirmaram usar, ao menos, uma tecnologia digital o fazem na etapa de processos. Outras 47% utilizam na etapa de desenvolvimento da cadeia produtiva e apenas 33% em novos produtos e novos negócios".

O principal motivo para as indústrias buscarem tecnologias digitais está no aumento da eficiência, já que em geral, de acordo com a pesquisa da CNI, a indústria brasileira apresenta produtividade inferior à média internacional e baixa inserção no comércio exterior. "Dado o gap de produtividade atual, muitos setores sofrerão cada vez mais com a concorrência internacional, por isso, a adoção da digitalização é fundamental", enfatiza João Emílio Gonçalves, gerente de política industrial da CNI.

Porém, o problema não está só na deficiência da indústria, mas também na falta de ações do governo para liderar uma Agenda de Inovação e Competitividade. "No Brasil, há muita dificuldade para se coordenar ações de governo. É preciso uma política industrial que dê suporte à indústria para que ela possa crescer e inovar", destacou Carlos Américo Pacheco, diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, acrescentando que a instituição possui programas de cooperação que apoiam as empresas na área de Pesquisa e Desenvolvimento para criação de produtos e processos inovadores. "Em 20 anos já atendemos 1.200 empresas sendo que em 2017, aumentou significativamente o número de startups com foco em manufatura avançada e big data". Segundo ele, hoje existem 12 propostas sobre manufatura avançada, solicitadas pela indústria paulista. "Nós sugerimos que as empresas se organizem em consórcio e façam parcerias com centros acadêmicos para viabilizarem os projetos, mas, diferentemente de outros países, no Brasil temos poucas iniciativas consorciadas".

O Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) e o Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) desembolsaram, em 2015, mais de R$ 118 milhões em fomento para empresas. Além de poucos recursos para investimento em pesquisa e inovação, e da falta de cultura associativa para viabilizar novos projetos, a indústria brasileira ainda enfrenta o maior dos desafios: a falta de infraestrutura para implantação da indústria 4.0. Para os especialistas que participaram do Fórum, a carência abrange desde a baixa escolaridade, falta de profissionais especializados no mercado e dificuldades das telecomunicações no País, afinal, sem internet rápida e acessível, fica difícil pensar em "internet das coisas".

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Marcia Mariano
Fotos: Marcia Mariano

Data de publicação: 23/03/2018

Conteúdo relacionado


Baixa oferta faz preço do algodão aumentar no mercado brasileiro
Com a queda na oferta em 2016-17 e o ritmo lento da safra 2017-18, o preço do algodão aumentou no mercado brasileiro em maio. Entre 30 de abril e 30 de maio, o Índice de Algodão do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA / ESALQ subiu 12,3%, fechando em R$3.741,00 em 30 de maio.  2018-06-21 - Tags: cepea algodao sinditec mercado bbm dados alta textil

ITMF mostra perfil de vendas de máquinas têxteis no mundo
A ITMF – Federação Internacional dos Fabricantes de Máquinas Têxteis informa que as vendas de filatórios para fibras curtas, fibras longas e máquinas open-end melhoraram muito entre 2016 e 2017, registrando crescimento de 21%, 46% e 24%, respectivamente. Os embarques de máquinas texturizadoras e teares também aumentaram 23% e 13%.  2018-06-08 - Tags: federacao internacional dos fabricantes de maquinas texteis itmf mercado relatorio itmss fiacao texturizacao tecelagem malharia circular malharia plana beneficiamento acabamento

SSM comemora participação em feiras internacionais
Nos quatro primeiros meses do ano, a SSM Schärer Schweiter Mettler AG participou de oito feiras ao redor do mundo. Na Colômbia, Bangladesh, Japão, Rússia, Indonésia, Vietnã, Turquia e Paquistão, a empresa suíça obteve bom retorno dos visitantes interessados em suas soluções para o processamento e bobinagem de fios têxteis.  2018-06-05 - Tags: ssm scharer schweiter mettler febratex feiras texteis maquinas texteis bobinagem

Duas importantes recertificações para a MK Química do Brasil
Nos últimos meses, a MK foi auditada em dois importantes sistemas de gestão. Em abril foi recertificado o Sistema de Gestão da Qualidade, que contempla todas as atividades de desenvolvimento, fabricação e distribuição de produtos químicos e compósitos, bem como o transporte rodoviário de cargas à granel, envasadas e fracionadas.  2018-06-04 - Tags: sassmaq mk quimica do brasil iso 9001 mk quimica

