Language
home » têxtil »

Conjuntura

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Indústria têxtil debate desafios de mercado no Vietnã

Pressão do varejo sobre a produção têxtil, sutentabilidade versus poder de compra do consumidor e disputa de mercado entre produtores de fibras sintéticas e de algodão foram os principais temas debatidos na conferência anual da International Textile Manufacturers Federation (ITMF). O evento da principal entidade representativa do setor aconteceu entre os dias 04 e 06 de novembro, no Hotel Melia Hanoi, capital do Vietnã. O pequeno país do Sudeste Asiático desponta como substituto da poderosa vizinha China na produção e exportação de têxteis e vestuário, graças aos salários baixos e jornada de trabalho execessiva. Dividida em duas partes – Fibras Naturais e Fibras Sintéticas,  a sessão plenária contou com especialistas internacionais que apresentaram, em palestras e debates, um panorama atual do mercado  têxtil/confecção.


Varejo e sustentabilidade

O Painel do Algodão, um dos mais representativos da Conferência, focou em vários aspectos da sustentabilidade, a partir de seu papel crescente no marketing de varejo e para os desafios que a indústria enfrenta no desenvolvimento de uma cadeia de suprimentos sustentável. O primeiro palestrante, Robert Antoshak, da Olah Inc., dos Estados Unidos, abordou a relação entre a produção de algodão, a indústria têxtil e a influencia do varejo. Segundo ele, apesar de estarem tecnicamente no final da longa cadeia produtiva, os varejistas são cada vez mais decisivos  no sucesso de um produto junto ao consumidor. Antoshak reconheceu que a sustentabilidade, que costumava ser considerada uma preocupação apenas para os plantadores e beneficiadores de algodão, hoje é tema de interesse também dos que estão do lado de dentro do balcão.  “A capacidade de oferecer produtos ‘verdes’ é um fator de sucesso ao nível do varejo. Se os varejistas acreditarem e rotularem um produto na loja como ambientalmente amigável, a influência sobre a demanda dos consumidores será imediata”, disse. 

O espanhol Antonio Vidal Esteve, do grupo suiço ECOM Cotton, fez uma apresentação apaixonada do Better Cotton Initiative (BCI) organização global que atua em prol do desenvolvimento da cotonicultura sustentável.  " As pessoas podem debater sobre o significado de ser  verde, mas no fim, isso não importará, porque a percepção é a realidade do consumo. Se os compradores acreditam nisto, basta. É o que está acontecendo hoje com a demanda“. 

Esteve apontou que é um equívoco considerar o BCI uma organização não governamental (ONG), quando na verdade foi criado por varejistas com visão de futuro como o IKEA, Levi’s, Adidas e H&M. "Essas empresas não precisam realmente do BCI hoje, mas eles estão vendo que produção sustentável não é uma questão só do algodão. É um problema da indústria têxtil, que terá de encontrar uma solução, assim como as cadeias de fornecimento de commodities fizeram”, concluiu o executivo.

Para Andrew Macdonald, diretor da Amcon Consultoria e moderador do Painel, um dos maiores desafios do BCI tem sido a confusão sobre o uso do termo melhor produto. "É fundamental que as pessoas percebam que melhor não se refere à qualidade, mas sim, às melhores práticas de produção”. Antonio Esteve acrescentou: "O objetivo do BCI não é dizer que um tipo de algodão é superior a outro, e sim, promover melhores práticas sustentáveis,  em todos os aspectos da cadeia de fornecimento”.

A apresentação final deste Painel ficou por conta de Richard Shaw, da Bayer CropScience, que apontou uma série de desafios que a indústria enfrentará no desenvolvimento de uma cadeia de fornecimento sustentável de algodão. Entre eles estão a falta de protocolos universalmente aceitos, a ausência de normas oficiais para a certificação do algodão, a falta de consenso sobre verificação por terceiro, etc. Shaw lembrou que enfrentar esses e outros desafios para manter a industria sustentável não será fácil  e nem barato. " Isto Implicará em custos inerentes às grandes mudanças, como por exem,plo, a remuneração adicional (preço mais caro) que será necessária em vários pontos da cadeia de abastecimento", disse Shaw, acrescentando:  "É algo que simplesmente temos que aceitar, desde o início, se quisermos que a nossa indústria se torne mais sustentável."


