Language
home » moda & varejo »

Ponto de Vista

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Brasil pode crescer e inovar com IoT, mesmo com os desafios da conjuntura

Para mim, é sempre uma grande satisfação relembrar o período no qual participei como advisor no Conselho Consultivo que elaborou o projeto-estudo “Internet das coisas: um plano de ação para o Brasil”, iniciado em 2016 pelo MCTI e BNDES. Não me recordo de nenhum trabalho tão bem-feito e com tantas mãos atuantes: centenas de experts do Brasil e dezenas internacionais, centros de pesquisas, universidades, representantes de classe técnica e patronal de nossa sociedade, parlamentares, entre outros. O resultado culminou no Plano Nacional de Internet das Coisas (PNIoT), Decreto nº 9.854, de 25 de junho de 2019, com a finalidade de implementar e desenvolver a Internet das Coisas no Brasil.

Saúde, Cidades Inteligentes, Indústria e Rural foram as 4 verticais priorizadas. Mais recentemente, a vertical Turismo foi também incluída no PNIoT, em função do impacto da pandemia nas atividades turísticas, a necessidade de promover a transformação digital nesta área e a disponibilização de destinos inteligentes no país.

Cada uma destas verticais começou a ser tratada ao estilo “hands on” em Câmaras 4.0, em Brasília. Os Ministérios da Saúde, Economia, Agricultura e Turismo começaram a tocar as estratégias, políticas públicas, gerar sinergias e fontes de fomentos para fazer o IoT acontecer no Brasil.

Todas as Câmaras, sempre com a participação do MCTI na moderação, têm sido fóruns muito relevantes, porque propiciam a integração da academia, de institutos de ciência e tecnologia (ICTs), entidades que representam diferentes setores econômicos e os demais atores do cenário da inovação e empreendedorismo.  E nem a pandemia afetou a condução dos trabalhos das câmaras, pois todos continuaram engajados, mesmo que se reunindo virtualmente.

As Câmaras 4.0 destas verticais do PNIoT têm apresentado seus resultados e planos de ação. É um processo retroalimentado, já que sinergias têm sido criadas e planos de ações e investimentos têm sido gerados e aperfeiçoados nestes encontros. Claro que gostaríamos que os resultados fossem mais expoentes em alguns casos, mas sou testemunha de que, apesar dos obstáculos, bons e firmes passos foram e continuarão sendo dados.   

Reitero que na pandemia os incentivos não pararam. BNDES, ABDI, Embrapii, Finep e Softex, só para citar alguns nomes, implementarem diferentes linhas de investimentos e editais para projetos de IoT.  

Desde o dia 1º de janeiro de 2021, dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e para sistemas de comunicação máquina a máquina (M2M) ficaram isentos de pagamento de Fistel, de Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública (CFRP) e de Condecine pelo prazo de cinco anos. Ou seja, é vital aproveitarmos este incentivo dentro de sua validade.

Outra boa notícia foi o novo fôlego dado ao Padis (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores).   O susto foi grande, pois sua renovação ocorreu, como dizem, “aos 40 minutos do 2º tempo”. O que importa, entretanto é que a Lei 14.302/22 foi promulgada e prorroga os incentivos do Padis até 2026.

Destaco também o “gol de placa” representado pelo sucesso do Leilão do 5G, ocorrido em novembro de 2021, que viabilizará a “autoestrada de alta velocidade” pela qual a Internet das Coisas deverá deslanchar.  Ansioso em começar a ver os primeiros resultados já compromissados para 2022.

E vale deixar registrado que temos o recente edital da FINEP/MCTI, que acabou de sair do forno, e vai selecionar projetos de inovação em Inteligência Artificial (IA), desenvolvidos por startups nas verticais já citadas do PNIoT. Ao todo, serão R$ 80 milhões em recursos de subvenção econômica. 

Assim, afirmo que o Brasil está acontecendo! Pelo segundo ano consecutivo, registrou-se um recorde no total aportado em startups, por meio de 779 transações. Segundo levantamento da plataforma Distrito, as startups brasileiras receberam um total de US$ 9,4 bilhões em investimentos em 2021, sendo que este valor é 2,5 vezes maior que o investido em 2020, e o maior desde o início do estudo, em 2011. O Brasil, que em 2018 possuía apenas um unicórnio, atualmente, já contabiliza 16 deles, segundo dados de fevereiro de 2022 da StartupBase.

