Language
home » têxtil »

Conjuntura

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

O futuro do têxtil chega ao mercado

Em visita ao Brasil este ano, o executivo Giuseppe Gherzi apresentou durante evento do setor em São Paulo uma palestra disputada, falando sobre a indústria 4.0 e o mercado global têxtil e de confecção. À frente da Gherzi, consultoria global com sede na Suíça, sua visão é importante para o mercado porque é baseada em observações e análises feitas sobre dados fidedignos, dando um panorama sobre os rumos tomados pelo mercado têxtil e de confecção no presente  e no futuro. Confira:

Textília: Em sua palestra no Congresso Internacional da Abit, você falou sobre as tecnologias e criações disruptivas. Para o têxtil, o que podemos esperar para o futuro? Ainda é possível (e há tempo) para adaptar as plantas industriais de acordo com a nova realidade de produção?

Giuseppe Gherzi: A questão não é se ainda haverá tempo para adaptar, e sim, se a indústria têxtil realmente poderá sobreviver sem integração dessas novas tecnologias e tendências (exemplo: funcionalização RFID, impressão e acabamentos digitais). Nossa resposta direta é: não! O timing será importante, não pode acontecer da noite para o dia, mas ainda é responsabilidade desta geração abraçar essas novas tecnologias que chegam.

Textília: Como a indústria têxtil irá organizar sua produção nos próximos anos? Ainda há espaço para configurações como a da China ou esse tipo de arranjo produtivo será extinto?

Gherzi: A China continuará a dominar os fios (filamentos e fibras descontínuas) e tecidos (urdidos e malharia) pelas próximas décadas. Nós não vemos nenhum possível país construindo capacidades tão significativas nas próximas décadas. Já nas confecções de vestuários, é outro tipo de jogo e irá aumentar fora da China, para países como Vietnã, Myanmar etc.

Textília: A eficiência na produção passa pela sustentabilidade ou há outro meio produtivo para as plantas industriais têxteis? Será que a sustentabilidade é uma tendência momentânea?

Gherzi: De jeito nenhum, há muitos anos muitas iniciativas foram lançadas para direcionar os aspectos sustentáveis nos químicos usados na cadeia de valores têxteis. Baseado no padrão Oeko-Tex®, introduzido nos anos 90, os produtos se tornaram mais seguros para o consumidor. Ainda assim, devido ao trágico evento em Bangladesh (quando um prédio com várias confecções desabou em 2013, matando mais de 1 mil trabalhadores), marcas e produtores tornaram-se mais conscientes na cadeia de produção de moda.

Textília: Há exemplos dessa consciência?

Gherzi: A campanha Detox, iniciada pelo Greenpeace com o objetivo de desintoxicar a cadeia de valores têxteis pelo mundo, se tornou uma consequência imediata para essa nova visão do consumidor. Até 2020, o Greenpeace lutará para banir 11 diferentes substâncias químicas da cadeia têxtil global, que foram analisadas pela organização como especialmente letais à saúde. Muitas iniciativas seguiram esse conceito, desde especificações para companhias RSL (Restricted Substance Lists ou Lista de Substâncias Restritas) até novos padrões para potências emergentes industriais que foram amplamente discutidos, como o ZDHC (Zero Discharge for Hazardous Chemicals – Descarte Zero para Químicas Perigosas), iniciativa de marcas e confecções internacionais. Marcas e confecções agora estão se tornando mais exigentes em solicitar ações de seus fornecedores, não somente sobre quais substâncias químicas não devem ser utilizadas nos artigos confeccionados, mas também no que não é permitido durante a manufatura de produtos relacionados ao setor têxtil. As consequências – explicadas em filmes como The True Cost, de Andrew Morgan – estão baseadas no apelo para uma produção transparente na "cadeia e, também (especialmente), nos baixos" custos de trabalho para os países de todo o mundo. A gestão da cadeia logística, por meio da ferramenta SCM (Supply Chain Managment Tool), está criando fundações tecnológicas para essa cadeia de suprimentos transparente e para seu controle no futuro.

