Language
home » têxtil » mercado » mercado e marketing

Mercado e Marketing

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Beneficiamento têxtil sustentável

A crise que hoje afeta as economias no mundo globalizado, não tem provocado apenas sobressaltos nas bolsas de valores, mas também, reflexões sobre a nossa relação com o consumo. Diante da necessidade constante de novidades, impulsionada pelos avanços tecnológicos, nos deparamos com um dilema: temos que consumir para gerar emprego, renda e riqueza em nossos países. Mas também não podemos destruir o planeta por conta do excesso de descartes e do desperdício que crescem tão velozmente quanto os lançamentos de produtos novos no mercado. Produção limpa e eficiência energética foram os termos mais citados pelos expositores da maior feira mundial de máquinas têxteis/confecção, realizada em Barcelona, em setembro de 2011. Cada fabricante procurava convencer os compradores que seus equipamentos eram os mais eficientes e que contribuíam, de forma efetiva, para redução de consumo de energia, água, produtos químicos, etc. De fato, em nenhum outro segmento da cadeia produtiva têxtil, a questão ecológica é tão premente quanto no beneficiamento. Por ser realizado, em grande parte, por meio de processos longos e úmidos, que começam no pré-tratamento, as máquinas que executam as diversas etapas do tingimento, estamparia e acabamento, consomem muita água e principalmente energia, seja na forma de aquecimento (vapor usado em caldeiras, aquecedores e secadores) ou fluído térmico; como força motriz (das máquinas) ou como refrigeração.

O Brasil, infelizmente, carece de estudos específicos sobre o consumo de energia na indústria têxtil. Por outro lado, apesar de o setor industrial como um todo responder por 40% da energia consumida no país, a eficiência energética não é prioridade nos programas de governo. De qualquer forma, nos últimos anos, a indústria têxtil tem reduzido seu consumo de energia, mais por redução da atividade industrial do que pela otimização dos processos, em razão do aumento da importação de manufaturados.

A expectativa dos fabricantes de máquinas, presentes na ITMA, é reverter este quadro, oferecendo tecnologias para auxiliar a indústria brasileira a obter maior eficiência, reduzir custos, aumentar a produtividade e a qualidade de seus produtos. Veja, a seguir, alguns destaques desta feira.

Tingimento e acabamento

Monforts, Alemanha, apresentou o Eco Applicator, um sistema para aplicação de produtos químicos em tecidos por sublimação, como alternativa ao foulard convencional. A nova máquina, que possibilita a redução do consumo de energia e água, realiza a operação por meio de rolos que atuam nos dois lados do tecido, para aplicação de efeitos como antichama, antiruga, antibactericida, entre outros acabamentos especiais. Outra novidade da empresa foi a rama Montex 8000, que traz novas funcionalidades e pode ser empregada no beneficiamento de malhas, nãotecidos e têxteis técnicos. A máquina contém o novo módulo ECO HRC de recuperação de calor, com um sistema de limpeza automático, e dutos de exaustão integrados em cada câmara. A Benninger AG, Suíça, apresentou máquinas para acabamento de malhas com foco na pegada de carbono para reduzir o impacto ambiental nos processos via úmida. A lavadora tambor Trikoflex, de alta eficiência, segundo a empresa usa metade da quantidade de água para enxágüe dos tecidos, em comparação às lavadoras convencionais. Desenvolvida em parceria com a brasileira Texima, esta máquina permite lavar em contínuo a malha em aberto, ou seja, o que era feito em barca e overflow agora é possível numa máquina compacta, de baixo consumo e de excelente performance.

