Language
home » têxtil »

Conjuntura

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Exclusivo: Honduras lidera a caminhada rumo ao futuro

No Brasil, a indústria de confecção tem sofrido um revés nos últimos dez anos, massacrada pela competição não isonômica, altas taxas tributárias, complexidade do sistema contratual e falta de investimento governamental. Mas a realidade do segmento, que vinha sendo controlado habilmente pelos países asiáticos, é completamente diferente não muito longe daqui, no próprio continente americano: a América Central. É dali que surge a boa revolução industrial que deve guiar as relações produtivas nos próximos anos, uma confecção sustentável, que produz a própria eletricidade, garante direitos trabalhistas e valoriza, acima de tudo, uma atenção à produçãohumana e ultramoderna.À frente do processo de evolução está o governo federal hondurenho, comandado pelo presidenteJuan Orlando Hernández, que inaugurou em 2016 o ousado Programa Nacional de Generación de Empleo y Crecimiento Económico Honduras 20/20, ou, simplesmente, Honduras 20/20. A Textília foi o único veículo nacional presente na inauguração do evento, convidado pela Asociación Hondureña de Maquiladores (AHM – Honduras), dedicada a promover a produção industrial naquele país.Honduras 20/20 é uma parceria público-privada como há muito não se via na região, tendo do lado empresarial a representação do empresário Jesus Canahuati, à frente da indústria Elcatex e um dos mais influentes diretores da AHM (veja entrevista exclusiva com ele nesta reportagem).

Após a articulação de Dom Jesus, como é conhecido, o trabalho terá a continuidade de Mario Canahuati, seu irmão, que disse ao jornal local La Prensa que espera duplicar a exportação de cinco áreas-chave (turismo, têxtil, manufaturas e serviços de apoio a negócios + agrobusiness em um segundo momento) de 9 para 18 bilhões de dólares.O ousado plano passa por detalhamentos já conhecidos no Brasil (o próprio nome Honduras 20/20 remete ao ano de 2020, uma meta de crescimento total que lembra o famoso “50 anos em 5” de Juscelino Kubitschek). Além de duplicar a exportação, o principal objetivo e a propaganda central para os próximos cinco anos (contando-se 2016) é criar 600 mil empregos – algo fundamental para uma população de 8,6 milhões de pessoas, com 42% de população economicamente ativa e 51% de taxa de desemprego, segundo dados do Instituto Nacional de Estadística de Honduras (INE).“Já representamos 236 mil empregos diretos somente no turismo, mas temos muito ainda que crescer e possibilidades de avanço até duplicando esse total. O governo e o setor privado trabalhando juntos é a segurança de que este projeto funcionará”, diz Emilio Silvestre, diretor do Sistema Hondurenho de Turismo.

Setor têxtil

A escolha das áreas-chave de investimento e a aplicação das estratégias de investimento no país tiveram o apoio graças à baixa taxa de inflação; as exportaçõesestão aceleradas e a nação está positivamente em um momento de altos investimentos em infraestrutura e tecnologia, colocando o país em número um nas vendas de camisetas de algodão para os Estados Unidos e na segunda colocação no fornecimento de moletons para a terra de Tio Sam. O segredo deste sucesso? Consecutivos tratados de livre comércio com a América do Norte, União Europeia, Taiwan, Colômbia, Chile, Peru e Centro-América, que colocam seus 17 parques industriais na vanguarda de produção com qualidade, express lead time, preço competitivo e sustentabilidade, alcançando consumidores de mais de 40 países”.Eu acompanhei Karina em visitas às indústrias locais, produções voltadas quase em sua maioria para “private label”, e plantas manufatureiras de grandes marcas mundiais. São mais de 70 fábricas de confecção e 20 plantas têxteis com volumes da consultoria internacional McKinsey. O detalhamento das descobertas da consultoria sobre o setor têxtil hondurenho foi descrito no Portal Textília.net em reportagem de Karina Rodrigues, na qual a repórter indica: “a matemática é simples e perfeita, tendo em vista o cenário macroeconômico muito favorável: sua economia vem crescendo mais de 3% ao ano, graças à baixa taxa de inflação; as exportaçõesestão aceleradas e a nação está positivamente em um momento de altos investimentos em infraestrutura e tecnologia, colocando o país em número um nas vendas de camisetas de algodão para os Estados Unidos e na segunda colocação no fornecimento de moletons para a terra de Tio Sam.

