Language
home » moda & varejo » moda vestuário » mercado

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

WGSN mostra tendências para o mercado de consumo em 2020

Prepare-se para o consumidor ultradinâmico. Estudo da WGSN - autoridade global em análises e previsões de tendências - apresenta os seis principais macrotendências que definirão o que o consumidor espera das marcas nos próximos anos, passando pela confiança que possuem nas empresas até o envelhecimento da população.

Qual o principal fator que acelera as mudanças no varejo? A tecnologia? Segundo o levantamento inédito da WGSN, a resposta está nos consumidores. São eles que causam as mudanças no mercado de consumo, que estão impulsionando a transformação na sociedade e desafiando os antigos modelos econômicos. Exigentes, contra antigos padrões e com novos valores, esses clientes fomentam novos formatos de negócios. A pergunta que fica para as marcas é: como essas mudanças afetarão o mercado a partir de 2020?

Para respondê-la, a WGSN apresenta os destaques da pesquisa "Consumidor Ultradinâmico" trazendo seis macrotendências que identificam o que está por trás desta mudança no comportamento do consumidor, relacionada com: compras realizadas por dispositivos móveis; conexões humanas; confiança nas marcas; preocupações climáticas; envelhecimento populacional; e economia do compartilhamento. "Precisamos entender que os consumidores estão mapeando, estudando as marcas. Eles querem, inclusive, saber se as empresas mudaram seu modelo de negócio, principalmente quando este impacta a sociedade. O intuito dos consumidores é saber se as marcas estão alinhadas às  novas demandas e a um propósito", afirma Luiz Arruda, Head da WGSN Mindset.

Fatores de influencia

• Revolução das compras pelos dispositivos móveis

A nova sociedade já é norteada pelo smartphones e as pessoas querem consumir via dispositivos móveis. Os varejistas precisam estar atentos a isso e adaptar seu negócio, caso não esteja adequado a essa demanda. Segundo pesquisa executiva de varejo da WGSN, 64% dos varejistas afirmam que o pagamento pelo celular é prioridade para o funcionamento de seu negócio. Outro levantamento realizado pela agência YouGov, mostrou que 44% dos entrevistados, entre 18 e 24 anos, se sentem mais confortáveis ao conversar com novas pessoas por meio de redes sociais, do que ao vivo. Neste âmbito, é possível perceber que a tomada de decisão pelos usuários é feita antes da visita física. Por isso, é tão relevante colocar o consumidor no controle da compra, desde que haja auxílio humano, caso necessário.

Empresas podem se antecipar a essas necessidades ao aumentar o uso do celular dentro da loja e automação no método de pagamento. A realidade aumentada, por exemplo, pode auxiliar os consumidores na hora da compra – tanto ao mostrar especificidades, como ao solucionar dúvidas – e permite que aquele momento seja uma experiência diferenciada. A inteligência artificial também se torna uma aliada, quando associada as interações digitais, a exemplo da Alexa e Google Assistent. Com tantas mudanças, é fundamental que as empresas estejam preparadas para este novo cenário, que traz impactos para cadeia como um todo – inclusive, a relação entre empregados e empregadores. Com estudos* que apontam que milhares de empregos na área têm "alto risco de automação", é fundamental garantir que o antigo papel desempenhado pelos colaboradores seja redefinido. Além disso, será imprescindível apostar em estratégias que descompliquem as entregas de produtos.

• A importância dos sentimentos

As conexões humanas são valorizadas à medida que as pessoas se sentem mais sozinhas. Por isso, estão em busca de conexões que ajudem a se sentirem mais humanas. Por outro lado, uma vez que os varejistas investem em tecnologia de inteligência artificial e experiências digitais, a importância da conexão humana será um diferenciador fundamental paras as marcas. As estratégias pessoais começam a crescer como um ponto de diferenciação para além do preço, principalmente quando as empresas concorrem com a Amazon.

• A economia da confiança

Confiança é um termo cada vez mais recorrente e visado pelos consumidores globalmente. E como sua marca pode se mostrar confiável atualmente? Os consumidores estão questionando o que é real. Por isso, marcas e varejistas precisam desenvolver novas estratégias capazes de aumentar o nível de confiança das pessoas. À medida que as pessoas são expostas todos os dias a uma enxurrada de fake news, é cada vez mais difícil saber em que ou em quem confiar. A confiança é um importante fator de estímulo do consumo. O WGSN Barometer, que a cada ano analisa 200 mil consumidores do mundo todo, apontou que os gastos das pessoas têm uma relação direta com o quanto elas confiam em uma marca. Mas, hoje em dia, o que significa ser uma empresa de confiança? A tradição e a trajetória de uma marca não a tornam, necessariamente, uma empresa de credibilidade.

