Language
home » têxtil » mercado » empresas e personalidades

Empresas e Personalidades

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Uma nova imagem do Brasil para o exterior

A Textília entrevistou, com exclusividade, o diplomata Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos, atual presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos  (Apex-Brasil), que, frente ao desafio de um mercado em retração, tem como objetivo dar um salto na promoção comercial e na atração de investimentos estrangeiros para o Brasil, inclusive na área têxtil, de confecção e de acessórios de moda em geral.

Uma das primeiras iniciativas da nova gestão foi o lançamento da campanha “Be Brasil” (Seja Brasil), que visa construir uma imagem positiva do País no exterior. Nascido em 1952 no Rio de Janeiro, Jaguaribe está na carreira diplomática desde 1978. Filho do cientista político e escritor brasileiro Hélio Jaguaribe Gomes de Mattos, é também engenheiro de sistemas graduado pela PUC-RJ. O diplomata explica que, na nova admi- nistração, a Apex-Brasil passou a se reportar ao Ministério das Relações Exteriores, e não mais ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Segundo ele, para o setor têxtil, a atuação continuará focada no programa de fomento das exportações, com atenção à participação em feiras internacionais e projetos que atraiam compradores internacionais. Confira a entrevista:

Textília: Como foi o caminho de trabalho e evolução até chegar à presidência da Apex-Brasil?

Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos: Sou graduado em engenharia de sistemas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Ingressei na carreira diplomática em 1978 e, ao longo dos últimos anos, acumulei experiências em vários órgãos do governo. No exterior, servi mais recentemente como embaixador do Brasil na China, e pouco antes, no Reino Unido. Também fui ministro-conselheiro da Embaixada do Brasil em Washington. Em outros órgãos do governo, já exerci os cargos de presidente do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), secretário de Tecnologia Industrial do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento e Orçamento.

Textilia: Quais são suas metas e objetivos nesse novo momento à frente da Apex-Brasil?

Jaguaribe: Como funcionário público, sempre tive como missão trabalhar pelo Brasil. Esse valor é muito forte na Apex-Brasil também. A equipe da agência é altamente qualificada, e meu objetivo é que consigamos dar um salto na promoção comercial e na atração de investimentos estrangeiros para o País.

Textília: Quais são os principais desafios enfrentados pela sua gestão para o desenvolvimento da Apex-Brasil?

Jaguaribe: No novo governo, a Apex-Brasil passou a se reportar ao Ministério das Relações Exteriores, e não mais ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Essa mudança trouxe um grande ganho para a inserção do Brasil no mercado internacional, tanto em relação às exportações quanto à atração de investimentos estrangeiros. A agência e o MRE trabalhavam de forma paralela, e as iniciativas, em alguns casos, se sobrepunham. Quando passamos a atuar juntos, ganhamos muito mais força. A integração com a rede de postos das embaixadas nos traz mais capilaridade e aumenta exponencialmente a capacidade de encontrar oportunidades de novos negócios para as empresas brasileiras. Por outro lado, a Apex-Brasil, com seu trabalho de inteligência e com as informações obtidas junto aos setores apoiados, tem como municiar os negociadores do ministério que estão buscando mais acordos comerciais para o Brasil. Ao mesmo tempo, a agência auxiliará as empresas a aproveitarem as oportunidades abertas com os acordos, por meio de suas ações de promoção comercial. Toda essa mudança envolve desafios de transição e adaptação, que já estão sendo tratados pelas equipes dos dois órgãos.

Textília Que setores serão priorizados?

 Jaguaribe: A Apex-Brasil apoia, atualmente, 80 setores da economia brasileira, que incluem indústria, serviços e agronegócio. Nas nossas iniciativas, além da promoção comercial e da inteligência comercial, temos trabalhado cada vez mais para a qualificação das empresas, por meio de iniciativas que as estimulam a ganhar competitividade através da sustentabilidade, da inovação e do design. O objetivo é termos setores cada vez mais competitivos, que se inserirão de maneira mais efetiva no mercado internacional.

Textília: Que ações serão implementadas e como será feita a mensuração de resultados?

