Language
home » têxtil »

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Fiesp identifica desafios da Indústria 4.0 no Brasil e apresenta propostas

Atenta à importância da Quarta Revolução Industrial na realidade das empresas brasileiras, a FIESP realizou uma pesquisa identificando o grau de conhecimento a respeito do conceito de Indústria 4.0 e os desafios a serem enfrentado para sua adoção, o que serviu de subsídio para uma série de propostas apresentadas.

Como a discussão sobre a Industria 4.0 é recente no Brasil, uma das preocupações da pesquisa foi identificar o nível de conhecimento das empresas. Assim, uma das primeiras perguntas era se a empresa já cumpria um pré-requisito importante para a Indústria 4.0, que é utilizar o lean manufacturing, ou sistema de produção enxuta.

Segundo a pesquisa, realizada pela Fiesp em parceria com o Senai-SP, somente 41% das indústrias utilizam o lean manufacturing, ou sistema de produção enxuta. E 32% dos entrevistados não tinham ouvido falar em quarta revolução industrial, Indústria 4.0 ou Manufatura Avançada, nomes diferentes para a mesma mudança na forma de produzir, com base em tecnologia e dispositivos autônomos que se comunicam entre si ao longo da cadeia de valor. Assim, a disseminação de conhecimento sobre Industria 4.0 mostrou-se um ponto importante. Um total de 227 empresas participaram da pesquisa, sendo 55% pequenas, 30% médias e 15% grandes. Para as 68%, ou 154 empresas, que já ouviram falar em Industria 4.0, os principais resultados da pesquisa foram:

  • 90% concordam que a Indústria 4.0 "aumentará a produtividade" e que "é uma oportunidade ao invés de um risco"
  • 67% esperam sentir um impacto mediano com a implementação da Indústria 4.0;
  • 30% estão "muito otimistas" quanto à implementação da Indústria 4.0 na própria empresa, e apenas 17% estão "muito otimistas" quanto a essa implementação no setor de atuação da empresa.
  • 5% se sentem "muito preparadas" para enfrentar os desafios da Indústria 4.0, enquanto 23% se sentem "nem um pouco preparadas".

Áreas com maior potencial para se beneficiar da Indústria 4.0: produção (55%), controle da produção (50%), rastreabilidade (38%), controle de qualidade (32%), planejamento (31%), e engenharia de desenvolvimento de novos produtos (31%). As grandes destacaram manutenção (34%) e suporte a clientes (31%).

O próximo passo foi conhecer quais são os desafios para a Indústria 4.0, tendo como resultado que Recursos (relação custo benefício; investimento necessário) e Estratégia (ser empresa pequena e não saber como se adaptará à Ind. 4.0; espera pela movimentação do mercado) foram apontados como principais desafios. Outros desafios também foram apresentados, como Gestão, Tecnologia e Mão de Obra.

A pesquisa também buscou identificar empresas que já estavam concretizando, ou planejando, ações para a Indústria 4.0. Nesse sentido, 30% já deram início a esse processo, e 25% estão planejando. Para 52%, o progresso dessas iniciativas tem sido "limitado" e para 35% "substancial". As tecnologias-alvo apontadas pelas empresas foram análise de big data (21%), monitoramento e controle remoto da produção (15%), digitalização (12%) e robótica (11%). Quanto ao investimento, em 2017, 38% desse grupo de empresas investiu até 0,5% do faturamento. Para 2018, espera-se que 28% delas se mantenham nesta faixa (até 0,5%) e outras 19% invistam na faixa entre 0,5% e 1% do faturamento.

O tema da cibersegurança também fez parte da pesquisa, uma vez que indústrias cada vez mais conectadas elevam o risco de segurança da informação e de paradas não programadas. A pesquisa mostrou que 31% já sofreram ataques cibernético. Destas, 16% são pequenas, 8% médias e 7% grandes. Sinalizou também que 92% estão cientes da importância de investir em cibersegurança, e apenas 18% disseram que a sua infraestrutura de tecnologia da informação "está adequada" para suportar as tecnologias da Indústria 4.0. Por fim, 82% atualizam com frequência softwares, hardwares, equipamentos, ferramentas e sistemas operacionais.

Emprego e formação de mão de obra é uma das questões mais recorrentes quando o assunto é Indústria 4. Assim, a pesquisa tentou identificar quais as qualificações esperadas do profissional do futuro. Houve certo consenso entre as empresas no tocante aos primeiros colocados, que foram: automação, cibersegurança e (capacidade) analítica e preditiva. As principais variações foram quanto à habilidade de "programação" (eleita pelas pequenas) e "gerenciamento de dados" (destacada pelas médias e grandes), e também Data Science (priorizada pelas grandes).

