Language
home » moda & varejo »

Ponto de Vista

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Como o PIX apoiará o varejo brasileiro?

Em fevereiro de 2020, o Banco Central (BC) anunciou o lançamento do PIX, um novo meio de pagamentos e de transferência instantânea, realizado em até 10 segundos pelo celular. Essa tecnologia surge com o objetivo de promover mais agilidade quando comparada às operações tradicionais como TED, DOC e boletos, que podem levar cerca de dois dias para serem concluídas.

O PIX tem um grande potencial de reformular os tradicionais meios de pagamentos, que envolvem as empresas adquirentes, bancos emissores e gateways. Isso porque, permitirá a redução de custos nas operações financeiras, tantos das pessoas como do comércio.

A inclusão do PIX será obrigatória para as instituições financeiras e de pagamentos autorizadas que possuam mais de 500 mil contas ativas. Já para as menores será optativo a inclusão e deverão conectar-se indiretamente, por meio das empresas plugadas ao sistema. Aproximadamente 1.500 fintechs já solicitaram a habilitação para operar com o novo meio de pagamento, sendo que, até o momento, quase 1.000 já foram aprovadas pelo BC.

Diante de todo o debate e perspectivas sobre o PIX, o setor varejista é o que mais deve ser favorecido devido à sua praticidade de uso e por não oferecer dificuldades no processo de adesão. A solução traz iniciativas de um meio de pagamento acessível para quem paga e para quem recebe.

Facilidade e menores custos
Além da transferência de pessoa para pessoa (P2P), a tecnologia realizará transações por recolhimento de guias da União e QR Code, sendo essa segunda utilizada pelas lojas físicas. O processo de venda por código é igual à uma compra convencional em débito, sendo que toda a transação ocorrerá pelo celular do consumidor.

Para o comerciante realizar a venda, por exemplo, ele deverá instalar e habilitar a solução PIX no celular. O sistema criará um QR Code no valor do que está sendo vendido e esse mesmo código será enviado para o PIX do cliente para fazer a transferência e a conclusão da compra. Toda a transação ocorre por um e-wallet (carteira digital) de maneira simples e rápida.

A tecnologia causará importantes mudanças nos pagamentos tradicionais por transferência bancária, débito ou dinheiro em espécie. O foco inicial é a substituição do uso de papel moeda, oneroso ao sistema e, muitas vezes, inseguro ao lojista. Acredita-se também que o PIX poderá afetar o uso dos terminais POS de aceitação de cartões. Contudo, este efeito não deverá ser imediato ou mesmo significativo, já que para vender, é preciso dispor de meios aos quais o comprador queira pagar. A amplitude de aceitação no fluxo de compra é uma característica conquistada pelos consumidores e comerciantes no Brasil.

A modalidade PIX é, sem dúvidas, mais uma forma de inclusão para pequenos comércios e entrantes no mercado, sem eliminar outras maneiras de venda. A tecnologia vai agregar um novo modelo alternativo de negócios ao mercado brasileiro.

Quanto às taxas do PIX para as lojas, cada prestador de serviço (PSP) - bancos e outras instituições de pagamento -, definirá como o novo sistema será cobrado dos clientes, sendo validada e fiscalizada pelo Banco Central. A instituição financeira pública também cobrará dos PSPs uma pequena taxa (ainda não definida) pelas transações, focada na manutenção e constantes atualizações do sistema.

Melhorias dos serviços e aumento da bancarização
O PIX visa ampliar também a competividade e, principalmente, a abertura de negócios inovadores do setor financeiro, já que as empresas deverão oferecer serviços que correspondam e facilitem à vida das pessoas e lojistas. Como exemplo de inovação, há o recente "bank as a service" (banco como serviço), em que a pessoa cria sua carteira digital, sem precisar de conta corrente, para fazer os pagamentos com a nova tecnologia.