Fibras sintéticas

Na segunda parte da Conferencia da ITMF, o debate foi sobre fibras químicas. Peter Driscoll, da PCI Fibre, disse que o aumento da participação das fibras sintéticas ou artificiais no mercado global deve-se ao crescente uso de produtos sintéticos, além das aplicações têxteis tradicionais. O palestrante observou que o crescimento das fibras químicas no setor também se deve à volatilidade que a  indústria do algodão tem experimentado nos últimos anos. "Essa volatilidade nos preços parece ter refletido um pânico sobre a oferta do algodão. Algumas marcas de varejo disseram que estão fazendo um grande esforço para se afastarem de produtos feitos com fibras de algodão, porque não podem suportar a idéia de ficar sem suprimentos”.

Driscoll disse ainda que a indústria de fibras sintéticas levou de seis a nove meses para se ocupar da demanda desasistida, devido aos preços do algodão que dispararam no mundo, provocando carência de fibras e fios. Porém, admite que essa defasagem é apenas parte do negócio. "De modo geral, o mercado tende a ser muito bom. O que não é boa é a reação da indústria de fibras para com os  altos e baixos da demanda”. Driscoll citou um exemplo instigante: “ Um varejista, por exemplo, pode detectar um aumento na venda de camisas verdes, e decidir que este produto agora é ‘in’. O que vai acontecer? Ele vai solicitar um grande número deste produto do seu fornecedor. O mercado, então, tornar-se-á saturado porque a procura antecipada foi distorcida por esta demanda. Mas esse é o jeito que o negócio têxtil funciona, e sempre será assim. Cabe a indústria  saber conviver com esta sazonalidade”.

O indiano Madhu Suthanan, do grupo Reliance Industries, fez sua apresentação no final do Painel de Fibras Sintéticas, concentrando-se sobre as vantagens oferecidas pela economia do poliéster.. "O poliéster não é só a mais acessível das fibras têxteis em termos de preço. Também teve os mais baixos níveis de volatilidade nos últimos anos. Além disso, fornecedores de poliéster possuem capacidade de escala para vários níveis de demanda, um problema que é muito mais difícil quando se trata de produção de  fibra natural”.  Suthanan salientou que há uma correlação de 98% entre o PIB e a demanda de fibras têxteis, e que a economia global caminha para a recuperação. Nesse sentido, o poliéster deverá ser o maior beneficiário, respondendo por 65% do crescimento da demanda nos próximos anos.De acordo com suas previsões, os filamentos de poliéster, que representaram menos de 10% do consumo global têxtil em 1980, deve aumentar sua participação em 50% até 2020.

 

Têxteis versus eletrônicos

Nos foruns da ITMF, sempre há muita discussão sobre a competição entre algodão e fibras sintéticas. As duas indústrias que abastecem a cadeia têxtil lutam por cada fatia de mercado, visando garantir  sua rentabilidade. Mas, de acordo com os analistas,  a maior ameaça para a viabilidade futura do algodão não é o raiom, o náilon ou o poliéster  é o telefone celular, ou seja, as novidades eletrônicas que vêm atraindo  os consumidores. Além disso, há também os gastos com educação, saúde, alimentação e o combustível que tendem  a representar a principal preocupação das famílias. Essa foi a principal mensagem passada por Mark Messura, da Cotton Incorporated (EUA), na conferencia ITMF. "Sem dúvida, a competição entre algodão e fibras sintéticas é intensa, mas a real preocupação para todos nós da indústria têxtil é que hoje as pessoas têm cada vez mais despesas. Nos Estados Unidos, por exemplo, a participação do vestuário nos gastos totais dos consumidores caiu de 5,7% em 1989, para 4,7% em 1999 e para 3,5% em 2011. Ao mesmo tempo, as despesas com saúde cresceram de 5,1% para 5,3% e depois, para 6,7% durante esse período”, destacou.