"Estamos na quarta revolução industrial e a transformação será grande. As mudanças assustam num primeiro momento, já que inúmeras profissões vão sumir, mas não podemos esquecer que o mundo abrirá outras novas oportunidades. Não podemos ficar para trás. Precisamos nos preparar, ter coragem e visão do futuro", afirma o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

Futuro e perspectivas

"O Brasil chegou tardiamente na discussão da Indústria 4.0, que data de 2011 nos países desenvolvidos, e foi prejudicado pelo momento de crise econômica, que desviou a atenção para questões de curto prazo e conjunturais, mas acreditamos que ainda há tempo das empresas brasileiras se inserirem na 4ª revolução industrial", enfatiza o 2º vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho.

Segundo ele, o desconhecimento sobre a 4ª Revolução Industrial apontado na pesquisa mostra a importância de disseminar em nível introdutório o que ela significa (tecnologias, expectativas e riscos) para que as empresas possam seguir os próximos passos rumo à implementação. E o mesmo se aplica ao lean manufacturing, que deve estar presente em 100% das empresas.

Trabalhos de capacitação pela FIESP, SENAI-SP, SEBRAE e agências de fomento, serão primordiais para melhorar o senso de urgência das empresas com relação à Indústria 4.0, e principalmente no enfrentamento dos desafios.

Torna-se claro também a importância de incentivar investimentos na infraestrutura de tecnologia da informação uma vez que apenas 18% das empresas consideram que estão adequadas para as tecnologias da Indústria 4.0. Isso é particularmente preocupante para as grandes empresas, pois são os maiores alvos de ataques cibernéticos.

E em relação às qualificações mais esperadas do profissional do futuro a pesquisa também pode auxiliar na priorização dos cursos de capacitação de mão de obra nas áreas de automação, cibersegurança, gerenciamento de dados, capacidade analítica e preditiva, programação, gerenciamento de dados, capacidade analítica e preditiva e Data Science. "A empresa que não buscar formas para ampliar este conhecimento certamente terá dificuldades para uma inserção competitiva no mercado", finaliza.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Fonte: Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)
Fotos: Divulgação

Data de publicação: 02/05/2018

Conteúdo relacionado


Instituto de Inovação do Senai Cetiqt tem novo endereço no Rio
Com o objetivo de fomentar a interação entre universidade e empresas, o Senai Cetiqt vai transferir, em breve, o Instituto de Inovação em Biossintéticos de sua Unidade no Riachuelo, para o Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Ilha do Fundão, reconhecido polo de pesquisa e desenvolvimento nacional.  2018-07-06 - Tags: parque tecnologico da ufrj senai cetiqt instituto de inovacao em biossinteticos rafael lucchesi robson braga de andrade

Senai SP lança programa de competitividade para indústria
O Senai São Paulo lança no dia 26 de junho o Programa Indústria Paulista Mais Competitiva, que tem como objetivo promover o aumento da competitividade por meio de intervenções nas áreas produtivas das empresas, fornecendo assessoria tecnológica em três pontos estratégicos: Manufatura Enxuta (Lean Manufacturing), Eficiência Energética e Preparação para Indústria 4.0.  2018-06-25 - Tags: senai sao paulo programa industria paulista mais competitiva manufatura enxuta lean manufacturing

Baixa oferta faz preço do algodão aumentar no mercado brasileiro
Com a queda na oferta em 2016-17 e o ritmo lento da safra 2017-18, o preço do algodão aumentou no mercado brasileiro em maio. Entre 30 de abril e 30 de maio, o Índice de Algodão do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA / ESALQ subiu 12,3%, fechando em R$3.741,00 em 30 de maio.  2018-06-21 - Tags: cepea algodao sinditec mercado bbm dados alta textil

ITMF mostra perfil de vendas de máquinas têxteis no mundo
A ITMF – Federação Internacional dos Fabricantes de Máquinas Têxteis informa que as vendas de filatórios para fibras curtas, fibras longas e máquinas open-end melhoraram muito entre 2016 e 2017, registrando crescimento de 21%, 46% e 24%, respectivamente. Os embarques de máquinas texturizadoras e teares também aumentaram 23% e 13%.  2018-06-08 - Tags: federacao internacional dos fabricantes de maquinas texteis itmf mercado relatorio itmss fiacao texturizacao tecelagem malharia circular malharia plana beneficiamento acabamento