Outro ponto de atenção para novos empreendimentos refere-se à amplitude de informações transacionais em tempo real que o PIX proporcionará. Além da transferência bancária, existe um agregado de novas informações relacionadas ao pagamento, que poderão gerar base de conhecimento para ofertas de novos serviços, como o Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT), que armazena e identifica a pessoa que receberá o valor pelo sistema por meio do número do celular ou e-mail.

Para operar o PIX, o varejista e o consumidor deverão ter uma conta digital - banco ou fintech. Essa obrigatoriedade é uma oportunidade de incluir mais pessoas no uso dos serviços financeiros e isso atingirá, principalmente, o varejista autônomo, que terá a possiblidade de realizar sua movimentação bancária em alguma instituição financeira. O Brasil ainda sofre diante do cenário de aproximadamente 45 milhões pessoas desbancarizadas.

Digitalização e segurança
Hoje, uma questão importante é a preocupação com o contágio pela pandemia da Covid-19. Com o PIX, o modelo de pagamento digital no varejo será intensificado e poderá sobrepor-se em relação ao uso do dinheiro em espécie. Segundo o balanço do primeiro trimestre de 2020, da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), o pagamento por aproximação movimentou R$ 3,9 bilhões no Brasil. Diante disso, a solução surge atrelada ao novo modelo de consumidor cada vez mais digital, já que poderá realizar pagamentos contactless nas lojas físicas. Ou seja, as empresas que sairão melhores serão àquelas que acelerarem a sua transformação digital na integração ao novo meio de pagamentos.

Entretanto, ainda existem dúvidas em relação à segurança contra fraudes pelas compras com o PIX. Uma delas é o uso do QR Code que pode apresentar fragilidades de segurança, já que existe a possibilidade de o criminoso cibernético invadir o celular do vendedor e gerar um código corrompido para receber indevidamente a transferência em uma conta distinta. Diante disso, o modelo merecerá constantes evoluções com plataformas ainda mais robustas de autenticação contra as tentativas de fraudes.

A maioria das empresas de meios de pagamentos estão trabalhando em camadas de segurança à solução, com projetos centrados e integrados aos sistemas do BC, fintechs e agentes que operam a tecnologia. Há também mecanismos de proteção nas compras online que serão reformuladas para o novo sistema, como é o caso da solução de autenticação pelo celular, que envolve o banco emissor e o correntista. Para o projeto ter o esperado sucesso, é necessário paciência e apoio na adaptação das pessoas e, principalmente, dos varejistas, que utilizarão o PIX como aposta para obter melhores condições de vendas e redução de custos operacionais.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Gastão Mattos

Data de publicação: 12/08/2020

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Micro e pequenas empresas: Seis dicas de como se organizar para partir em busca de crédito
Nesse momento de crise e desaceleração na economia, os micro e pequenos empresários foram em busca de crédito. No entanto, apenas 42% deles conseguiram acessar linhas de crédito, de acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae e Fundação Getúlio Vargas no início de maio deste ano.  2020-10-13 - Tags: economia micro pequenas empresas pronampe jandaraci araujo

Varejo digital: reavaliando propósitos e estratégias de negócios
Em 2020, o varejo e todo seu ecossistema receberam o impulso que necessitavam para rever prioridades, estabelecer novos objetivos e acelerar mudanças que estavam previstas para acontecer em algum momento, mas que ainda eram adiadas. Está sendo como fazer em alguns meses ou semanas o que estava previsto para dois ou três anos.  2020-10-13 - Tags: varejo pandemia ponto de vista nelson soares

Como o mundo da moda está se reinventando depois do coronavírus?
Se há pouco tempo os lançamentos nas temporadas de moda ficavam limitadas às tendências de cores e modelos, desde que a pandemia do novo coronavírus se alastrou, as inovações do mundo fashion têm preocupações muito mais nobres. Agora, as roupas antivirais são a próxima grande tendência na indústria têxtil.  2020-10-13 - Tags: elson longo pesquisa covid 19 delfim tecidos ponto de vista