Outra empresa que também apostou na redução de consumos de água e energia para tornar o tingimento mais “ecológico”, foi a Thies GmbH & Co. KG. A máquina IMaster H20 foi projetada pata tingir tecidos com tensão mínima, própria para fibras delicadas e tecidos elastizados. Outra novidade divulgada pela empresa é o tratamento de lavagem AAP (Advanced Aftertreatment Process), sistema que usa oxigênio ativo para descolorir a água antes da descarga do efluente, retirando, assim, a maior carga possível de resíduos químicos. A Santex AG, Suíça, por sua vez, introduziu três produtos inovadores: o ESC-Energy, secador adicional que utiliza o calor do ar de exaustão para aumentar em 15% a capacidade dos demais secadores da sala de beneficiamento; o Cavi 2 Coat, máquina projetada para laminação e revestimento de substrato têxtil, e a máquina de compactação Synpact, combinada com uma unidade de encolhimento que otimiza o processo com o dobro da velocidade das máquinas existentes no mercado. Outro grande fabricante europeu, a italiana Brazzoli, participou da feira com foco nos mercados emergentes, como, Turquia, Bangladesh e Índia, têm concentrado grande produção têxtil, especialmente na área de fiações e tinturarias. O diretor da empresa, Danilo Cagnazzi, ressaltou a importância do lançamento do Selo Verde, certificado voluntário idealizado pela Acimit – Associação dos fabricantes italianos de máquinas têxteis e patrocinado pela Comunidade Européia - cujo objetivo é verificar e atestar se os parâmetros divulgados pelos construtores são verdadeiros. “Este selo garante que nós, fabricantes que aderimos ao projeto, estamos declarando a verdade em nossos materiais de propaganda, a respeito da eficiência das máquinas no que se refere aos baixos com consumos de energia, água, etc., bem como emissões de gases poluentes”, explica o executivo. 

Na feira a Brazzoli apresentou o conceito InnoEcology com a tecnologia Innotech, máquina de tingimento longa que trabalha com relação de banho curta - variável entre 1:3 e 1:5, desenvolvida para tecidos delicados como seda, acetato e lã fina. O tecido é movimentado entre as câmeras da máquina por duas correias transportadoras durante a imersão no banho. Segundo o fabricante, este sistema permite tingimento uniforme, sem estiramento e facilita a abertura do tecido para as etapas posteriores de beneficiamento. “A principal vantagem desta máquina é que a utilização das duas esteiras transportadoras elimina a necessidade de usar a água como meio de transporte dentro da máquina, como é feito nos sistemas tradicionais”, acrescenta Danilo Cagnazi. 

Fundada na Espanha em 1975, a Incomatex fabrica máquinas para tingimento, estamparia e beneficiamento de tecidos, tendo 92% de sua produção voltada para o mercado externo. Suas especialidades são máquinas de lavagem em contínuo, ramas e máquinas para aplicação de coating (revestimento). Na ITMA expôs os sistema lavagem e branqueamento Icowash, cuja impregnação de produtos químicos é feita através do tecido por um dispositivo de sucção. Localizado no tanque da máquina. A empresa também desenvolveu um novo sistema de aquecimento para ramas chamado Dual-Heat que combina gás e óleo térmico. Com isso, as tinturarias podem escolher a fonte de alimentação de acordo com suas necessidades e disponibilidade energética.

Equipamentos e laboratório  

A Werner Mathis AG, líder no segmento de equipamentos de laboratório que evitam erro de receita e reduzem custos nas tinturarias de fios e tecidos, possui departamento de desenvolvimento na Suíça e filial no Brasil. Estabelecida em Cotia, São Paulo, a Aparelhos de Laboratórios Mathis Ltda. fabrica equipamentos para preparação e acabamento que abrangem o setor têxtil e outros setores como papel e couro, além de máquinas de coating. Dirigida pelos sócios Eduardo Costa, Carlos Almeida e George Kitamura, apresentou na ITMA a nova máquina para tingir fitas rígidas e elásticas em processo contínuo MTF com controle automático de pressão e velocidade de 40 metros por minuto. Destaque também para o novo sistema SmartLiquor® de avaliação de banhos de esgotamento para otimização de processos de tingimento, desenvolvido pela Mathis AG. O módulo gráfico foi totalmente renovado, oferecendo possibilidades de análises completas de medição.

A Weko America Latina, pertencente ao grupo alemão Weko, também se fez presente na feira. Fabricante de sistemas de aplicação de líquidos e pó, cortadores de ourela e umidificadores de ar, a empresa, gerenciada no Brasil por Benjamin Ziel, mostrou soluções para otimizar processos e reduzir custos na industria têxtil. “Esta feira foi surpreendente na quantidade de visitantes sul-americanos, especialmente do Brasil, que vieram ao nosso estande conhecer as novidades”, comenta Ziel, salientando que a Weko é líder no desenvolvimento de sistemas de umidificação por rotores. Conseguimos aprimorar nossa unidade de alimentação para aplicações especiais, garantindo maior homogeneidade de pulverização, porém utilizando quantidades menores de produtos químicos”. Segundo ele, a dosagem exata permite um consumo econômico, ajuda a reduzir a potência dos secadores e, além disso, por ser uma aplicação automática, evita contato humano com substâncias químicas.