SSM comemora participação em feiras internacionais
Nos quatro primeiros meses do ano, a SSM Schärer Schweiter Mettler AG participou de oito feiras ao redor do mundo. Na Colômbia, Bangladesh, Japão, Rússia, Indonésia, Vietnã, Turquia e Paquistão, a empresa suíça obteve bom retorno dos visitantes interessados em suas soluções para o processamento e bobinagem de fios têxteis.  2018-06-05 - Tags: ssm scharer schweiter mettler febratex feiras texteis maquinas texteis bobinagem

Duas importantes recertificações para a MK Química do Brasil
Nos últimos meses, a MK foi auditada em dois importantes sistemas de gestão. Em abril foi recertificado o Sistema de Gestão da Qualidade, que contempla todas as atividades de desenvolvimento, fabricação e distribuição de produtos químicos e compósitos, bem como o transporte rodoviário de cargas à granel, envasadas e fracionadas.  2018-06-04 - Tags: sassmaq mk quimica do brasil iso 9001 mk quimica

Abit diz que greve prejudica 100% da indústria têxtil e de confecção
Após completar uma semana, a greve nacional dos caminhoneiros já afeta praticamente 100% da indústria têxtil e de confecção, informa a entidade do setor. Segundo a Abit, o prejuízo é grande, já que o faturamento diário é de aproximadamente R$ 440 milhões, (R$ 144 bilhões por ano em 330 dias de trabalho).  2018-05-30 - Tags: abit greve nacional dos caminhoneiros industria textil confeccao

Executiva assume presidência do Grupo Solvay na América Latina
A executiva Daniela Manique assumirá a partir de 1º de julho de 2018 o posto de presidente do Grupo Solvay na América Latina. Ela substituirá José Borges Matias, que deixa a empresa após 35 anos de atividades. Daniela acumulará a nova posição com a presidência da Unidade Global de Negócios Coatis da Solvay, que reúne as áreas de Fenol e Derivados, Solventes Oxigenados e Intermediários de Poliamida.  2018-05-25 - Tags: grupo solvay santo andre polimeros rhodia daniela manique unidade global de negocios coatis da solvay

A quarta revolução industrial e seu impacto no trabalho
O Banco Mundial aponta que de 2015 a 2020, cerca de 5,1 milhões de vagas de trabalho serão substituídas por máquinas, por conta do avanço da Quarta Revolução Industrial mal gerenciada. Existe a necessidade eminente de aprender a aplica-la. Klaus Schwab acaba de lançar seu segundo livro sobre o tema.  2018-05-18 - Tags: aplicando a quarta revolução industrial quarta revolução industrial economia livro

ITM 2018 – Istambul
Excelente show em 2018 de 14 a 17 de Abril em Istanbul em conjunto com a Hightextil 2018 e a Nonwoven Technical Textiles Technology, no pavilhão de feiras Teknik Fuarcilik e comandadas por Necip Guney com sua fantástica capacidade de organização. A qualidade dos expositores e dos visitantes foi maior do que as expectativas dos organizadores.  2018-05-15

SINDITEC inaugurou sede própria em Americana
O SINDITEC inaugurou na noite de quarta-feira passada (09/05) sua sede própria, localizada na Avenida Rafael Vitta, 1073, no bairro São Domingos. O coquetel de inauguração contou com a presença de autoridades, da diretoria do Sindicato, de representantes das entidades parceiras e das empresas que colaboraram com a construção da sede adquirindo o título honorífico.  2018-05-14 - Tags: chico sardelli frente parlamentar em defesa do setor textil e de confeccao abit sinditec dilezio ciamarro omar najar

Grupo NS apresenta novidades para o setor de confecção
A empresa alemã de máquinas de bordado ZSK®, passa a ser representada no Brasil, pelo Grupo NS. Contando com mais de cem anos de experiência em engenharia têxtil, passando a ser conhecida mundialmente desde 1984 como ZSK®, foi premiada na Alemanha com TOP 100 Innovator 2017, como empresa de médio porte mais inovadora do país.  2018-05-11 - Tags: grupo ns confeccao zsk maquinas de bordado centro de aprimoramento no bordado cab