Jaguaribe: Nos próximos anos, vamos dar destaque ao trabalho de inteligência e monitoramento de mercado da Apex-Brasil. A China será um país que receberá maior atenção da agência nesse sentido, pois precisamos entender melhor o mercado para aproveitar, de forma mais estruturada, as enormes oportunidades que há ali, e o apetite que o país tem pelo Brasil, tanto do ponto de vista de exportação de produtos e serviços quanto da atração de investimentos diretos. Também temos como objetivo atuar na promoção da imagem do Brasil no exterior, no âmbito dos negócios. Nesse sentido, o MRE e a Apex-Brasil lançaram, durante os Jogos Olímpicos, a campanha “Be Brasil”, uma nova narrativa sobre o Brasil no exterior, que buscará construir uma imagem positiva do País ao destacar atributos presentes nos produtos e serviços nacionais, como sustentabilidade, qualidade, inovação e criatividade. Para isso, vamos utilizar como suporte a divulgação de histórias de sucesso e oportunidades de negócios, fazendo uso de ferramentas de comunicação integrada, como relações públicas, publicidade, eventos e ações em mídias sociais. Serão divulgados,por exemplo, a sustentabilidade e a tecnologia presentes no agronegócio e a criatividade e inovação de setores como moda, audiovisual, design, entre tantos outros.

Textília: E especificamente para o setor têxtil?

Jaguaribe: Dentro do programa de fomento às exportações do setor têxtil, atuamos em diversas frentes, aliando eventos de geração imediata de negócios internacionais (como feiras internacionais e projetos compradores) com investimentos em agendas de articulação internacional (essenciais para a busca por mais acordos comerciais relevantes), inteligência comercial e eventos de posicionamento e imagem, tão relevantes para abrir mercados nesse setor. Quanto à mensuração de resultados, devemos manter a sistemática atual, que mede a quantidade de empresas atendidas, quantidade de empresas exportadoras, valores totais exportados, quantidade de destinos das exportações e sua representatividade no total exportado do setor, entre outros pontos. 

Textília: Qual a importância do setor têxtil/confecção para o comércio internacional brasileiro e que metas foram colocadas para ele?

Jaguaribe: Hoje, a exportação do setor têxtil e de confecção do Brasil está concentrada em países da América do Sul, com destaque para Argentina, Paraguai, Uruguai e Colômbia, e para os Estados Unidos, enquanto temos uma participação ainda tímida dentro das cadeias globais de valor. O objetivo da Apex-Brasil, em parceria com a Abit [Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção], as empresas do setor e demais parceiros governamentais e privados, é fortalecer a competitividade do setor, de modo a reforçar e ampliar as exportações em mercados já tradicionais e, ao mesmo tempo, abrir novas oportunidades de inserção internacional em mercados ainda pouco explorados. O Brasil ainda é um dos poucos países que contam com uma cadeia têxtil e de confecção totalmente integrada, que corresponde a 5,7% do PIB da indústria de transformação e é capaz de produzir desde a matéria-prima (fibras naturais e químicas) até o produto final (vestuário e cama, mesa e banho). O setor têxtil e de confecção brasileiro, e as 33 mil empresas que ele reúne, é reconhecido no mercado internacional por seu profissionalismo, criatividade e tecnologia, e também pelas dimensões de seu parque fabril: é a sexta maior indústria têxtil e de confecção do mundo, o segundo maior produtor de denim e o terceiro de malhas. Autossuficiente em algodão, o País produz 5,5 bilhões de peças de vestuário ao ano. Em 2015, o faturamento foi de US$ 36,2 bilhões. Contudo, em escala mundial, a participação do Brasil no setor é ainda muito pequena: menos de 0,5% do total, ocupando a 38ª posição no ranking de exportadores. É como resposta a essa grande oportunidade de fortalecer a participação do Brasil no mercado internacional que a Apex-Brasil realiza, desde o ano 2000, o programa Texbrasil, em parceria com a Abit.

Textília: Como serão trabalhados os acordos comerciais internacionais? Que atividades devem ser realizadas em prol desse desenvolvimento?

Jaguaribe: No caso do setor têxtil, é fundamental buscarmos mais acordos comerciais internacionais com os principais mercados mundiais consumidores de têxtil e de confecção. Além disso, é preciso maior integração entre centros de pesquisa, empresas e governo; aumento de produtividade da indústria; investimentos no desenvolvimento de tecnologia e inovação e o compromisso com a sustentabilidade global. Exemplo de trabalho nesse sentido são os esforços para a melhora de condições concorrenciais, como o acordo com a Colômbia que deve entrar em vigor até o final de 2016, bem como as missões de benchmarking que visam estimular o desenvolvimento de tecnologias dentro das empresas  brasileiras.

Textília: O que podemos esperar para curto, médio e longo prazos em termos de investimentos e de ampliação da exportação?