Sistemas de estamparia 

A Stork Prints um dos principais fornecedores mundiais de tintas, software e máquinas para impressão digital apresentou a nova Sphene com velocidade de até 555 metros quadrados de tecido por hora, com 600 dpi de resolução, oito cores e largura de até 1,85 metros. Com alimentação automática, pode estampar qualquer tipo de tecido, dos mais finos aos mais pesados. Também estava presente na feira a consagrada tecnologia Pegasus EVO, máquina convencional rotativa com sofisticado sistema de estampar que resulta em cores brilhantes em várias nuances como meios-tons, linhas finas e efeitos manchados. A empresa holandesa também apresentou sua gama completa de tintas Flare que pode ser utilizada em todas as máquinas com cabeça de impressão Epson.

Outra empresa líder em tecnologia para estamparia, a austríaca Zimmer, atraiu a atenção dos visitantes exibindo o novo sistema de impressão digital Colaris, Na feira estava produzindo tecidos de algodão de até 3,2 metros de largura, com tintas reativas, resolução de 720 dpi e velocidade de até 1.200 metros quadrados por hora, dependendo da configuração escolhida.

A japonesa Mimaki por sua vez apresentou a mais recente geração de impressoras jato de tinta, modelos Tx400-1800D e Tx400-1800B de alta produtividade e também a nova gama de tintas têxteis pigmentadas especialmente desenvolvidas para a série Tx-400. Destaque ainda para o novo software TIP têxtil (Tasyer Image Processing) e dois novos protótipos: a TX600DS para impressão direta por sublimação, e a TS600SB para impressão com tintas de sublimação em papel transfer para sinalização e vestuário esportivo.

Para impressão sobre tecidos estreitos e fitas de poliéster (15-400 milímetros) o destaque foi a máquina jato de tinta Müprint2 MDP2, da empresa suíça Jakob Müller AG. Equipada com 16 rolos pode imprimir simultaneamente a uma velocidade 4 metros por minuto.

A empresa italiana Reggiani exibiu o mais recente desenvolvimento da série “Renoir”, um modelo compacto, equipada com oito cabeças de impressão de alto desempenho tanto para produção em séria como para pequenos lotes e amostras.

A também italiana MS Printing Solutions, por sua vez, garante que seus sistemas de impressão são abertos, ou seja, podem ser conectados a computadores que rodam com diferentes softwares. Além disso, emprega em suas tintas corantes padrão de grandes fabricantes como Basf, Dupont, DyStar, Huntsman, entre outros. Na ITMA apresentou o modelo JPK, que pode estampar até 370 metros lineares de tecido por hora. O conjunto de cores da máquina suporta impressão tecidos de fibras compatíveis com corantes reativos ou ácidos. 

Produtos Químicos 

Os principais fornecedores de produtos químicos, parceiros direto da indústria têxtil, marcaram presença na ITMA. O grupo CHT/Bezema, que produz corantes e auxiliares, apresentou “soluções ecológicas e econômicas” para as diversas etapas do enobrecimento. Entre os lançamentos, destaque para o redutor Duron of 1812 BR. Aplicado na preparação de fibras polipropileno, o produto viabiliza o processo redutivo de PP-BCF com maior velocidade, quanto à extrusão principalmente dos títulos mais finos. Outras novidades na linha de auxiliares para processos contínuos são o estabilizador de peróxido de hidrogênio Contavance ICE para alvejamento e o tensoativo aniônico Subitol AS 6 com altos índices de lavabilidade e umectação. A empresa apresentou também produtos para processos descontínuos como o Redulit GIN, dispersantes para limpeza de poliéster tinto, eliminando a utilização de hidrossulfito de sódio. No tingimento, a novidade foi a tricomia Bezaktiv S-Matrix 150, que atende a normatização Ökotex standard 100.