Não conhecer o cliente é um dos maiores erros de quem aposta no marketing digital
O marketing digital hoje pode ser usado para qualquer coisa que você queira vender ou destacar na internet. Funciona para música, negócios locais, empresas, produtos, autônomos e profissionais de áreas variadas. Basicamente, para tudo, principalmente se você souber embalar um produto e colocar as pessoas certas para verem.  2020-10-13 - Tags: ponto de vista marketing marketing digital davi sabetta

Luxo sustentável: o luxo real
Nós estamos mais conscientes do impacto que causamos em nossa comunidade, cidade, país. Não faz mais sentido fazer uso de produtos que não são sustentáveis, ecológicos, biodegradáveis, cada um tem sua parcela de comprometimento para a qualidade do nosso futuro e das novas gerações.  2020-09-10 - Tags: conceiyção montserrat montserrat consultoria ponto de vista luxo

7 tecnologias essenciais para o Novo PDV
O processo de evolução digital, que vinha engatinhando há pelo menos cinco anos, obrigou líderes a tomarem decisões velozes para transformar e otimizar a performance dos negócios diante da pandemia do Coronavírus. Consequentemente, as formas de consumo foram colocadas de cabeça para baixo e ondas tecnológicas influenciaram a forma de interação entre os consumidores e as marcas.  2020-09-10 - Tags: ponto de vista setembro 2020 rodrigo roland pdv ponto de venda tecnologia

Inovação na indústria da moda no cenário pós Covid-19
As mudanças de comportamento que a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social trouxeram à realidade é pauta em todos os setores. E com essa nova realidade, a indústria da moda, por sua natureza mais vulnerável, é uma das mais afetadas. Segundo dados do Infomoney, referente ao final do mês de março deste ano, a indústria têxtil teve uma queda de 91%.  2020-08-27 - Tags: ponto de vista infomoney d j catro

Como o PIX apoiará o varejo brasileiro?
Em fevereiro de 2020, o Banco Central (BC) anunciou o lançamento do PIX, um novo meio de pagamentos e de transferência instantânea, realizado em até 10 segundos pelo celular. Essa tecnologia surge com o objetivo de promover mais agilidade quando comparada às operações tradicionais como TED, DOC e boletos, que podem levar cerca de dois dias para serem concluídas.  2020-08-12 - Tags: pix pagamentos online transferencia instantanea gastao mattos ponto de vista

A urgente necessidade de transformação da indústria brasileira
No início desse ano, havia um certo otimismo na Manufatura brasileira. O segmento tinha uma expectativa de retomada da indústria nacional, com projeções de novos investimentos em tecnologias de transformação digital e uma previsão de importantes projetos para a modernização do setor. Era um cenário de aquecimento com retomada gradual.  2020-08-12 - Tags: digitalizacao da industria cloud computing analytics inteligencia artificial manufatura brasileira covid 19

Automação de processos é tendência entre mercados
O avanço da tecnologia cresce a passos largos e vêm contribuindo para diversas áreas de trabalho, como por exemplo, a jurídica. Se antes o trabalho manual era realizado somente por advogados e funcionários administrativos, hoje observamos uma grande demanda de robôs que otimizam o andamento de processos e aumentam a produtividade dos escritórios de advocacia.  2020-08-12 - Tags: automacao robotica global industry vision automacao tecnologia produtividade ponto de vista

O que diferencia as marcas líderes de mercado?
Pode-se observar que em todos os segmentos de mercado sempre existem marcas que se destacam mais. Algumas saem na frente em todos os sentidos e conseguem chamar a atenção das pessoas, criando laços com seus consumidores e dominando o seu segmento. Mas, afinal, o que faz as pessoas se apaixonarem pelas marcas e se tornarem embaixadores de produtos e serviços, defendendo o que uma empresa oferece?  2020-08-12 - Tags: branding marcas nexia branding consultoria d j castro