Jaguaribe: Em relação à exportação, como falei, vamos reforçar a questão da inteligência e manter o foco em qualificação, de forma a agregar novas empresas no esforço exportador e, ao mesmo tempo, reforçar a competitividade das que já exportam por meio de atributos de sustentabilidade, inovação e design. Na questão de investimentos, queremos reforçar nossa atuação como porta de entrada do investidor estrangeiro. A Apex-Brasil funciona como “one stop shop”, já que, aqui, o investidor recebe o primeiro atendimento e é orientado e direcionado para os outros órgãos do governo federal ou estadual que podem auxiliá-lo na implementação de seu projeto.

Textília: Que temas devem ser prioritários nos próximos cinco anos em termos de incentivo à exportação?

Jaguaribe: O agronegócio é um tema prioritário para a Apex-Brasil e um dos focos da campa- nha “Be Brasil”. Vamos trabalhar fortemente a mensagem de tecnologia e sustentabilidade no agronegócio, pois somos um dos maiores produtores agrícolas do mundo e, de longe, o país com agricultura mais sustentável, com maior cobertura vegetal nativa preservada e maiores índices de produtividade, produzindo cada vez mais com menos recursos. Temos uma ação em construção junto ao setor privado, em parceria com Mapa, MRE e Camex, onde vamos trabalhar fortemente na defesa da imagem do agronegócio brasileiro em mercados estratégicos. O Brasil tem uma enorme sustentabilidade na sua produção agroindustrial, mas, no exterior, isso não é percebido. A imagem de devastador de áreas nativas é falsa e pretendemos questioná-la fortemente. Juntos, o governo e as principais entidades do agronegócio brasileiro vão desenvolver programas e ações específicas de ampliação do acesso aos mercados, defesa de interesses nacionais no exterior e comunicação, para posicionar o agronegócio brasileiro por meio da adequada comunicação de seus atributos. Pretendemos, assim, sensibilizar a opinião pública de forma que nossas ações voltadas à defesa dos interesses brasileiros contra barreiras comerciais sejam eficazes e resultem no aumento das exportações brasileiras de maior valor agregado.

Textília: Como o Brasil deve ser retratado no exterior?

Jaguaribe: Acabamos de lançar a campanha internacional “Be Brasil”, que busca promover os negócios brasileiros no exterior, a partir da apresentação de atributos em que o País já é forte, como sustentabilidade, inovação e criatividade. É assim que queremos ser vistos pelos nossos potenciais parceiros de negócios ao redor do mundo. A ideia é divulgar diferenciais ainda pouco conhecidos, como a sustentabilidade e a tecnologia presentes, por exemplo, no agro- negócio, a criatividade de setores como moda, audiovisual e tantos outros produtos e serviços brasileiros, além de evidências de que o País é competitivo globalmente em diversos segmentos.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Gabriel Rajão
Foto: Divulgação

Data de publicação: 15/11/2016

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Oerlikon apresenta soluções para têxteis industriais na Techtextil 2022
A Oerlikon Polymer Processing Solutions apresentará na Techtextil Frankfurt, (Hall 12.0, estande C60), de 21 e 24 de junho, novas aplicações, processos especiais e soluções sustentáveis com foco na produção de têxteis industriais. Serão mostradas tecnologias para de nãotecidos que estabelecem novos padrões no que diz respeito à qualidade e eficiência, concentradas em airbags, cintos de segurança, cord para pneu, geotêxteis, filtros e suas diversas aplicações.  2022-05-20

Incofios recicla 98,43% dos resíduos gerados por quilo de fios produzidos
A Incofios recentemente divulgou o investimento de R$ 150 milhões na construção de um parque fabril no estado do Mato Grosso, para atender a demanda do mercado nacional e internacional de fios 100% algodão. Com a expansão, vem a preocupação de manter ativo o tripé da sustentabilidade, ou seja, o social, ambiental e econômico, caminhando juntos para um futuro promissor.  2022-05-19

Dilo Group apresenta engenharia para nãotecidos na Techtextil Frankfurt
A Techtextil Frankfurt, que acontece de 21 a 24 de junho na Alemanha, é uma importante feira para a indústria têxtil mundial. Para DiloGroup, o evento é uma boa oportunidade para informar clientes e interessados sobre novos desenvolvimentos que visam melhorar as tecnologias de produção de nãotecidos, com foco no sistema de agulhas.  2022-05-18