A Pulcra Química, fornecedor de produtos para pré-tratamento, tingimento, estamparia e acabamentos especiais, apresentou soluções funcionais para têxteis e vestuário. Destaque para resinas flexíveis de última geração que dão brilho ao tecido. A empresa também fabrica resinas de alta solidez que podem ser aplicadas sobre malhas com elastano e resinas para amaciamento de denim. Outra novidade é a linha Dry Fit para tecidos esportivos e produtos para ensimagem e texturização. A Clariant lançou um pacote com 25 produtos novos para beneficiamento.

Entre os destaques está a última geração de corantes ácidos Lanasyn Flavine F-5G para processo úmido, que garante mais brilho às cores sem comprometer a solidez no tingimento de lã e poliamida. A empresa garante que esta nova classe de corantes é livre de metais pesados. Outra novidade foi apresentada para o segmento de acabamento, visando efeito cosmético. A linha Quiospheres, desenvolvida em parceria com a Lipotec S.A, pode ser aplicada sobre qualquer tecido através da microencapsulação. O produto está disponível em duas versões – Moist Quiospheres com propriedades hidratantes e Quiospheres Slim que confere sensação de frescor e bem-estar à pele.

Brasileiros buscam novos mercados 

A Texima, com sede em São Paulo, fez sua segunda participação na ITMA e, de acordo com Rolando Ruschioni, responsável pela área comercial da empresa, a feira foi muito boa em, termos de negócios. “Fizemos nossa estréia na Inglaterra (Birmigham 2003) e voltamos em Barcelona. Nos últimos dois anos, ficamos focados no mercado brasileiro, mas agora estamos prospectando clientes na Ásia. A Texima hoje já é reconhecida como um potencial fabricante de ramas e de máquinas de tingimento de índigo. A presença na feira reforça nossa imagem”. A empresa não exibiu máquinas, apenas acessórios e uma maquete da Ramosa R4, lançada há dois anos para beneficiamento de malhas, jeans e felpudos. Os elevados custos para expor em feiras internacionais dificultam as ações das companhias brasileiras que querem expor seus produtos. Rolando Ruschioni critica a realidade cambial do Brasil: “é desfavorável às exportações e atrativa aos importadores, devido ao dólar barato. Todavia, não podemos ficar fora de um evento deste porte”, destacou. Além da rama, a Texima divulgou o seu novo secador de esteira para linha de acabamento em úmido e a lavadora TrikoFlex desenvolvida em parceria coma a Benninger AG (Suíça), especialmente para tecidos e malhas elastizados. Também expondo na feira pela segunda vez, a Metal Working, fabricante de máquinas e equipamentos para tinturaria, fundada em São Paulo em 1993, apresentou, em parceria com a francesa Alliance Machinery Textiles, a máquina de tingimento Riviera, de baixo consumo. Segundo o diretor Melquezedeque Nunes de Oliveira, no processo de tingimento, para cada quilo de tecido processado, a máquina consome no máximo três litros de água, sendo indicada para tingir tanto malhas quanto tecidos planos, sintéticos, artificiais e naturais. “Fizemos um contrato de transferência tecnológica no qual pagamos royalties à Alliance para comercializarmos a máquina em toda a América. Esta tecnologia tem sido aperfeiçoada desde seu lançamento da última ITMA, em 2007. Nesta feira de Barcelona estamos oferecendo uma máquina com a menor relação de banho do mercado”, destaca Nunes. Outra tradicional participante da ITMA, expositora desde 1991, a Albrecht, com sede em Santa Catarina, apresentou sua máquina top de linha, a lavadora Aquarius + Hydra AE para malha. O empresário Waldir Albrecht, proprietário da empresa, entretanto, não estava muito otimista com as perspectivas de negócios no mercado internacional. “Na área de beneficiamento têxtil hoje em dia, a estamparia vai bem, mas a tintaria não está atravessando boa fase. Além da grande oferta de fabricantes estrangeiros nesse setor, a situação cambial brasileira é muito desfavorável ao produto brasileiro. É mais fácil e vantajoso importar equipamento do que fabricá-los no país”.