O segredo deste sucesso? Consecutivos tratados de livre comércio com a América do Norte, União Europeia, Taiwan, Colômbia, Chile, Peru e Centro-América, que colocam seus 17 parques industriais na vanguarda de produção com qualidade, express lead time, preço competitivo e sustentabilidade, alcançando consumidores de mais de 40 países”.Eu acompanhei Karina em visitas às indústrias locais, produções voltadas quase em sua maioria para “private label”, e plantas manufatureiras de grandes marcas mundiais. São mais de 70 fábricas de confecção e 20 plantas têxteis com volumes altíssimos de produção, focadas em malhas de algodão, poliéster e mistas.Líder da América Central em energia renovável, por meio de plantas de biomassa e parques solares, Honduras pretende agora ser o terceiro produtor mundial de combustíveis e energia renovável até 2020. Fechando o ciclo do comprometimento sustentável, o país conta com três grandes plantas de reciclagem com o plano Aterro Zero. O aterro é um desperdício de material que ainda pode ter uma vida útil. As empresas de reciclagemcomprometem-se a reciclar os resíduos têxteis pós-industriais e pós-consumo, trazendo, assim, benefício para o meio ambiente e para a sociedade, elaborando novos produtos, contribuindo para a produção de novas fibras, reduzindo as emissões de carbono, bem como o uso da terra e da água.

Entrevista exclusiva com Jesus Canahuati

Textília: O que há de diferente no projeto Honduras 20/20?

Jesus Canahuati: Antes de mais nada, o compromisso de que governo e setor privado trabalharão juntos, não somente no período de mandato, mas a longo prazo. Os profissionais contratados se reportarão diretamente ao presidente e estão em unidade permanente, independente de quem estiver à frente do governo. Isso é uma forte prova de que pensamos em longo prazo. Geralmente, na América Latina, não planejamos muito, sempre criando em curto período de tempo e nos adaptando conforme surgem as dificuldades. É como se estivéssemos construindo casas e nunca as terminássemos, uma cultura ruim e diferente da dos asiáticos, que permanecem crescendo independente dos governos. Precisamos aprender com eles e superar a pobreza, como aconteceu com Coreia e Taiwan. Tudo isso passa por investimento e capacitação. Mesmo que os recursos sejam pequenos, é preciso maximizá-los.

Textília: Como Honduras espera se posicionar no mundo globalizado?

Canahuati: O Fundo Monetário Internacional, o BID e outras instituições estão sendo envolvi- das no projeto. Em poucos dias de anúncio, já estamos com grandes expectativas. Reuni-me com alguns dos maiores compradores da Nike, que aposta em Honduras, especialmente pela proximidade com os Estados Unidos. Não é mais aceitável esperarmos 90, 120 dias para receber produtos da Ásia. Além disso, o varejo quer sempre a possibilidade de acertar nos pedidos. Imagine um varejo, que recebe produtos com algumas diferenças de cores ou com formatos que não terão boa saída, ter que lidar com ajustes somente no continente do outro lado do mundo. O consumidor está entediado e quer coisas novas,adaptações rápidas. Assim somos nós, estamos desenvolvendo novos tecidos, novos conceitos e novas propostas de mercado.

Textília: Como será o trabalho de investimento para se chegar a essa nova configuração produtiva?