Além de oferecerem produtos e serviços de qualidade, espera-se que as empresas sejam agentes para mudanças positivas. Entre os entrevistados do Edelman Trust Barometer, 64% disseram acreditar que uma empresa possa tomar ações que aumentem seus lucros e melhorem as condições econômicas e sociais nas comunidades onde operam. Quase dois terços afirmaram que desejam que os CEOs assumam mudanças políticas em vez de esperar pelo governo – que tem níveis de confiança muito abaixo das empresas em 20 mercados. Isso significa que a principal tarefa dos CEOs é "criar confiança", o que ultrapassa "desenvolver produtos de qualidade" e "oferecer serviços" em 69% e 68%, respectivamente.

• Preocupações climáticas

O mundo precisa de ajuda e seus moradores estão em busca de soluções e ações para torná-lo melhor. O número de desastres naturais provocados por eventos climáticos extremos – inundações, secas e incêndios – mais do que dobrou desde 1980. No mesmo período, o número de tempestades dobrou, enquanto inundações, avalanches e deslizamentos quadruplicaram desde 1980 e dobraram desde 2004. A ansiedade em relação ao clima já é uma realidade, assim como o desejo de limitar ou reverter os danos causados ao ecossistema do planeta.

Quando o assunto é consumo, as pessoas procuram fazer a coisa certa quando há alternativas sustentáveis à disposição. De acordo com dados levantados pela consultoria Nielsen em 2018, a taxa de crescimento na venda de produtos vem aumentando em determinados setores sempre que há alternativas sustentáveis. Além disso, já começou a corrida para que a economia circular funcione na indústria da moda. Muitas lojas do setor fast-fashion, como Zara e H&M, têm estimulado os clientes a devolverem roupas danificadas ou que não usam mais, já antes mesmo que a reciclagem de fibras se torne uma realidade comercial. Esta mudança de atitude vai exigir uma nova mentalidade por parte das lojas que atendem ao consumidor que deseja unicamente produtos novos. A estrutura de negócios e de precificação terá que ser reavaliada, uma vez que o público tem procurado mais por produtos duráveis, sustentáveis e que possam ser revendidos.

• A geração longeva

As pessoas estão vivendo mais e melhor. E as marcas precisam estar atentas a essa demanda crescente. Os países desenvolvidos – dos EUA ao Japão – reconhecem que é difícil lidar com o envelhecimento da população e com as grandes mudanças que acontecem na distribuição de renda. De acordo com a ONU, essa questão causará a transformação social mais significativa do século 21, com implicações em todos os setores da sociedade. Nestes países, os consumidores mais velhos, apesar de se sentirem ignorados ou negligenciados, têm um poder de compra muito maior do que o dos consumidores jovens. De acordo com os dados de pesquisa realizada pelo International Longevity Centre, as pessoas com mais de 50 anos no Reino Unido gastam um total de 314 bilhões de libras por ano, o que equivale a aproximadamente 43% do total do gasto doméstico em consumo de produtos. Mesmo assim, a pesquisa apontou que 85% das pessoas com mais de 55 anos acham que a sua marca favorita "não as compreendem" ou não compreendem as suas necessidades. Esta é uma oportunidade importante para os varejistas, afinal, basta fazer alguns ajustes no espaço da loja para receber bem esse grupo demográfico. Remover barreiras físicas e melhorar a mobilidade – instalando rampas e alargando corredores e entradas, por exemplo – pode ter um impacto positivo nas vendas.

• Fim da posse

Não é sobre ter é sobre viver. A economia compartilhada ganha forças em um cenário que os consumidores estão mais abertos a experimentarem e as marcas precisam entender a dinâmica deste novo mercado. As pessoas estão deixando de gastar em coisas para investir em experiências. E isso tem sido notado. O processo de descoberta de produtos também parece ter mudado para sempre: os consumidores de hoje deixam de "ir às compras", mas ao mesmo tempo, nunca deixam de fazer compras, já que estão sempre conectados a aplicativos móveis e ao Instagram. Os varejistas têm abordado esse problema por meio de estratégias que visam transformar a vontade de comprar de um produto pela necessidade de possuir pela vontade de comprar um produto pelo prazer da experiência – o que permite criar um tipo de memória.

Os fatores que impulsionam o mercado consumidor revelam que as pessoas não estão em um momento tão positivo e que se sentem cada vez mais ansiosas, desconectadas e pressionadas pelo tempo. Há uma grande oportunidade para os varejistas que criarem produtos, experiências e serviços capazes de adicionar valor real à vida do consumidor (e que também possam ser compartilhados nas redes sociais).

A pergunta que fica: sua marca está preparada para se comunicar e ser relevante para esses consumidores?