Finalmente, no que diz respeito ao meio ambiente e sustentabilidade, fatores que são apontados  por muitos como cruciais na hora da decisão de compra,  Mark Messura diz que é mais uma questão da cadeia de fornecimento têxtil do que exigência de mercado: “Uma pesquisa realizada pela Cotton Incorporated mostra que poucos consumidores estão dispostos a pagar um preço alto por roupas ou têxteis lar ecológicos, ou seja, orgânicos, sustentáveis, recicláveis ou biodegradáveis. Cerca de 27% dos consumidores dizem que se esforçam em encontrar um vestuário ‘verde’, que respeite o meio ambiente. Porém,  esse número é menor do que foi há cinco anos. O que mostra que o  ‘verde’ não é um fator decisvo para os consumidores. Na realidade, ele está realmente se tornando menos importante na hora das compras”, senteciou.

 

A bola da vez

No encontro de Hanoi, não foram debatidos, com tanta ênfase, outras questões relevantes que envolvem a cadeia têxtil mundial como tecnologia, mão de obra e relações comerciais. Talvez porque o  Vietnã seja visto com certa preocupação por parte de outros países competidores no mercado global. Ultimamente, os vietnamitas têm sido exportadores têxteis e de vestuário bastante competitivos, conquistando espaço no mercado norte-americano e europeu. Todavia, há também contra eles denúncias de uso de mão de obra infantil, salários aviltantes (cerca de U$ 0,28 centavos por hora para costureiras) e condições de trabalho degradantes.  

Embora os dois países asiáticos, China e Vienã, mantenham uma rivalidade histórica, para alguns observadores, o Vietnã, também sob regime comunista e fechado, está trilhando o caminho de sucesso chinês, ou seja, investimento estatal na indústria para atrair empresas internacionais, interessadas em investir na economia local, usando mão de obra farta e barata. 

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Edição: Marcia Mariano
Fotos: Divulgação
Fonte: ITMF

Data de publicação: 09/11/2012

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Brasileiro mostra otimismo e espera melhora da economia para 2020
A nova edição da pesquisa Perspectivas 2019: ‘Expectativa dos Brasileiros com o Cenário Econômico e Social”, realizada pela parceria ACREFI/Kantar, aponta que o brasileiro demonstra otimismo mais consciente e espera melhora da economia a partir do 2º Semestre de 2020. Se nos últimos três anos o levantamento mostrava que 17% estavam propensos a fazer um financiamento, atualmente o percentual saltou para 45%.  2019-11-14 - Tags: kantar perspectivas 2019 acrefi hilgo gonçalves conjuntura perspetiva de mercado

Prefeitura de São Paulo divulga estudo sobre indústria da moda e suas potencialidades
A Prefeitura de São Paulo divulgou nesta terça-feira, 22 de outubro, um estudo realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, que mostra que a indústria da moda no município teve um aumento de 4,9% na geração de empregos de 2012 a 2017.  2019-10-23 - Tags: sao paulo prefeitura estudo secretaria de desenvolvimento economico e trabalho industria moda geraçao de empregos

Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial cresce em agosto
O resultado do Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial para o mês de agosto apresentou crescimento de 18,3% na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. O índice é baseado na intenção da indústria em lançar novos produtos no mercado e mostra que houve aumento na atividade no mês de agosto, inclusive no setor têxtil.  2019-09-06 - Tags: indice gs1 brasil de atividade industrial gs1 brasil 4e consultoria virginia vaamonde organizacao multissetorial conjuntura

Primeiro semestre frustra expectativas do setor têxtil e confecção
A produção têxtil brasileira caiu 1,3% no primeiro semestre de 2019 (jan-mai) em comparação ao mesmo período de 2018. O varejo de vestuário também apresentou queda (-0,2%) e a produção de confeccionados ficou estável positivamente (+0,65%).  2019-08-05 - Tags: textil confeccao abit fernando pimentel resultado 2019 balanco textil negocios conjuntura