Abit diz que greve prejudica 100% da indústria têxtil e de confecção
Após completar uma semana, a greve nacional dos caminhoneiros já afeta praticamente 100% da indústria têxtil e de confecção, informa a entidade do setor. Segundo a Abit, o prejuízo é grande, já que o faturamento diário é de aproximadamente R$ 440 milhões, (R$ 144 bilhões por ano em 330 dias de trabalho).  2018-05-30 - Tags: abit greve nacional dos caminhoneiros industria textil confeccao

Executiva assume presidência do Grupo Solvay na América Latina
A executiva Daniela Manique assumirá a partir de 1º de julho de 2018 o posto de presidente do Grupo Solvay na América Latina. Ela substituirá José Borges Matias, que deixa a empresa após 35 anos de atividades. Daniela acumulará a nova posição com a presidência da Unidade Global de Negócios Coatis da Solvay, que reúne as áreas de Fenol e Derivados, Solventes Oxigenados e Intermediários de Poliamida.  2018-05-25 - Tags: grupo solvay santo andre polimeros rhodia daniela manique unidade global de negocios coatis da solvay

A quarta revolução industrial e seu impacto no trabalho
O Banco Mundial aponta que de 2015 a 2020, cerca de 5,1 milhões de vagas de trabalho serão substituídas por máquinas, por conta do avanço da Quarta Revolução Industrial mal gerenciada. Existe a necessidade eminente de aprender a aplica-la. Klaus Schwab acaba de lançar seu segundo livro sobre o tema.  2018-05-18 - Tags: aplicando a quarta revolução industrial quarta revolução industrial economia livro

ITM 2018 – Istambul
Excelente show em 2018 de 14 a 17 de Abril em Istanbul em conjunto com a Hightextil 2018 e a Nonwoven Technical Textiles Technology, no pavilhão de feiras Teknik Fuarcilik e comandadas por Necip Guney com sua fantástica capacidade de organização. A qualidade dos expositores e dos visitantes foi maior do que as expectativas dos organizadores.  2018-05-15

SINDITEC inaugurou sede própria em Americana
O SINDITEC inaugurou na noite de quarta-feira passada (09/05) sua sede própria, localizada na Avenida Rafael Vitta, 1073, no bairro São Domingos. O coquetel de inauguração contou com a presença de autoridades, da diretoria do Sindicato, de representantes das entidades parceiras e das empresas que colaboraram com a construção da sede adquirindo o título honorífico.  2018-05-14 - Tags: chico sardelli frente parlamentar em defesa do setor textil e de confeccao abit sinditec dilezio ciamarro omar najar

Grupo NS apresenta novidades para o setor de confecção
A empresa alemã de máquinas de bordado ZSK®, passa a ser representada no Brasil, pelo Grupo NS. Contando com mais de cem anos de experiência em engenharia têxtil, passando a ser conhecida mundialmente desde 1984 como ZSK®, foi premiada na Alemanha com TOP 100 Innovator 2017, como empresa de médio porte mais inovadora do país.  2018-05-11 - Tags: grupo ns confeccao zsk maquinas de bordado centro de aprimoramento no bordado cab

Fiesp identifica desafios da Indústria 4.0 no Brasil e apresenta propostas
Atenta à importância da Quarta Revolução Industrial na realidade das empresas brasileiras, a FIESP realizou uma pesquisa identificando o grau de conhecimento a respeito do conceito de Indústria 4.0 e os desafios a serem enfrentado para sua adoção, o que serviu de subsídio para uma série de propostas apresentadas.  2018-05-09 - Tags: quarta revolução industrial fiesp lean manufacturing cibersegurança josé ricardo roriz coelho paulo skaf

Grupo BASF apresenta balanço do primeiro trimestre aos acionistas
As vendas globais da companhia teve acrescimo de 1% nos primeiros três meses do ano, totalizando € 16,6 bilhões. Todos os segmentos, exceto Produtos de Performance, registraram aumento de volume. “Estamos satisfeitos com o desempenho no primeiro trimestre de 2018, tivemos um bom início de ano”, disse Kurt Bock, Presidente da Junta Diretiva da BASF SE.  2018-05-07 - Tags: basf se dr kurt bock basf quimicos ebit alemanha