Canahuati: Capacitação acima de tudo. Somente sendo criativos, teremos diferencial. Não queremos fazer de tudo, e sim, ter sete ou oito áreas bem feitas. Temos aporte de 1 bilhão de dólares para investir em engenheiros, estilistas, laboratoristas, operários e mecânicos. Tudo relacionado à capacitação. Infraestrutura também terá sua parte, pois somos acostumados a exportar e precisamos crescer a qualidade dos produtos para atender o mercado internacional.

Textília: Vocês estão construindo uma nova fábrica de poliéster?

Canahuati: Vamos iniciar a construção de uma primeira planta de filamentos para baixar os custos em 25% nas matérias-primas e depois criar mais plantas têxteis de produção de tecidos. As maiores companhias da região já estão fazendo juntas esse investimento. O objetivo é passar dos produtos commodities e nos especializarmos para atender mercados mais finos, de maior valor agregado e moda. Justamente por isso, a capacitação é tão importante. Honduras é o sétimo maior exportador para os Estados Unidos. São quase dois bilhões de tecidos vendidos à América do Norte, mas todos muito básicos, de dois dólares. Agora queremos ampliar para quatro, seis, oito dólares o ticket médio das peças.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Gabriel Rajão
Fotos: Divulgação

Data de publicação: 01/06/2016

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Indústria tenta reagir em setembro
A indústria tenta reagir na intenção de lançar produtos, segundo o Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial, produzido pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. No mês de setembro o índice apresentou crescimento de 16,5% na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. No entanto, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, apresentou uma queda de -9,6% e no acumulado de 12 meses um crescimento de 2,3%.  2021-10-05 - Tags: industria reacao pos pandemia indice gs1 lancamentos produtos empresas negocios

Mackenzie divulga estudo sobre efeitos da simplificação tributária na cadeia têxtil e de confecção
Com objetivo de reduzir a informalidade do setor, o Centro Mackenzie de Liberdade Econômica (CMLE), think-tank liberal acadêmico da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) divulgou o estudo: Os efeitos potenciais do regime tributário competitivo para confecção (RTCC): uma aplicação de vetores autorregressivos (VAR), produzido pelo coordenador do Centro, professor Vladimir Fernandes Maciel; pelo professor Ulisses Monteiro Ruiz de Gamboa, pesquisador do CMLE; por Bruno Dale Vendruscolo, mestre em Economia pela UPM; e por Haroldo Silva, consultor da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), do Sindivestuário-SP e do Sinditêxtil.  2021-09-06 - Tags: centro mackenzie de liberdade economica universidade presbiteriana mackenzie aliquota tributos confeccao textil

Benefícios da desoneração da folha superam renúncia fiscal estimada
Setor têxtil defende a prorrogação da medida até 2026. Fernando Valente Pimentel, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), salientou que a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos será importante para a manutenção de empregos, estímulo à economia e incentivo à exportação. Ele fez as observações em depoimento na audiência pública (25 de agosto) da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, sobre o Projeto de Lei 2541/21, que estabelece a medida.  2021-08-31 - Tags: fernando pimentel abit desoneracao folha pagamento emprego economia exportacao camara deputados

Ipea revisa a projeção da inflação de 5,9% para 7,1% em 2021
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou, (24/8), a revisão da previsão para a inflação brasileira em 2021: o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi revisto de 5,9% para 7,1%. Parte do aumento veio da expectativa de reajustes mais acentuados para a gasolina e a energia elétrica, que provocaram uma elevação da projeção de preços monitorados de 9,5% para 11,0%.  2021-08-25 - Tags: ipea instituto de pesquisa economica aplicada inflacao reajustes energia eletrica

ETE em Americana é alvo de ação envolvendo empresas do setor têxtil
Em julho de 2021, o Ministério Público Federal (MPF) requisitou à Polícia Federal que apure suposto crime ambiental no Rio Piracicaba, após lançamento de resíduos industriais em Americana (SP). De acordo com a denúncia, o descarte irregular de matéria orgânica está superando a capacidade da ETE Carioba – Estação de Tratamento de Esgoto - que foi construída na década de 1980 com apoio de empresas do setor têxtil.  2021-08-19 - Tags: meio ambiente ete carioba leandro zanini denuncia descarte irregular tratamento