Edana, 'a voz da indústria de nãotecidos', comemora 50 anos
A Edana – associação que representa a indústria de nãotecidos em toda a cadeia de suprimentos, comemorou seu 50º aniversário como a voz da indústria do setor, com um grande evento em Bruxelas em 28 de abril. O “Nonwovens Get-Together” contou com a participação de mais de 280 membros da entidade e convidados.  2022-05-17

RadiciGroup fecha 2021 com resultados positivos e considera manter plano de investimentos
Com vendas totais de 1.508 milhão de euros, geradas por mais de 30 unidades de produção e vendas na Europa, Ásia e América, o RadiciGroup – com sede na Itália, encerrou seu exercício de 2021 com resultados positivos, apesar das dificuldades devido aos efeitos persistentes da pandemia e o aumento acentuado do custo das matérias-primas e da energia, especialmente durante o final do ano.  2022-05-13

Acimit renova sua identidade corporativa com um novo logotipo e site
A Acimit - Associação dos Fabricantes italianos de Máquinas Têxteis, apresentou sua identidade corporativa renovada, resultado de um esforço colaborativo envolvendo a própria associação e a agência de comunicação Take, que cuidou da reestilagem do logotipo, do novo design de brandbook e do desenvolvimento do novo site da entidade. A nova imagem da Acimit reflete sua alma dinâmica e em evolução.  2022-05-12

Sinditêxtil-SP recebe a maior honraria da Assembleia Legislativa de São Paulo
Entre as atividades que marcam as comemorações de seus 90 anos, o Sinditêxtil-SP foi homenageado com o Colar de Honra ao Mérito Legislativo – a maior honraria conferida pela Assembleia Legislativa de São Paulo. Criado em 2015, é concedido a pessoas naturais ou jurídicas, brasileiras ou estrangeiras, civis ou militares, que tenham atuado de maneira a contribuir para o desenvolvimento social, cultural e econômico do Estado. O ato solene para a outorga do colar foi realizado na Alesp, no dia 9 de maio.  2022-05-11

VDMA realiza circuito de webtalks às vésperas da Techtextil 2022
Em preparação para a Techtextil, que acontece, de 21 a 24 de junho próximo, em Frankfurt, nove empresas associadas à VDMA - Associação de Máquinas Têxteis, da Alemanha, apresentaram seus destaques para o mercado de têxteis técnicos em um evento virtual de lançamento com o tema "Tecnologias sustentáveis para têxteis técnicos". Uma série de webtalks de tecnologia VDMA já estão planejados até a feira, bem como um Spotlight Talks durante o evento.  2022-05-09

Mayer & Cie lança kits de atualização para máquinas circulares
A fabricante alemã de máquinas de malharia circular Mayer & Cie. está lançando seus kits de atualização para máquinas de malharia circulares que já estão em uso pelos clientes. Com pacotes sob medida, a empresa quer dar aos seus usuários a oportunidade de aproveitar o progresso tecnológico em suas máquinas existentes. O objetivo é melhorar o desempenho e estender sua vida útil dos equipamentos, com baixo orçamento.  2022-05-06

Vastex International anuncia novo executivo de vendas
Mark Vasilantone, presidente da Vastex, anunciou o executivo Jon Yankowy como novo Associado de Vendas da Vastex International, nos Estados Unidos. “Jon traz uma ampla experiência em vendas, marketing e design para a Vastex, bem como impressão têxtil prática, permitindo que ajude os clientes a melhorar todos os aspectos de seus negócios”, comenta Vasilantone.  2022-04-27

Teijin Frontier desenvolve calculadora de emissões de CO2 para fibra de poliéster
Teijin Frontier Co., Ltd., empresa de conversão de fibras e produtos do Grupo Teijin, no Japão, desenvolveu um sistema próprio para calcular as emissões de CO2 geradas pelos seu processo de produção de fibra de poliéster. A companhia já começou a usar o sistema para avaliar as emissões da produção de filamentos de poliéster e fibras descontínuas e, gradualmente, expandirá o escopo para incluir produtos têxteis tecidos e tingidos. A empresa também planeja incentivar os parceiros a adotar o sistema.  2022-04-20

Archroma faz parceria com universidade para formação de especialistas em cores
A Archroma anunciou o lançamento de uma colaboração com a Universidade da Carolina do Norte Greensboro (UNCG) e seu departamento de Estudos de Consumo, Vestuário e Varejo (CARS), com o objetivo de aprimorar a educação de seus estudantes na área de especialização em gerenciamento de cores. Os alunos poderão usar os livros do Atlas de Cores da Archroma e os dados digitais como recursos de seleção de cores para uso em diversos projetos e tarefas.  2022-04-14