A Ivape, de São Paulo, expôs na ITMA em parceria com a empresa espanhola Laudatec SL, de Barcelona, fabricante de queimadores centrais para aquecimento de ramas e vaporizadores. “Eles estavam procurando representação no Brasil, então começamos a trabalhar juntos em 2011”, informa Carlos Tambellini, diretor da Ivape. Ele explica que os processos de tingimento e acabamento geram uma fonte excessiva de calor, que normalmente é desperdiçada quando a água utilizada nos banhos deve ser esfriada para depois seguir para estação de tratamento. “Por isso, criou-se uma tecnologia para recuperar parte desta energia através de um sistema água-água. Ou seja, o equipamento faz a troca térmica do efluente quente com água limpa para ser depois reutilizada na tinturaria”. Para Tambellini, tão importante quanto fabricar máquinas é pensar num novo conceito de produção que ajude na recuperação de calor nas tinturarias. “Todo mundo só pensa em aumentar as capacidades de produção, mas esquecem do detalhe do custo da energia. O foco da Ivape hoje é a recuperação de calor das tinturarias, fazendo com que nosso cliente reduza gastos com gás, lenha, biomassa, etc.”, ressalta, o empresário, acrescentando que a Laudatec propõe uma solução técnica para recuperação de calor na saída de ramas e secadores. “Esta empresa espanhola já tem know-how na recuperação ar-ar. Agora, a parceria com a Ivape complementa o sistema de energia água-água”. 

DyStar foca estamparia digital e denim 

O mercado de impressão digital têxtil no Brasil vem crescendo cinco vezes por ano desde 2006, quando as primeiras máquinas começaram a ser vendidas no país, atesta Odair Andrade Jr., gerente de negócios da DyStar Brasil, uma das principais fornecedoras mundiais de tintas para sistemas de estamparia. “As primeiras máquinas eram muito lentas e quando foram introduzidas na indústria, foram utilizadas para estampar amostras e lotes muito pequenos. Hoje, a maioria das impressoras digitais já estampa acima de 7 metros de tecido por minuto”, comenta. Segundo ele, inicialmente a melhor performance destas máquinas era obtida em substratos sintéticos. Atualmente, graças ao desenvolvimento de corantes de maior rendimento, as máquinas já trabalham com ácidos para poliamida, reativos para algodão e dispersos para poliéster. Para o mercado têxtil, a DyStar oferece produtos para fiação e engomagem, como óleos lubrificantes de fibras e compounds ecológicos para pré-tratanento que reduzem o número de auxiliares empregados no processo (detergente, estabilizador de peróxido e sequestante). Na ITMA, a DyStar apresentou a solução Sers®Eco Wash para beneficiamento em baixa temperatura, economizando energia e água. Toda gama de produtos novos são na forma líquida para serem bombeados em cozinhas automáticas. Outro lançamento é a linha Lava®Dye para tingimento de denim e malha. Trata-se de corantes reativos para lavanderia que proporcionam efeitos estonadose bicolores. “Com esta solução, pode-se dispensar corantes sulfurosos”, garante Andrade Jr.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

TEXTO: MARCIA MARIANO
FOTOS: MARCIA MARIANO E DIVULGAÇÃO

Data de publicação: 30/08/2012

Conteúdo relacionado


Oerlikon marca presença na feira primeira feira virtual de tecnologia têxtil
A WTiN - World Textile Information Network, editora de conteúdo sobre a indústria de manufatura têxtil global, com sede no Reino Unido, está organizando a Innovate Textile & Apparel, uma feira virtual que ocorrerá de 15 a 30 de outubro de 2020, reunindo fabricantes e fornecedores para a cadeia têxtil.  2020-10-09 - Tags: salao de inovacao tecnologica sala de inovacao de materiais world textile information network oerlikon manmade fibers

Sistema de vapor dinâmico para tingimento de fitas poliamida em processo contínuo
O processo de tingimento em contínuo de fitas poliamida exige condições especiais para a fixação do corante sobre a fibra do fio que compõe a fita, como umidade e temperatura. No sistema fechado (tipo autoclave), é bem mais simples de se conseguir esses parâmetros.  2016-08-09 - Tags: mathis armario vaporizador textilia 101 empresa tecnologia processo de tingimento