Relevante também destacar que neste cenário, várias Venture Capital foram criadas no Brasil nos últimos 3 anos, e estão direcionando suas teses de investimentos cada vez mais para inovação e tecnologias disruptivas. Como dizem, “tem dinheiro na mesa para bons projetos”!  

Como exemplo, cito a iniciativa entre BNDES e Qualcomm Ventures LLC que aportaram R$40 milhões cada uma no Fundo IoT.  Neste projeto, a Indicator Capital foi selecionada como gestora e o Fundo Indicator 2 IoT FIP tem agora valor captado de R$ 240 milhões, focado em investimentos early stage, sendo o primeiro especializado em Internet das Coisas (IoT) e Conectividade na América Latina.

Podemos afirmar que nunca o país teve tantos investimentos e fundos apostando em inovações tecnológicas baseadas em IA, IoT, 5G, entre outras. Essa entrada de capital aumenta as chances de as startups escalarem e atraírem mais investimentos.

Está tudo um “mar de rosas”? Não! Mas, o fato é que os problemas estarão presentes em qualquer cenário!  Existiram problemas no passado e existem hoje. Por isso, é necessário colocarmos em campo nossa resiliência, perseverança, flexibilidade. Juntemos criatividade, agilidade para inovar e tracionar na receita de sucesso. Infelizmente estamos vivenciando o conflito entre Rússia e Ucrânia e suas farpas também nos atingem; a inflação é um ponto crítico, pois aumentou no Brasil e no mundo; e, especificamente na conjuntura brasileira, falta pouco mais de 6 meses para as nossas eleições em 2022, um fator que costuma desestabilizar. 

Há outra questão-chave, que é como o Brasil vai responder à crise mundial de chips, que combina alta demanda e escassez de dispositivos, o que leva a um aumento de preços e longos prazos de entrega.  A dificuldade é global, mas creio que há algumas alternativas para exercermos nossa resiliência com criatividade.  A renovação do Padis foi um excelente sinal. Por outro lado, o TCU suspendeu o processo por meio do qual o governo federal planeja fechar a Ceitec, a única fábrica de chips da região.

Em meio a este imbróglio, ocorreu um outro processo no qual a Softex foi a única a apresentar proposta ao chamamento público para celebrar Contrato de Gestão cujo objeto seja a pesquisa, o desenvolvimento, a extensão tecnológica, a formação de recursos humanos e a geração e promoção de empreendimentos de base tecnológica em semicondutores, microeletrônica e áreas correlatas. Como isso ocorrerá? Ainda não se sabe. O ministro Marcos Pontes, do MCTI, declarou durante evento em Barcelona, que o país terá um novo programa de semicondutores. Aguardamos que essas definições sejam divulgadas brevemente.  

Diante dessa conjuntura, espero que o Brasil não se perca em debates jurídicos e deixe passar a oportunidade de termos alguma posição respeitável neste tabuleiro do mercado mundial de semicondutores.   Afinal, o mundo está refém da produção asiática, lembrando que Taiwan e China respondem por cerca de 70% dos chips que o mundo consome e aqui é outra situação geopolítica que exige nossa atenção.

Para encerrar esta análise, apesar das previsões, o PIB brasileiro cresceu 4,6% em 2021 e superou as perdas provocadas em 2020 como efeitos da Covid-19. O crescimento do ano passado foi puxado pela indústria e serviços. Então, digo que é hora de valorizar os nossos pontos fortes: a capacidade dos nossos talentos empreendedores, a qualidade dos ICTs, o tamanho do mercado interno e a vontade de fazer acontecer. Podemos superar os desafios e construir um futuro promissor, um Brasil Mais Digital e Menos Desigual, no qual a IoT certamente já é uma das viabilizadoras das transformações positivas que almejamos.

Por: Werter Padilha, CEO da Taggen e Conselheiro da ABES

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Werter Padilha

Data de publicação: 01/06/2022

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Quais são as dores tecnológicas das cooperativas de crédito?
Ao mesmo tempo que o mercado financeiro avança digitalmente com as fintechs, entendo que muitas instituições da área, em especial as cooperativas de crédito, ainda sofrem dores específicas relativas às suas áreas de TI (Tecnologia da Informação). Entre elas estão questões como: governança, principalmente por se tratarem de cooperativas e diversos associados com acesso aos dados; localização, pois muitas cooperativas estão em regiões mais remotas; e a necessidade de garantir por completo a segurança das operações e do compartilhamento de dados.  2022-08-31