Conforto é muito mais que uma moda
A busca por conforto sempre foi uma constante na vida dos consumidores, mas isso veio se acentuando na última década, tanto é que até surgiu o termo comfortwear. Ao mesmo tempo, nos últimos anos, a procura por conforto está muito associada ao movimento athleisure - “athletic” (atlético) + “leisure” (lazer), que apareceu em 2014.  2020-07-17 - Tags: conforto confortwear athleisure covid 19 isolamento social lifestyle ponto de vista adriana morasco

O futuro: Um mundo veloz!
Se você me perguntar sobre o que vem pela frente, sobre qual será o nosso futuro, eu vou te responder com facilidade: será um tempo no qual tudo será mais veloz. E o que isto significa?  2020-07-17 - Tags: celso braga ponto de vista desenvolvimento humano

Não ao 'novo' normal, sim à um normal de verdade
Escrevi um artigo no mês passado, em um dos maiores jornais do país, questionando este "novo" normal e recebi muitas mensagens de pessoas concordando e poucos discordando. Na sua concepção, que é este "novo" normal? Dizem que após a pandemia e a quarentena voltaremos mais conscientes, mais sustentáveis, mais digitais e com mais discernimento de algumas atitudes.  2020-07-17 - Tags: marcus nakagawa ponto de vista espm novo normal

O que esperar da retomada do mercado de luxo no Brasil pós-pandemia
Acredito que, nas últimas semanas, você já tenha se deparado com uma imagem das longas filas em frente a lojas de grifes de luxo, em países onde o comércio começou a retomar, já que os níveis da pandemia foram controlados. Segundo o WWD, veículo da mídia internacional especializado no mercado premium, a boutique francesa Hermès reaberta em 11 de abril em Guangzhou, uma das maiores cidades da China, faturou apenas neste dia 2,7 milhões de dólares.  2020-07-17 - Tags: ponto de vista mercado luxo thiago santos

O papel da tecnologia na indústria antes e depois da crise
No início de 2020, o segmento de manufatura no Brasil era um dos mais otimistas, considerando os desafios vividos nos últimos anos. Havia uma expectativa na retomada da indústria brasileira e alguns resultados positivos já vinham sendo percebidos.  2020-06-22

Tecnologia ajuda redes varejistas a vender com segurança no pós-pandemia
Desde que o comércio reabriu as portas em grande parte dos municípios brasileiros, diversas redes varejistas têm buscado na tecnologia de crédito uma solução para alavancar as vendas no crediário próprio. Essa maior demanda não é uma grande surpresa.  2020-06-22 - Tags: jeison schneider meu crediario tecnologia pandemia ponto de vista

O ‘novo normal’ da indústria 4.0
Os desafios para a sociedade brasileira, para a economia mundial e, em especial para a indústria, são muitos. No entanto, temos que nos reinventar para enfrentar essa fase que se instala com a disseminação da pandemia da Covid-19. E a indústria 4.0 é um dos caminhos para adentrar nesse estágio do ‘novo normal da indústria’ ainda mais fortalecida.  2020-06-22 - Tags: ponto de vista gustavo brito stefanini ihm stefanini

Manifesto pela valorização do produto nacional
Chega da promessa de que o Brasil é o país do futuro. O Brasil é o país do agora e sempre.O momento é propício para promover o produtos e serviços nacionais, a fim de que o giro financeiro aconteça dentro das nossas fronteiras, garantindo empregabilidade e estabilidade econômica e social. Sem doses de ufanismo, apenas enaltecendo a qualidade do que é criado e desenvolvido no Brasil.  2020-06-05 - Tags: brasil ponto de vista covid19 pandemia produtos nacionais economia global crescimento all lubrificantes jose rodrigues

Hora de olhar a etiqueta
Há poucos meses praticamente nunca tínhamos ouvido falar em coronavírus. Agora, escutamos essa palavra várias vezes ao dia porque a pandemia do covid-19 está mudando completamente a vida da população de boa parte do planeta.  2020-05-22 - Tags: adriana morasco vp south america lycra company pandemia cadeia textil setor textil ponto de vista