Ação coletiva do Sinditec é beneficiada com decisão do STF
O Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou recentemente a inconstitucionalidade da inclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo das contribuições do Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) no faturamento mensal das empresas.  2021-08-11 - Tags: supremo tribunal federal icms cofins sinditec sindicato imposto pis

A pandemia e o declínio do Brasil na indústria mundial
A UNIDO (United Nations Industrial Development Organization) estima que o valor adicionado da indústria de transformação mundial caiu -8,4% em 2020, devido à pandemia de covid-19, que desencadeou uma crise sem precedentes, impactando a fabricação de bens e causando rupturas nas cadeias globais de valor (CGV), bem como uma desaceleração geral da demanda.  2021-08-10 - Tags: unido industria covid 19 pandemia united nations industrial development organization brasil

Oerlikon apresenta resultados do segundo trimestre e do semestre de 2021
Ao apresentar o balanço das atividades e resultados da companhia, Roland Fischer, CEO do Oerlikon Group, disse: "As decisões tomadas continuaram a capturar negócios à medida que a demanda aumenta, e a margem EBITDA melhorada sublinha os efeitos positivos contínuos de nossas ações de custos. As Soluções de Processamento de Polímeros tiveram uma demanda saudável nas empresas de filamentos e não filamentos. Nossa diversificação estratégica no processamento de polímeros, incluindo controle de fluxo e tecnologias de reciclagem sustentáveis, deverá gerar oportunidades adicionais de receita nos próximos anos”.  2021-08-04 - Tags: oerlikon mercado negocios conjuntura trimestre 2021 resultados

Setor têxtil e de confecção sinaliza retomada, mas conjuntura ainda preocupa
A indústria têxtil e de vestuário vem aumentando a produção em dois dígitos neste ano, conforme balanço apresentado pelo presidente da Abit, Fernando Pimentel, em coletiva on-line no dia 8 de julho. Na comparação entre os primeiros cinco meses de 2021 e do ano passado, a produção têxtil avançou 36,3%, a do vestuário, 36,6% e o varejo de roupas teve expansão de 26,2%.  2021-07-16 - Tags: industria varejo coletiva abit pandemia retomada fernando pimentel desempenho

Retomada no pós-pandemia é oportunidade para recuperar a indústria brasileira
A pandemia do covid-19 trouxe impactos significativos na economia brasileira e mundial, especialmente para a indústria. Por outro lado, a avaliação de especialistas é que a crise pode ser a oportunidade para uma nova configuração da indústria brasileira na retomada do pós-pandemia, através da priorização de setores estratégicos e a adoção de uma política macroeconômica que dê sustentação ao setor.  2021-07-12 - Tags: premio abde bid 2020 covid bndes rafael palmas luciano schweizer webinar

KPMG aponta perspectiva de início de retomada para a indústria
A KPMG realizou um levantamento analisando os quatro padrões de retomada dos 40 principais setores da economia brasileira após um ano de início da pandemia do covid-19. Segundo estudo, a Indústria mantém o estágio "transformar para reemergir" com perspectivas positivas para um "retorno ao normal".  2021-06-18 - Tags: kpmg retomada industria setores economia covid 19 pib cni conjuntura

Embarques mundiais de novas máquinas têxteis diminuíram em 2020
Em 2020, os embarques globais de máquinas de fiação, texturização, tecelagem, tricô e acabamento diminuíram em relação a 2019. As entregas de novos fusos para fibra curta, rotores e fusos para fibras longas caíram -48%, -27% e -46%, respectivamente. O número de texturizadoras embarcados diminuiu em -30% e as entregas de teares reduziram em -16%.  2021-06-10 - Tags: itmf maquinas texteis 2020 embarque negocios mercado conjuntura