Indústria digitalizada é mais competitiva
A pandemia trouxe para o mundo um senso de urgência nos processos de digitalização em todos os setores, especialmente no da indústria. Tudo o que representava um passo a ser dado no futuro, apenas mera intenção, acabou se tornando premente.  2022-08-31

O salto da comunicação visual impulsionado pela evolução tecnológica
O setor de comunicação visual está passando por uma transição importantíssima. A tecnologia, que há algum tempo atrás era relegada para um segundo plano, vem sendo cada vez mais priorizada. Os clientes já entendem que para aumentar as oportunidades precisam sair do trivial.  2022-08-31

O papel da liderança no modelo de trabalho phigital
Não é fácil, mas não é impossível liderar, motivar e desenvolver pessoas trabalhando em home office ou no novo modelo híbrido. Com a pandemia, as empresas tiveram que se reinventar e se adaptar ao cenário da gestão à distância. Os desafios impostos provocaram uma mudança de paradigmas e obrigaram muitos a administrar as tarefas pessoais ao mesmo tempo que lidavam com os compromissos profissionais. Sem falar na preocupação de contrair uma doença desconhecida e suas consequências.  2022-08-31

Empresas que abraçam a diversidade voam mais alto e chegam mais longe
De alguns anos para cá, muito se tem falado sobre diversidade e inclusão nas organizações. Hoje, possuir um time diverso é, além de um dever social, também é estratégico para a vantagem competitiva do negócio. Sabemos que o cenário atual é cada vez mais múltiplo quando falamos sobre gênero, orientação sexual, etnia, deficiências, faixas etárias e outros, e as corporações precisam adotar estratégias cada vez mais ousadas para conseguir acompanhar este movimento, representando a pluralidade do país dentro no seu quadro de colaboradores.  2022-08-01

A tendência do ESG, as PMEs e a cultura organizacional
Em 2021, o interesse pelo ESG atingiu índices importantes no Brasil. De acordo com um levantamento do Google Trends, entre fevereiro de 2021 e 2022, as buscas sobre o tema cresceram 150% em comparação aos 12 meses anteriores. Inclusive, o Brasil foi o país da América Latina onde houve a maior concentração de pesquisas sobre o assunto e um dos 25 países do mundo que mais buscou a temática.  2022-08-01

Estratégias para elevar a experiência do seu cliente no mundo phygita
Os avanços tecnológicos vêm transformando os hábitos de consumo e também o grau de exigência dos consumidores, o que estimula empresas a reverem constantemente suas estratégias de marketing e relacionamento. Na era do phygital, integração do mundo físico ao digital na experiência do consumidor, o desafio se tornou ainda maior.  2022-08-01

A nova onda do outsourcing
Diariamente somos inundados por diversas ondas e novidades no mundo corporativo, essa enxurrada de informação e notícias tem uma razão muito simples, a evolução exponencial dos negócios em diversos processos e setores está constantemente batendo a nossa porta com oportunidades.  2022-08-01

Investir em integridade gera vantagem competitiva em diferentes setores
Muito além de expandir a troca comercial, estreitar relações com fornecedores e o setor público, mecanismos de integridade têm como objetivo prevenir, identificar e combater fraudes, irregularidades e outros atos ilícitos. "Diante de uma sociedade atenta aos ambientes regulatórios mais estreitos, zelar pela integridade tornou-se uma rotina", comenta o especialista em Compliance, Wagner Giovanini.  2022-07-04

Startups precisam vender mais para se manterem ativas
As startups precisam vender mais. E se o atual cenário global aponta para a desvalorização das empresas de tecnologia listadas em bolsa, estamos no momento preciso para que estas coloquem em prática uma série de ações que podem levá-las a virar este jogo. Abandonar alguns “vícios” e alinhar estratégias são algumas atitudes.  2022-07-04

5 vantagens que estão levando polos de modas para o marketplace
Nunca se vendeu tanta moda pela internet, e essa é uma tendência que veio para ficar. De acordo com o relatório "E-Commerce do Brasil" de 2021, o setor de moda cresceu cerca de 40% no marketplace, e isso foi consequência direta da pandemia de covid-19. No entanto, mesmo com as lojas físicas já em funcionamento, as vendas online continuam a registrar aumento.  2022-07-04