Textília: A integração vertical ainda é possível neste novo mercado têxtil?

Gherzi: Hoje, ainda há vários produtos têxteis (denim, toalhas e lençóis) que requerem uma integração completa em termos de produção. Com a importante chegada das mudanças na funcionalidade das fábricas, isso pode mudar, especialmente se as cadeias de valores têxteis não abraçarem  as novas tecnologias disruptivas.

Textília: As indústrias de confecção estão preparadas para a revolução da indústria têxtil?

Gherzi: Nossa percepção é que a indústria de vestuário está abraçando com velocidade a chegada da revolução tecnológica. Nossos clientes de vestuário estão investindo em impressão e acabamento digital além de RFID.

Textília: As revoluções tecnológicas no segmento têxtil continuarão como tendência ou vão declinar após este momento criativo?

Gherzi: Nós temos que diferenciar de quais tecnologias estamos falamos. Vamos pegar dois exemplos: fiação – desde o sistema M8300, não houve inovação revolucionária, mas sim uma contínua melhoria e otimização de custos (entre eles, redução de energia) e automação; e impressão 3D – aqui a inovação (especialmente para têxteis) está começando somente agora, especialmente porque duas grandes patentes devem cair (patente dos EUA 5121329, da Stratasy, que expirou em 2009, e a patente dos EUA 5597589, da 3D Systems, que expirou em 2014). Como eu mencionei durante minha palestra no Brasil, há algumas companhias vendendo produtos têxteis feitos na impressora 3D (exemplo, a TamiCare, que produz e vende um não tecido elástico em todas as direções baseado na integração entre elastômeros e fibras  têxteis).

Textília: Há espaço para novas tecnologias empreendedoras ou a indústria já foi tomada por grandes companhias?

Gherzi: No passado, era difícil chegar com modelos de negócios inovadores, levando a uma falta de empreendedores nos têxteis tradicionais. Com uma grande demanda relacionada a têxteis técnicos, ainda há grandes oportunidades. Essa tendência irá ser alimentada pelos têxteis técnicos e ainda há grandes oportunidades de negócios. Eu realmente espero que a indústria têxtil abrace essas ideias, já que, se não o fizermos, teremos que ter integrações poderosas (como a Apple) colocando ainda mais pressão sobre a cadeia de valores têxteis. 

Textília: Como o Brasil deve se comportar nos próximos anos se quiser liderar a indústria têxtil global?

Gherzi: Os esforços devem ser feitos por todos os players em toda a cadeia de valores (incluindo o governo). O que fazer:

  1. Estabilizar a taxa de câmbio, evitando grandes flutuações da moeda;
  2. Estudar maiores incentivos para pesquisa e desenvolvimento e investimentos tecnológicos;
  3. Aumentar serviços JIT (Just in Time) com atacadistas, colocando responsabilidades tanto para produtores quanto para vendedores;
  4. Promover reformas de impostos e trabalhistas;
  5. Promover investimentos em infraestrutura e áreas críticas;
  6. Acelerar o FTA (Tratado de Livre Comércio) com grandes mercados consumidores (como Estados Unidos e União Europeia). De acordo com o departamento de promoção de exportações, o Brasil é completamente isolado do mercado internacional de bens manufaturados;
  7. Ajustar os elos de toda a cadeia têxtil, começando na fibra até o mercado consumidor final;
  8. Promover investimento em áreas estratégicas do têxtil, como produção de fibras de viscose (a competitividade da celulose no Brasil está disponível);
  9. Promover a conclusão da planta poliéster em Suape (PE), para que a oferta de produção e consumo atenda ao Brasil e ao mundo.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Gabriel Rajão
Foto: Divulgação

Data de publicação: 15/11/2016

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Chile conclui negociações para acordo de livre comércio com o Brasil
Após quatro rodadas de negociações, iniciadas em junho deste ano, foram concluídas, na última semana em Santiago, as negociações para a obtenção de um Acordo de Livre Comércio (ALC) entre o Chile e o Brasil. Trata-se de um documento de nova geração que inclui disciplinas modernas que regulam e facilitam o comércio internacional.  2018-10-30 - Tags: acordo de livre comercio chile brasil sebastián pinera rodrigo yanez importacoes exportacoes comercio exterior