Consumo de energia elétrica no setor têxtil cresce 98,2% em abril
Levantamento periódico feito pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE para avaliar o impacto do covid-19 no consumo de eletricidade mostra que a indústria têxtil, uma das mais afetadas durante a pandemia, tem se recuperado gradualmente. Em abril, a demanda por energia neste mercado cresceu 98,2%, a segunda maior alta entre os ramos de atividade acompanhados, atrás somente do segmento de automóveis.  2021-05-13 - Tags: ccee camara de comercializacao de energia eletrica energia eletrica textil

KPMG lista 5 tendências da indústria química em 2021
A indústria química passou por extremos em 2020. Enquanto novas empresas surgiam como fabricantes de desinfetantes e de reagentes de diagnóstico, outras passaram por grandes dificuldades. Seja para atender demandas repentinas ou lutando para sobreviver, em ambos os casos houve disrupção nos negócios. Essas são algumas das conclusões da publicação "Cinco tendências que moldarão a indústria química em 2021", da KPMG.  2021-05-12 - Tags: industria quimica sergio benrto kpmg digitalizacao processos tendencias

Déficit do setor têxtil e de confecção fica estável no primeiro trimestre
No primeiro trimestre deste ano, informa a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), a balança comercial do setor apresentou déficit de US$ 1,15 bilhão, que ficou praticamente igual ao do mesmo período do ano passado, de US$ 1,36 bilhão, com recuo de apenas 0,21%. Na mesma base de comparação, as importações foram de US$ 1,37 bilhão, com aumento de 0,004%, e as exportações alcançaram US$ 215,9 milhões, o que significou queda de 8,67%  2021-05-04 - Tags: abit balanca comercial deficit recuo vestuario volume

Declaração empresarial sobre acordo Mercosul - União Europeia
A BusinessEurope, a Confederação Empresarial de Portugal (CIP) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o apoio da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, realizaram no dia 30 de abril um evento virtual para demonstrar o forte compromisso das empresas europeias e brasileiras com a sustentabilidade e com o acordo Mercosul-UE.  2021-05-03 - Tags: mercosul uniao europeia covid 19 pandemia brasil confederacao nacional da industria

Indústria sente as consequências da pandemia em março
Vários setores da economia apresentam resultados negativos neste primeiro trimestre e a indústria recuou mais uma vez a intenção em lançar produtos. O Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial para o mês de março apresentou queda de -9,8% na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. No acumulado de 12 meses o índice apresenta queda de -4,1%.  2021-04-13 - Tags: conjuntura industria trimestre 2021 atividade industrial efeitos sazonais

ICMS do setor têxtil aumentará pela segunda vez em abril
Como se já não bastasse as lojas de varejo de roupas fechadas por imposição da quarentena, o governador de São Paulo, João Dória, acena com aumento do ICMS para o setor têxtil, pela segunda vez do ano, a partir de 1º abril.  2021-03-22 - Tags: icms doria setor textil quarentena pandemia simples nacional

Apesar do câmbio favorável exportações têxteis continuam em queda
Com base em dados oficiais do Ministério da Economia, a Abit aponta que as exportações do setor no primeiro bimestre deste ano foram de US$ 130 milhões, com queda de 12,43% em relação aos US$ 148 milhões registrados em igual período de 2020. Na mesma base de comparações, as importações diminuíram 9,16% (passando de US$ 930 milhões para 845 milhões) e o déficit da balança comercial recuou 8,54%, descendo de US$ 782 milhões para US$ 715 milhões.  2021-03-22 - Tags: ministerio da economia abit exportacao cambio empresarios producao textil

Governo estende o prazo de carência dos empréstimos com recursos do Pronampe
O governo federal anunciou nesta segunda-feira (8) a decisão de prorrogar por mais três meses o prazo de carência dos empréstimos concedidos a empresários por meio do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). A ação deve beneficiar diretamente cerca de 517 mil empreendedores que, ao longo de 2020, obtiveram – nas três fases do programa – financiamentos que totalizaram R$ 37,5 bilhões.  2021-03-12 - Tags: pronampe sebrae covid 19 pandemia governo federal