Como manter e engajar os consumidores frutos de datas especiais do comércio
As datas especiais para as vendas como Dia dos Pais, Black Friday, Natal, entre outras, impulsionam as compras por um curto período. Por isso, é importante se antecipar e utilizar essas ocasiões como uma grande oportunidade de aquisição de novos clientes e novas vendas, preparando estratégias de retenção e engajamento visando manter esses consumidores ativos e próximos à marca.  2022-07-04

Self-checkout: o poder na mão dos clientes no varejo
Aprender uma nova receita, pesquisar tudo antes de decidir qual novo celular comprar, montar a própria playlist. Se há um conceito que tem ganhado destaque em nossas vidas nos últimos anos, essa ideia certamente é a lógica do "Faça você mesmo" (Do It Yourself ou DIY, em inglês). O fato é que, entre as muitas mudanças trazidas pela Revolução Digital, o acesso à tecnologia tem permitido que o poder esteja cada vez em nossas mãos. E isso também inclui o momento do pagamento.  2022-06-01

Emissão de notas fiscais devem fazer parte de empresas de todos os segmentos
A emissão de notas fiscais é um processo necessário na rotina de empresas de qualquer área de atuação, mantendo um funcionamento pleno e regularizado do estabelecimento para que não haja problemas fiscais no futuro. De acordo com Fábio Ieger, CEO da iCertus, startup de Curitiba (PR) que oferece uma série de serviços voltados para a gestão de micro e pequenas indústrias, com destaque na área de crédito, emitir notas fiscais é importante por diversos motivos.  2022-06-01

Brasil pode crescer e inovar com IoT, mesmo com os desafios da conjuntura
Para mim, é sempre uma grande satisfação relembrar o período no qual participei como advisor no Conselho Consultivo que elaborou o projeto-estudo “Internet das coisas: um plano de ação para o Brasil”, iniciado em 2016 pelo MCTI e BNDES. Não me recordo de nenhum trabalho tão bem-feito e com tantas mãos atuantes: centenas de experts do Brasil e dezenas internacionais, centros de pesquisas, universidades, representantes de classe técnica e patronal de nossa sociedade, parlamentares, entre outros. O resultado culminou no Plano Nacional de Internet das Coisas (PNIoT), Decreto nº 9.854, de 25 de junho de 2019, com a finalidade de implementar e desenvolver a Internet das Coisas no Brasil.  2022-06-01

Metaverso e o futuro do Customer Experience
Muito temos ouvido falar sobre metaverso e as possibilidades inovadoras que ele traz em experiências e em interação entre pessoas, assim como entre pessoas e marcas. Empresas estão adquirindo espaços virtuais e até já pensam em produtos que podem ser comercializados para utilização dentro ou fora do mundo cibernético. Se existe uma relação entre consumidores e empresas, é necessário se pensar em atendimento ao cliente.  2022-06-01

Redução de 35% do IPI estimula consumo e competitividade da indústria
O aumento do desconto de 25% para 35% no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), conforme decreto publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (29/04) é correto. O corte de alíquota estimula o consumo e a competitividade da indústria. É oportuno e terá impactos positivos para a sociedade, ao contribuir para a recuperação econômica, barateando o que é produzido e conferindo mais poder de compra à população.  2022-05-02

É possível humanizar os assistentes virtuais
Os chatbots estão cada vez mais presentes nas empresas de atendimento ao cliente, trazendo mais autonomia para o consumidor final, além de proporcionar uma comunicação mais imediata, com alta disponibilidade, possibilitando reduções de custo e ampliando ainda mais a capacidade de resposta entre cliente e consumidor de uma forma ágil.  2022-05-02

Como a transformação digital pode contribuir dentro da sua empresa?
Essa expressão já deve ter passado inúmeras vezes na sua timeline e suscitado a seguinte dúvida: como posso melhorar a transformação digital na minha empresa? E vou além, sua empresa já adentrou o processo fundamental de digitalização para se manter viva e ativa para os próximos anos?  2022-05-02

Geração Z: o desafio de iniciar a carreira na pós-pandemia
Cerca de 1,5 bilhão de pessoas em todo o mundo. Este é o número de jovens da chamada Geração Z, que são os nascidos entre 1995 e 2010. No Brasil, a estimativa é que este número chegue a 23 milhões de pessoas. Parte desse universo está entrando no mercado de trabalho em um novo cenário, quando contatos profissionais são realizados basicamente por e-mail, mensagens e redes sociais. Como se destacar a partir de tais limitações?  2022-05-02