Produção mundial de fios e tecidos diminuiu em 2018
Relatório da ITMF (International Textile Manufacturers Federation), divulgado em agosto deste ano, informa que a produção mundial de fios diminuiu (-9%) entre quarto trimestre de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.  2018-10-23 - Tags: international textile manufacturers federation itmf producao global de tecidos fios tecidos

Resolução define novo cronograma de implantação do eSocial
Empresas com faturamento inferior a R$ 78 milhões em 2016, não optantes pelo Simples, devem estar atentas ao início da segunda fase do eSocial. A partir desta quarta-feira (10), os empreendimentos que integram esse grupo devem informar os dados dos trabalhadores, bem como os seus vínculos empregatícios ao sistema.  2018-10-11 - Tags: esocial projeto esocial ministerio do trabalho comite diretivo do esocial

Desemprego no setor têxtil e de confecção se acentua em agosto
A indústria têxtil e de confecção registrou fechamento de 2.738 vagas no mês de agosto, conforme apontou o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, divulgado na última sexta-feira (21). No acumulado do ano, o resultado também é negativo, indicando 1.914 demissões, contrariando a expectativa de criação de novos postos de trabalho.  2018-09-28 - Tags: caged abit ministerio do trabalho ibge industria têxtil desemprego confeccao

Empresas brasileiras projetam crescimento modesto para 2018
Mesmo com o cenário desafiador, em decorrência da incerteza associada com o momento político-econômico, as empresas brasileiras de médio porte continuam mostrando otimismo e apostam na melhoria de seu desempenho para este ano. Isso é o que mostra o Growth Barometer, estudo realizado pela consultoria EY (Ernst & Young) com executivos de mais de uma centena de empresas brasileiras.  2018-08-17 - Tags: ernst & young growth barometer conjuntura industria textil brasil leonardo donato

Guerra comercial EUAxChina aumentará pressão no governo brasileiro
A tensão comercial global e o cenário de guerra entre os Estados Unidos trazem uma pressão extra para o novo governo brasileiro eleito em outubro. A Câmara Americana de Comércio (Amcham) entrevistou 130 executivos de empresas com operação no Brasil e identificou que 66% deles já trabalham com cenário de risco e impacto econômico e comercial nos negócios do País.  2018-08-03 - Tags: amcham deborah vieitas camara americana mercosul eua china

Em carta CNI defende acordo entre Mercosul e Aliança do Pacífico
A Confederação Nacional da Indústria (CNI), entidade que representa a indústria brasileira, enviou uma carta ao embaixador Paulo Estivallet de Mesquita, Subsecretário-geral da América Latina e do Caribe do Ministério das Relações Exteriores, em que defende o aprofundamento da agenda de acordos comerciais entre o Mercosul e a Aliança do Pacífico.  2018-07-25 - Tags: confederacao nacional da industria ministerio das relacaes exteriores alianca do pacifico paulo estivallet de mesquita cni

Aplicativo do MTE aproxima empregador e trabalhador
O Sine Fácil Empregador, lançado na quarta-feira (23/05) pelo ministro do Trabalho, Helton Yomura, é um dos destaques das ações de governo para estimular o emprego no país, cujo pacote inclui novas estratégias de expansão do Programa de Microcrédito e intensificação de cursos online para qualificação do trabalhador.  2018-05-25 - Tags: pnmo ministerio do trabalho helton yomura programa de microcredito sine facil empregador

Brasil concede mais de 25 mil autorizações de trabalho para estrangeiro em 2017
O Ministério do Trabalho concedeu 25.937 autorizações de trabalho para estrangeiros em 2017, sendo 24.294 autorizações temporárias e 1.006, permanentes. Os Estados Unidos ocupam o topo do ranking entres os países emissores de mão de obra estrangeira para o Brasil, com 5.098 autorizações de trabalho.  2018-03-16 - Tags: ministerio do trabalho conjuntura brasil mercosul america latina obmigra cnig hugo gallo