Referencias: * Mc Kinsey apontou em pesquisa que a próxima geração de supermercados pode fazer com que a carga horária dos trabalhadores seja reduzida em dois terços.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Edição: Marcia Mariano
Fonte: Edelman Assessoria

Data de publicação: 01/03/2019

Conteúdo relacionado


Senai Cetiqt desenvolve ponto de vendas em realidade virtual
É fato que os consumidores estão, cada vez mais, preferindo as compras virtuais às físicas. Até 2021, segundo uma pesquisa do Google, 67,4 milhões de pessoas farão sua primeira compra pela Internet. E se ao invés de elas apenas escolherem peças estáticas em uma página de internet pudessem passear virtualmente por uma loja de verdade?  2019-05-24 - Tags: senai cetiqt ponto de experiencia de consumo angelica coelho ponto de vendas realidade virtual

Estudo do SIS/Sebrae analisa setor de confecção de Santa Catarina
O Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae realizou um estudo sobre o setor de confecções de Santa Catarina, apontando diretrizes que possibilitam um planejamento estratégico para a região até 2021. O segmento de vestuário é bastante representativo no estado, respondendo por 18,8% dos empreendimentos industriais e por 21,8% dos empregos na indústria.  2019-05-17 - Tags: sistema de inteligência setorial sebrae santa catarina vale do itajai fiesc comercio exterior

Acostamento investe 20 milhões em nova fase e aposta na geração Z
A Acostamento, grife brasileira de moda premium, apresenta na Feira Ópera o seu reposicionamento de marca e a nova coleção Verão 2020 da Acostamento Young, sua marca destinada exclusivamente até então ao público jovem, com um estande de 50m2 no principal corredor do evento.  2019-05-17 - Tags: acostamento moda premium grupo pasquini feira opera feira b2b acostamento young teenager geracao z igk

Projeto visa tornar Goiás o principal polo de moda produtor e distribuidor do país
Nos últimos anos, o Centro-Oeste vem aumentando sua força no segmento de confecções e no de distribuição, já que a região da 44, importante polo de moda atacadista, já figura entre as três principais do país. No entanto, para alcançar o principal posto do Brasil, tanto na distribuição quanto confecção, é preciso haver uma ação integrada, em várias frentes, desde a capacitação de mão de obra para produção até distribuição.  2019-05-14 - Tags: projeto goias na moda codese grupo mega moda feira hippie ovg goias

ABVTEX atua na promoção do trabalho digno na cadeia da moda
No mundo da moda há discussões aprofundadas sobre sustentabilidade, consumo consciente e inovação, entre outros temas, porém, se faz cada vez mais importante a conscientização às condições de trabalho na cadeia produtiva de artigos de confecção e calçados.  2019-05-02 - Tags: abvtex condicoes de trabalho programa abvtex edmundo lima cadeia produtiva textil

Os desafios de gerir operações de varejo na era digital
Gerir uma operação de varejo no Brasil não é desafio para qualquer um. Além dos diversos desafios fiscais, tributários e jurídicos, o consumidor informado e digitalizado exige cada vez mais experiências incluídas nas jornadas de consumo.  2019-04-26 - Tags: marketing cloud personalization platforms product information manager customer data platform minimum viable product

Senai Cetiqti abre inscrições para o Programa de Mentoria 2019
Qual estudante não gostaria de, no final da faculdade, contar com a ajuda de um profissional experiente dando orientações fundamentais para a carreira? Esta é a proposta do Programa de Mentoria 2019 do SENAI CETIQT, que está com inscrições abertas até o dia 25 de abril.  2019-04-18 - Tags: programa de mentoria 2019 coordenacao de inovacao educacional senai cetiqt bernardo queiroz design de moda engenharia quimica

Varejo de moda tem desempenho positivo em março
Em enquete realizada mensalmente pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), que representa cerca de 90 grandes marcas do varejo brasileiro, 80% das associadas reportaram resultados de vendas melhores em março em relação ao mesmo mês de 2018.  2019-04-16 - Tags: abvtex associacao brasileira do varejo textil varejo brasileiro edmundo lima

Goiânia precisa ser também um centro de criação de moda
Criar um movimento de identidade própria para continuar em ascensão e se consolidar como um centro, não só de confecção, mas de criação de moda. Essa foi a avaliação dos especialistas do universo fashion de Goiás, que foram convidados como debatedores para um bate-papo sobre os desafios da moda goiana.  2019-04-12 - Tags: nelia finotti espaco integrado de moda goiania shopping estacao da moda

Grupo Morena Rosa faz aquisição da marca Iódice
O Grupo Morena Rosa, empresa paranaense especializada em varejo de moda, acaba de anunciar a aquisição da tradicional label paulistana Iódice. As empresas mantêm contato desde 2010 e por diversas vezes falaram sobre possíveis parcerias. Essa aproximação facilitou a negociação, finalizada no início de 2019.  2019-04-10 - Tags: iodice grupo morena rosa morena rosa maria.valentina zinco lucas franzato