ITMF divulga embarques de máquinas têxteis em 2018
A 41ª Estatística Anual da Textile Machinery Shipment Statistics (ITMSS), divulgada pela ITMF (International Textile Manufactures Federation), aponta que houve aumento nos embarques de máquinas para fiação e teares, enquanto que malharia circular e máquinas eletrônicas de tricô apresentaram queda em 2018.  2019-07-23 - Tags: maquinas de acabamento malharia circular retilinea maquinas de tecer texturizadoras filatorios

Sinditec participa do lançamento da Frente Parlamentar da indústria têxtil e de confecção
O presidente do Sinditec – sindicato que representa o setor têxtil de Americana e Região, Dilézio Ciamarro, participou no dia 9 de maio do lançamento da Frente Parlamentar Mista José Alencar para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecção, liderada pelo Deputado Federal Marcos Pereira (PRB/SP) e pelo Senador Esperidião Amin (PP/SC).  2019-05-10 - Tags: sinditec dilezio ciamarro frente parlamentar mista jose alencar abit

Setor têxtil frustra expectativas no primeiro trimestre
A indústria têxtil abriu o ano com produção em queda de – 5,5% em relação a janeiro de 2018. No setor de confecção o desempenho também foi ruim, -2,3%. O único dado destoante foi o crescimento do emprego no setor, com a criação de 15.324, entre janeiro e fevereiro de 2019.  2019-04-05 - Tags: confeccao industria textil politicas industriais e economicas da abit renato jardim governo bolsonaro

Coalizão Indústria se encontra com Presidente Bolsonaro e equipe econômica
A Coalizão Indústria, grupo formado por 11 entidades setoriais, incluindo a Abit- Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção, se reuniu, no dia 25 de março, com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, e com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, para uma avaliação do andamento da Agenda Brasil, defendida pela indústria nacional.  2019-03-29 - Tags: coalizao industria abit paulo guedes jair bolsonaro onyx lorenzoni reforma da previdencia abicalcados

Setor de máquinas encerra 2018 com crescimento de 7,1%
Após cinco anos consecutivos de queda na receita dos fabricantes de máquinas e equipamentos, que levou o setor a encolher 47% no período, o ano de 2018 encerrou com crescimento de 7% em relação a 2017. Os dados foram divulgados ontem (29/01) pala Abimaq, entidade que representa a indústria brasileira de bens de capital.  2019-02-01 - Tags: abimaq maquinas texteis balanco 2018 resultado 2018 maquinario no brasil fabricantes de maquinas e equipamentos

Chile conclui negociações para acordo de livre comércio com o Brasil
Após quatro rodadas de negociações, iniciadas em junho deste ano, foram concluídas, na última semana em Santiago, as negociações para a obtenção de um Acordo de Livre Comércio (ALC) entre o Chile e o Brasil. Trata-se de um documento de nova geração que inclui disciplinas modernas que regulam e facilitam o comércio internacional.  2018-10-30 - Tags: acordo de livre comercio chile brasil sebastián pinera rodrigo yanez importacoes exportacoes comercio exterior

Produção mundial de fios e tecidos diminuiu em 2018
Relatório da ITMF (International Textile Manufacturers Federation), divulgado em agosto deste ano, informa que a produção mundial de fios diminuiu (-9%) entre quarto trimestre de 2017 e o primeiro trimestre de 2018.  2018-10-23 - Tags: international textile manufacturers federation itmf producao global de tecidos fios tecidos

Resolução define novo cronograma de implantação do eSocial
Empresas com faturamento inferior a R$ 78 milhões em 2016, não optantes pelo Simples, devem estar atentas ao início da segunda fase do eSocial. A partir desta quarta-feira (10), os empreendimentos que integram esse grupo devem informar os dados dos trabalhadores, bem como os seus vínculos empregatícios ao sistema.  2018-10-11 - Tags: esocial projeto esocial ministerio do trabalho comite diretivo do esocial