Produção personalizada transforma Copa do Mundo em oportunidade de negócios
A decepção da última edição, há quatro anos, não diminuiu nos brasileiros a paixão pela Copa do Mundo. Segundo a Fifa, o país é o terceiro que mais adquire ingressos para os jogos. Em 2018, o evento esportivo acontece na Rússia e não é só um período de torcer pela seleção de futebol, mas para muitas empresas também aumentar as vendas.  2018-05-04 - Tags: global quimica moda epson surecolor f2000 gqm iara valentim copa do mundo

Fiesp identifica desafios da Indústria 4.0 no Brasil e apresenta propostas
Atenta à importância da Quarta Revolução Industrial na realidade das empresas brasileiras, a FIESP realizou uma pesquisa identificando o grau de conhecimento a respeito do conceito de Indústria 4.0 e os desafios a serem enfrentado para sua adoção, o que serviu de subsídio para uma série de propostas apresentadas.  2018-05-02 - Tags: quarta revolução industrial fiesp lean manufacturing rastreabilidade ciberseguranca paulo skaf

Parceria entre Norfil e SPFW beneficia abrigos de São Paulo
A Norfil buscou nos últimos anos maneiras de colaborar com o meio ambiente, os trabalhadores e seus clientes. Para esta edição do São Paulo Fashion Week, a empresa fechou uma parceria com a organização do evento para doar mais de 10 mil peças de roupas, camisetas e bermudas, para instituições que abrigam moradores de rua em diversos pontos da Capital.  2018-04-25 - Tags: norfil fios de algodao abr bci sao paulo fashion week spfw oeko tex horovitz

SINDITEC participou de apresentação do CCMA
O Diretor do SINDITEC, Igor Zanini, participou da apresentação do CCMA (Centro Cultural de Moda Arena), que contou com a presença de representantes de entidades de classe, profissionais e universidades de moda.  2018-04-17 - Tags: ccma igor zanini sinditec fidam norberto arena arena bureaux

Setor têxtil fecha fábricas em São Paulo e desemprega 130 mil
Em cinco anos, São Paulo perdeu 17% das fábricas têxteis e 13,3% das empresas de confecção que atuavam no estado. A crise político-econômica, que vem afetando o Brasil, e a falta de competividade das indústrias são apontados como responsáveis pela devastação. Somente no Polo Têxtil da região de Americana a redução foi de quase 19% no número de empresas entre 2012 e 2016.  2018-04-06 - Tags: sao paulo fabricas têxteis empresas de confeccao polo textil americana setor textil sinditextil sindivestuario polo de americana panorama nacional

Primeiros projetos da Confecção 4.0 começam a ser planejados
Quarenta empresários e executivos de alto escalão de empresas têxteis e de confecção de todo o país estão prestes a dar o primeiro passo para a implantação da Indústria 4.0 no Brasil. Eles vão participar da Especialização Master In Business Innovation (MBI) em Indústria Avançada: Confecção 4.0 – Integrando Tecnologia para Projetar a Indústria do Futuro, oferecida pelo SENAI CETIQT; e desde o primeiro encontro, nesta sexta-feira, 6 de abril, às 18h, serão instigados a elaborar projetos baseados nos parâmetros da Indústria 4.0.  2018-04-05 - Tags: senai cetiqt industria 4 0 master in business innovation vicunha cataguases demillus karsten malwee coteminas guararapes jgb altenburg lailalou kalufindistria betelsport malharia ventre livre ruuniformes tbuniformes

BC Malhas amplia parque fabril e prevê crescimento de 30% em 2018
Empresa localizada em Brusque (SC), produz mais de 200 toneladas ao mês de produtos para linha fitness, jacquards e tecidos exclusivos para marcas de todo o país. Novos maquinários são dedicados a tecidos diferenciados.  2018-03-27 - Tags: bc malhas jacquard malha dupla estamparia digital bruno beuting brusque

Indústria brasileira precisa se digitalizar com urgência
De 24 setores da indústria brasileira, 14 precisam adotar com urgência estratégias de digitalização para se tornarem internacionalmente competitivos. É o que relata o mais recente estudo da CNI – Confederação Nacional da Indústria, apresentado durante o III Fórum de Manufatura, realizado nos dias 19 e 20 de março, em São Paulo.  2018-03-23 - Tags: cni confederacao nacional da industria iii forum de manufatura manufatura avancada carlos americo pacheco