Sebrae orienta empreendedores da moda no Minas Trend
Temas estratégicos para os negócios da moda serão discutidos nos meetups promovidos pelo Sebrae durante o Minas Trend Primavera Verão 2020, de 9 a 12 de abril, no Expominas em Belo Horizonte. Serão cinco encontros, realizados nos dias 9, 10 e 11 de abril, no lounge do Sebrae, no Expominas. Os meetups são abertos ao público do evento, com entrada gratuita.  2019-04-10 - Tags: meetup sebrae minas trend primavera verao 2020 sebrae evento

Grupo Kyly em busca da internacionalização
O grupo Kyly está no mercado desde 1985 e produz confecções de alto valor agregado. Pelo terceiro ano consecutivo, o Brasil avançou de forma significativa no ranking do Doing Business, relatório produzido pelo Banco Mundial que analisa o desempenho do comércio exterior. O país subiu 33 posições, ou seja, passou da 139ª para a 106ª.  2019-04-05 - Tags: kyly nilon fio fiacao vestuario infantil claudinei martins doing business

Indústria de vestuário dos EUA se reúne em Honduras
Realizado em Honduras, evento “Who is Who” se consolida como plataforma para marcas e varejistas de roupas dos Estados Unidos e Europa.  2019-04-05 - Tags: rede de produtores de vestuario da america aapn vestuario produçao who is who steve cochran david ha aaron ledet ricardo pettenati

A inovação tecnológica como aliada da competitividade
Integração de tecnologia, educação e inovação abre novas perspectivas para a indústria da moda se tornar mais criativa, ágil e eficiente.  2019-04-05 - Tags: tecnologia inovaçao criativa textil industria textil senai cetiqt design de moda instituto senai ligia xavier fabian diniz

Modernização para atender a um mercado mais exigente
Diretores da Capricórnio Têxtil, uma das maiores produtoras de denim do Brasil, mostram como a empresa se modernizou para atender às expectativas dos clientes.  2019-04-05 - Tags: capricornio textil denim elio aldo manfredini gustavo manfredini joão bordignon alexandre de oliveira correa

Startup simplifica serviço de modelagem e atrai mercado têxtil
Um serviço trabalhoso, que requer profissionais qualificados, muitas horas de dedicação, mas que também representa um dos principais diferenciais de uma marca no mercado têxtil. A modelagem é parte essencial do dia a dia de qualquer indústria do segmento de moda e, assim como outras áreas, vem passando por inovações.  2019-04-05 - Tags: spin stanford research institute tyara nascimento molde me modelagem

Lectra estimula criação compartilhada ao inaugurar Laboratório de Inovações na França
A Lectra anunciou a abertura de seu Laboratório de Inovações, um espaço totalmente dedicado à criação e ao design de soluções incríveis. Idealizado por Philippe Ribera, vice-presidente do setor de Inovações da Lectra, o laboratório, está localizado no campus tecnológico da empresa, em Bordeaux-Cestas, França.  2019-03-27 - Tags: lectra philippe ribera laboratorio de inovacoes poc ceti veronique zoccoletto

Indústria têxtil e de confecção analisa com cautela crescimento da economia
Às vésperas de completar três meses do novo governo, o entusiasmo da indústria têxtil e de confecção vem perdendo força, reflexo do crescimento econômico mais lento e do adiamento de reformas, como a da Previdência e a Tributária. Pesquisa feita pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) mostrou aumento menor nas vendas do varejo e crescimento das importações.  2019-03-22 - Tags: abit mercado conjuntura reforma da previdencia governo bolsonaro comercio exterior importacao jair bolsonaro

Retomada da economia impulsiona o varejo de moda
As redes varejistas de moda associadas à ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), que representam cerca de 90 marcas, reportaram um bom desempenho em fevereiro deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado. Dos que responderam à enquete realizada pela ABVTEX, 82% reportaram resultados de vendas melhores, sendo que 18% consideraram o resultado igual ou pior no comparativo.  2019-03-15 - Tags: abvtex iemi edmundo lima economia varejo vestuario cama mesa banho

Grupo Kyly investe R$55 milhões no aumento de sua capacidade produtiva
O Grupo Kyly, indústria de vestuário infantil e detentora das marcas Kyly, Milon, Nanai, Amora e Lemon, acaba de anunciar um investimento de R$ 55 milhões para promover o aumento de sua capacidade produtiva. Dentro deste valor, R$ 40 milhões serão aplicados em maquinários para o seu novo negócio de fiação, enquanto os outros R$ 15 milhões serão destinados para infraestrutura de sua planta matriz.  2019-03-15 - Tags: grupo kyly industria de vestuario infantil salezio martins kyly milon nanai amora lemon fiacao