Ceará: estratégias para alavancar negócios
A ITT inaugura a seção Note e Anote - Regional, com notícias dos principais polos brasileiros da indústria têxtil e de confecção. Neste primeiro número, a colunista Carol Kossling apresenta notas sobre a região Nordeste.  2016-03-05 - Tags: carol kossling industria textil confeccao regiao nordeste ana flores

Karl Mayer: 7 inovações para a ITMA
Anúncio foi realizado após participação da empresa na Shangaitex, onde foi o destaque do pavilhão 1 com prévias das novidades.  2015-07-24 - Tags: karl mayer malharia urdume itma shangaitex

Primeira classe para levar a moda
O Celote (Centro Logístico Têxtil) uniu-se ao Grupo Sequóia criando uma das mais importantes empresas de logística para o varejo de moda do Brasil. Seu diretor-executivo e criador, Ricardo Conte, conta à ITT Press a história de sucesso deste serviço inovador para o mercado nacional.  2015-03-25 - Tags: itt 97 história de sucesso textil

Indústria que recicla deve ter incentivos
Os retalhos de tecidos descartados podem ser bem reaproveitados para a produção de novos artigos têxteis.  2014-01-13 - Tags: chico sardelli entrevista textilia 90

Eventos motivam cadeia têxtil a investir
Duas feiras realizadas em São Paulo deram impulso para que empresas planejem investimentos  2013-06-27 - Tags: textilia88

Febratex incentiva indústria com tecnologia
Apesar do cenário econômico desfavorável, feira mostrou novidades para incrementar a produção têxtil brasileira.  2013-01-08 - Tags: cotex

Alemães se mostram otimistas com Brasil
Missão de empresários do setor têxtil e confecção visita São Paulo e Santa Catarina para sondagem de mercado.  2013-01-08 - Tags: ahk ricardo castanho

Tratamento de amostras tecidas
Dispor em um espaço amostras têxteis tratadas e organizadas é o objetivo de uma teciteca, como veremos neste artigo.  2012-09-26 - Tags: teciteca suzana zulpo pereira

Panorama da indústria de fibras químicas européia
Este estudo foi apresentado durante o 51º Congresso Dornbirn-MFC, realizado na Áustria em setembro de 2011.  2012-09-24 - Tags: cirfs aquafil

O desenvolvimento da indústria têxtil da China
A situação passada, a atual e uma projeção da indústria têxtil chinesa, após a crise financeira de 2008, é objeto deste estudo.  2012-09-05 - Tags: china mercado externo

Beneficiamento têxtil sustentável
Poupar recursos e energia vai além do apelo de marketing, hoje é questão de sobrevivência do mercado. A crise que hoje afeta as economias no mundo globalizado, não tem provocado apenas sobressaltos nas bolsas de valores, mas também, reflexões sobre a nossa relação com o consumo.  2012-08-30 - Tags: eco applicator monforts

Novos materiais e mais versatilidade
A integração de processos, com máquinas tipo "dois em um", foi destaque na tecelagem e na malharia.  2012-05-30 - Tags: .

Tecnologia têxtil sob medida
“Surpreendente” foi o adjetivo mais utilizado para descrever a 16ª edição da ITMA, realizada pela primeira vez na Espanha.  2012-05-29 - Tags: itma

A revitalização do Vale
Além de Brusque, outros municípios de Santa Catarina também passaram por mudanças nos últimos anos.  2011-11-01 - Tags: haco

A cidade das malhas
A produção têxtil é uma das principais geradoras de riquezas do muncipio de Brusque.  2011-10-31 - Tags: quimisa

Um novo olhar do polo têxtil catarinense
Pesquisa de campo e relatório econômico mostram que produção cresceu, diversificou-se,mas ainda enfrenta problemas conjunturais.  2011-10-31 - Tags: vale do itajai textilfio

Reduzir e reciclar, esta é a receita
A Febratex 2010 mostrou que a busca por processos têxteis mais limpos e eficientes é um caminho sem volta.  2011-09-30 - Tags: febratex

Dragão avança na tecnologia
Ciência e inovação estão mudando o perfil da China desde a reforma política e da abertura em 1978.  2011-09-16 - Tags: fibra china