Desemprego no setor têxtil e de confecção se acentua em agosto
A indústria têxtil e de confecção registrou fechamento de 2.738 vagas no mês de agosto, conforme apontou o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, divulgado na última sexta-feira (21). No acumulado do ano, o resultado também é negativo, indicando 1.914 demissões, contrariando a expectativa de criação de novos postos de trabalho.  2018-09-28 - Tags: caged abit ministerio do trabalho ibge industria têxtil desemprego confeccao

Empresas brasileiras projetam crescimento modesto para 2018
Mesmo com o cenário desafiador, em decorrência da incerteza associada com o momento político-econômico, as empresas brasileiras de médio porte continuam mostrando otimismo e apostam na melhoria de seu desempenho para este ano. Isso é o que mostra o Growth Barometer, estudo realizado pela consultoria EY (Ernst & Young) com executivos de mais de uma centena de empresas brasileiras.  2018-08-17 - Tags: ernst & young growth barometer conjuntura industria textil brasil leonardo donato

Guerra comercial EUAxChina aumentará pressão no governo brasileiro
A tensão comercial global e o cenário de guerra entre os Estados Unidos trazem uma pressão extra para o novo governo brasileiro eleito em outubro. A Câmara Americana de Comércio (Amcham) entrevistou 130 executivos de empresas com operação no Brasil e identificou que 66% deles já trabalham com cenário de risco e impacto econômico e comercial nos negócios do País.  2018-08-03 - Tags: amcham deborah vieitas camara americana mercosul eua china

Em carta CNI defende acordo entre Mercosul e Aliança do Pacífico
A Confederação Nacional da Indústria (CNI), entidade que representa a indústria brasileira, enviou uma carta ao embaixador Paulo Estivallet de Mesquita, Subsecretário-geral da América Latina e do Caribe do Ministério das Relações Exteriores, em que defende o aprofundamento da agenda de acordos comerciais entre o Mercosul e a Aliança do Pacífico.  2018-07-25 - Tags: confederacao nacional da industria ministerio das relacaes exteriores alianca do pacifico paulo estivallet de mesquita cni

Aplicativo do MTE aproxima empregador e trabalhador
O Sine Fácil Empregador, lançado na quarta-feira (23/05) pelo ministro do Trabalho, Helton Yomura, é um dos destaques das ações de governo para estimular o emprego no país, cujo pacote inclui novas estratégias de expansão do Programa de Microcrédito e intensificação de cursos online para qualificação do trabalhador.  2018-05-25 - Tags: pnmo ministerio do trabalho helton yomura programa de microcredito sine facil empregador

Brasil concede mais de 25 mil autorizações de trabalho para estrangeiro em 2017
O Ministério do Trabalho concedeu 25.937 autorizações de trabalho para estrangeiros em 2017, sendo 24.294 autorizações temporárias e 1.006, permanentes. Os Estados Unidos ocupam o topo do ranking entres os países emissores de mão de obra estrangeira para o Brasil, com 5.098 autorizações de trabalho.  2018-03-16 - Tags: ministerio do trabalho conjuntura brasil mercosul america latina obmigra cnig hugo gallo

Cresce investimentos em São Paulo e indústria lidera tomada de crédito
A economia do Estado de São Paulo está se recuperando mais rápido do que se previa. É o que mostra o balanço anual da Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP). A instituição financiou 25% mais em 2017 do que em 2016, registrando R$ 352,7 milhões em desembolsos no período.  2018-02-27 - Tags: sustentabilidade inovacao desenvolve sp milton luiz de melo santos industria conjuntura mercado

Produção do setor têxtil e de confecção aponta recuperação
A produção física do segmento têxtil cresceu 4,2% e da confecção, 5,5%, nos quatro primeiros meses do ano comparado com o mesmo período de 2016. Os dados, que são elaborados pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), reafirmam a tendência de recuperação que se verifica no setor.  2017-08-23 - Tags: producao textil confeccao recuperacao abit segmento