Andrade Máquinas comemora sucesso na Agreste Tex 2022
Caruaru, uma das cidades mais importantes do polo têxtil pernambucano, recebeu de 29 de março a 1 de abril, a feira de tecnologia têxtil e de confecção Agreste Tex e a Andrade Máquinas, uma das principais empresas de distribuição de máquinas de costura e equipamentos para indústria da moda, participou da feira com exposição de maquinário e com o lançamento do primeiro livro de seu diretor, Mauro Andrada, dentro da programação oficial da área de Conferência do evento.  2022-04-13

Adriana Morasco expande seu cargo de liderança na The Lycra Company
A executiva brasileira, Adriana Morasco, assumiu a responsabilidade por todas as atividades comerciais na América Central e na América do Norte, além da América do Sul - que vinha já ocupando desde 2019, quando entrou na companhia - passando ao cargo de vice-presidente Américas para a Divisão de Produtos para Vestuário. Seu principal objetivo é desenvolver estratégias comerciais e de eficiência operacional, assegurando que os princípios e a cultura da empresa sejam seguidos.  2022-04-12

Tendências sustentáveis na indústria têxtil
A sustentabilidade ganha cada vez mais espaço e relevância em diversos setores e, claro, na indústria têxtil não é diferente. No caso desse setor, o que se torna praticamente essencial é a escolha de materiais, como malhas ou matérias-primas sustentáveis. A Texneo, uma das principais indústrias têxteis no Brasil, está sempre atenta as principais tendências globais e se preocupa com a sustentabilidade em seus processos, por isso, cita alguns pontos de atenção para quem quer abraçar a causa nessa indústria de forma eficiente.  2022-04-11

Epson mostra inovações na maior feira de impressão da América Latina
A Epson levará as suas inovações referência em sustentabilidade e produtividade à aguardada ExpoPrint & ConverExpo 2022, maior feira do setor de impressão industrial da América Latina, realizada a cada quatro anos, que ocorrerá entre os dias 5 e 9 de abril em São Paulo, na Expo Center Norte.  2022-03-30

Andrade Máquinas participa da Agreste Tex 2022
Caruaru, uma das cidades mais importantes do polo têxtil pernambucano, recebe de 29 de março a 1 de abril, a feira de tecnologia têxtil e de confecção Agreste Tex e a Andrade Máquinas, uma das principais empresas de distribuição de máquinas de costura e equipamentos para indústria da moda, participará da feira com exposição de maquinário no stand e com o lançamento do primeiro livro de seu diretor, Mauro Andrada, dentro da programação oficial da área de Conferência do evento.  2022-03-29

Pioneiro da indústria de fibras químicas, Oerlikon Barmag comemora 100 anos
Quando a era das fibras químicas começou há um século, uma empresa alemã foi responsável pelo pioneirismo. A Barmag, fundada em 1922, foi uma das primeiras empresas do mundo a construir máquinas para a produção em larga escala de fibras sintéticas. Até hoje, o fabricante líder de sistemas de extrusão de fibras químicas e máquinas de texturização em Remscheid – marca sob a égide do Grupo Suíço Oerlikon desde 2007 – moldou o progresso tecnológico neste setor; visando um futuro com cada vez mais inovações, com foco em sustentabilidade e digitalização.  2022-03-28

Mayer & Cie. relembra um 2021 de sucesso
Olhando para trás, 2021 foi um ano positivo para a máquina de malharia circular feita em Albstadt pelo fabricante de máquinas alemão Mayer & Cie. Após dois anos difíceis, as vendas da empresa superaram os 100 milhões de euros no ano passado, e as perspectivas para este ano são promissoras, com a produção trabalhando em capacidade total de longo prazo no setor de máquinas de malharia circular e retilíneas. Digitalização, sustentabilidade e modernização são os temas para 2022.  2022-03-25

Sandler AG apresenta solução para isolamento acústico
A Sandler AG, empresa alemã com tradição industrial de 140 anos e especializada em nãotecidos para diversas aplicações, lançou a solução acústica Bluefiber 100% em fibras de poliéster totalmente recicláveis no final de sua vida útil, feitas de garrafas PET recicladas, para design de interiores, residências e espaços de trabalho que necessitam isolar sons e ruídos. O produto pode ser utilizado como elementos de parede ou teto, divisórias e objetos acusticamente absorventes.  2022-03-21