Cresce investimentos em São Paulo e indústria lidera tomada de crédito
A economia do Estado de São Paulo está se recuperando mais rápido do que se previa. É o que mostra o balanço anual da Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP). A instituição financiou 25% mais em 2017 do que em 2016, registrando R$ 352,7 milhões em desembolsos no período.  2018-02-27 - Tags: sustentabilidade inovacao desenvolve sp milton luiz de melo santos industria conjuntura mercado

Produção do setor têxtil e de confecção aponta recuperação
A produção física do segmento têxtil cresceu 4,2% e da confecção, 5,5%, nos quatro primeiros meses do ano comparado com o mesmo período de 2016. Os dados, que são elaborados pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), reafirmam a tendência de recuperação que se verifica no setor.  2017-08-23 - Tags: producao textil confeccao recuperacao abit segmento

Últimos bens da Suape Têxtil serão leiloados por R$ 7,1 milhões
Os últimos bens da extinta Suape Têxtil - fábrica que funcionou durante 20 anos no Cabo de Santo Agostinho - vão a leilão nos dias 31 de agosto e 11 de setembro.  2017-08-22 - Tags: suape textil leilao milhoes bens falencia inova leilao

Senac Moda Informação promove laboratório sobre design de superfície têxtil no SMI
A novidade compõe a programação do evento e será comandada por Joy Pires, integrante do Fashion Futures Brasil  2017-08-15 - Tags: senac moda informacao laboratorio superficie textil smi evento programacao joy pires

Haco apoia WGSN Futures em São Paulo
O WGSN Futures é um evento mundial, com edições já realizadas nas cidades de Hong Kong, Londres e São Paulo, e ainda ocorrerá também em Tóquio e Nova Iorque.  2017-08-10 - Tags: haco wgsn patrocinio apoio hong kong londres sao paulo toquio nova iorque

João Braga toma posse na academia brasileira de moda
Professor da FAAP assumiu a cadeira 39, cujo patrono é Caio de Alcântara Machado  2017-08-07 - Tags: joao braga academia brasileira de moda patrono caio de alcantara machado

Stäubli completa 125 anos de paixão pela inovação
Depois de iniciar uma pequena oficina em 1892, a Stäubli tornou-se um parceiro industrial líder em soluções e tecnologias mecatrônicas de alta qualidade. Com três atividades dedicadas - Conectores, Robótica e Têxtil - A Stäubli é valorizada por clientes industriais em todo o mundo por seus produtos de alta qualidade e tecnologias de ponta.  2017-08-02 - Tags: staubli aniversario 125 anos paixao inovacao clientes tecnologia textil conectores robotica qualidade ponta

Rodrigo Siza assume diretoria regional Lectra para Espanha e Portugal
Rodrigo Siza desenvolverá novas sinergias regionais para apoiar empresas locais de moda, automotivo e móveis  2017-08-01 - Tags: lectra diretoria espanha portugal regional rodrigo siza moda automotivo moveis

Marca Premium será lançada na Outdoor Retailer USA
A NILIT, líder mundial de fibras têxteis em nylon, lançará sua marca Sensil® na feira Outdoor Retailer, em Salt Lake City (EUA). A marca representará o Nylon 6.6 premium da NILIT, e surgiu após estudos sobre as mudanças no varejo, as necessidades e percepções dos consumidores.  2017-07-26 - Tags: nilit fibras texteis nylon salt lake city marca sensil

Grupo Itema Lança Estratégia de Diversificação
Grupo Itema adquire participação majoritária na Lamiflex e participação minoritária na Noecha  2017-07-20 - Tags: itema estrategia diversificacao noecha lamiflex participacao majoritaria minoritaria

Lectra e Armani incentivam jovens talentos de modelagem
A Lectra reforça o vínculo entre a criatividade dos alunos e o mundo da moda com a premiada competição na escola de moda italiana Istituto Secoli  2017-07-19 - Tags: lectra istituto secoli armani jovens talentos escola italia