Fiesp identifica desafios da Indústria 4.0 no Brasil e apresenta propostas
Atenta à importância da Quarta Revolução Industrial na realidade das empresas brasileiras, a FIESP realizou uma pesquisa identificando o grau de conhecimento a respeito do conceito de Indústria 4.0 e os desafios a serem enfrentado para sua adoção, o que serviu de subsídio para uma série de propostas apresentadas.  2018-05-09 - Tags: quarta revolução industrial fiesp lean manufacturing cibersegurança josé ricardo roriz coelho paulo skaf

Grupo BASF apresenta balanço do primeiro trimestre aos acionistas
As vendas globais da companhia teve acrescimo de 1% nos primeiros três meses do ano, totalizando € 16,6 bilhões. Todos os segmentos, exceto Produtos de Performance, registraram aumento de volume. “Estamos satisfeitos com o desempenho no primeiro trimestre de 2018, tivemos um bom início de ano”, disse Kurt Bock, Presidente da Junta Diretiva da BASF SE.  2018-05-07 - Tags: basf se dr kurt bock basf quimicos ebit alemanha

Produção personalizada transforma Copa do Mundo em oportunidade de negócios
A decepção da última edição, há quatro anos, não diminuiu nos brasileiros a paixão pela Copa do Mundo. Segundo a Fifa, o país é o terceiro que mais adquire ingressos para os jogos. Em 2018, o evento esportivo acontece na Rússia e não é só um período de torcer pela seleção de futebol, mas para muitas empresas também aumentar as vendas.  2018-05-04 - Tags: global quimica moda epson surecolor f2000 gqm iara valentim copa do mundo

Fiesp identifica desafios da Indústria 4.0 no Brasil e apresenta propostas
Atenta à importância da Quarta Revolução Industrial na realidade das empresas brasileiras, a FIESP realizou uma pesquisa identificando o grau de conhecimento a respeito do conceito de Indústria 4.0 e os desafios a serem enfrentado para sua adoção, o que serviu de subsídio para uma série de propostas apresentadas.  2018-05-02 - Tags: quarta revolução industrial fiesp lean manufacturing rastreabilidade ciberseguranca paulo skaf

Parceria entre Norfil e SPFW beneficia abrigos de São Paulo
A Norfil buscou nos últimos anos maneiras de colaborar com o meio ambiente, os trabalhadores e seus clientes. Para esta edição do São Paulo Fashion Week, a empresa fechou uma parceria com a organização do evento para doar mais de 10 mil peças de roupas, camisetas e bermudas, para instituições que abrigam moradores de rua em diversos pontos da Capital.  2018-04-25 - Tags: norfil fios de algodao abr bci sao paulo fashion week spfw oeko tex horovitz

SINDITEC participou de apresentação do CCMA
O Diretor do SINDITEC, Igor Zanini, participou da apresentação do CCMA (Centro Cultural de Moda Arena), que contou com a presença de representantes de entidades de classe, profissionais e universidades de moda.  2018-04-17 - Tags: ccma igor zanini sinditec fidam norberto arena arena bureaux

Setor têxtil fecha fábricas em São Paulo e desemprega 130 mil
Em cinco anos, São Paulo perdeu 17% das fábricas têxteis e 13,3% das empresas de confecção que atuavam no estado. A crise político-econômica, que vem afetando o Brasil, e a falta de competividade das indústrias são apontados como responsáveis pela devastação. Somente no Polo Têxtil da região de Americana a redução foi de quase 19% no número de empresas entre 2012 e 2016.  2018-04-06 - Tags: sao paulo fabricas têxteis empresas de confeccao polo textil americana setor textil sinditextil sindivestuario polo de americana panorama nacional

Primeiros projetos da Confecção 4.0 começam a ser planejados
Quarenta empresários e executivos de alto escalão de empresas têxteis e de confecção de todo o país estão prestes a dar o primeiro passo para a implantação da Indústria 4.0 no Brasil. Eles vão participar da Especialização Master In Business Innovation (MBI) em Indústria Avançada: Confecção 4.0 – Integrando Tecnologia para Projetar a Indústria do Futuro, oferecida pelo SENAI CETIQT; e desde o primeiro encontro, nesta sexta-feira, 6 de abril, às 18h, serão instigados a elaborar projetos baseados nos parâmetros da Indústria 4.0.  2018-04-05 - Tags: senai cetiqt industria 4 0 master in business innovation vicunha cataguases demillus karsten malwee coteminas guararapes jgb altenburg lailalou kalufindistria betelsport malharia ventre livre ruuniformes tbuniformes