Language
home » moda & varejo » moda vestuário » mercado

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

MBI estimula cadeia têxtil em direção à indústria 4.0

Metodologia inédita, desenvolvida pelo Senai Cetiqt, abre oportunidade para se desenhar um novo parque industrial brasileiro. 

Quarenta empresários e executivos de indústrias têxteis e de confecção participaram do curso de Especialização Master In Business Innovation (MBI) em Indústria Avançada: Confecção 4.0 – Integrando Tecnologia para Projetar a Indústria do Futuro, oferecida pelo Senai Cetiqt. A aula inaugural, na verdade, uma imersão de dois dias sobre gestão e tecnologia, visando debater questões fundamentais para a modernização da cadeia têxtil brasileira, aconteceu nos dias 06 e 07 de abril, em um hotel na Barra da Tijuca e nas instalações do Senai, no Rio de Janeiro. Diferente dos MBI tradicionais, o curso é inovador porque aposta no compartilhamento de ideias, conhecimento e informação entre os participantes. “Em seis meses esses alunos-executivos irão criar projetos reais para a implementação do modelo 4.0 na indústria têxtil e de confecção, seguindo a mesma metodologia que utilizamos para desenvolver a nossa planta piloto de Confecção 4.0, existente no campus da faculdade”, explica Robson Marcus Wanka, gerente de educação do Senai Cetiqt. O MBI seguirá por cinco eixos temáticos: Estratégias de Inovação e Posicionamento de Negócio; Materiais e Produtos; Processo Produtivo; Confecção 4.0 e Projeto e Análise de Viabilidade. Ao longo de toda a especialização, os alunos-executivos contarão com aulas, palestras, videoaulas e dinâmicas colaborativas com vários especialistas e profissionais conceituados em suas áreas de atuação, que MBI estimula cadeia têxtil em direção à indústria 4.0 Metodologia inédita, desenvolvida pelo Senai Cetiqt, abre oportunidade para se desenhar um novo parque industrial brasileiro. compartilharão conteúdo e darão dicas e orientações para que os participantes possam aos poucos implantar em suas fábricas o modelo 4.0.

“As empresas perceberam a oportunidade de absorver as novidades. Conseguimos atingir a meta de trazer líderes da área têxtil para esta iniciativa audaciosa que, sem dúvida, será o pontapé inicial de uma revolução no modo de produção no setor. Somos os protagonistas nesse processo. Queremos que este MBI seja o início da criação de um grupo de discussão de longo prazo. O objetivo é promover um ambiente de networking para compartilhar desafios e necessidades, para que floresçam ideias e ações concretas que transformem o processo produtivo no Brasil”, diz Robson Wanka.

Novo modelo de indústria

A Publisher da ITT Press e Revista Textilia, Maria José de Carvalho, e o diretor internacional, Mario Cortopassi, estiveram presentes no evento. No intervalo das aulas foi possível aprofundar sobre este modelo inovador de transmissão de conhecimento que fortalece a parceria empresa/universidade. O gerente de educação Robson Wanka, conta que ideia do MBI em Indústria Avançada: Confecção 4.0 surgiu do sonho de tornar realidade um curso colaborativo para estimular o surgimento de startups nos moldes do que existe no Vale do Silício, nos EUA. “Eu queria um curso sem formalidades e participativo, que reunisse as maiores empresas do Brasil, onde acadêmicos, especialistas, empresários, profissionais do setor, enfim, todos pudessem discutir projetos reais. Não quero mais saber de teoria sobre Manufatura 4.0, disto está cheia a internet com palestras do mundo inteiro, falando a mesma coisa. Meu objetivo é ajudar a indústria a se reunir e trocar ideias”, comenta, acrescentando que o intuito é trabalhar a pós-graduação. “Na próxima imersão vamos focar em processo produtivo, depois em tecnologia e viabilidade. Outro diferencial que a gente está trazendo é a participação dos CEOs, que vamos escolher pelo Brasil afora. São pessoas referência de mercado, que irão avaliar os projetos de outras empresas. Além de termos grupos multitarefas, composto por uma empresa têxtil, uma de tecnologia, uma de educação e uma de confecção, esse grupo multidisciplinar vai montar um projeto de confecção 4.0”

Centro de Startups

A metodologia propõe às empresas pensarem novos modelos de negócio. O MBI é o ponto de partida para uma reflexão sobre estes modelos que, certamente, irão gerar novos produtos a partir de novos materiais, com objetivo de impulsionar uma confecção mais enxuta, integrada, automatizada, customizada e competitiva. Segundo Wanka, a ideia é que a partir do curso se evolua para a criação de um centro de startup voltado ao setor têxtil/confecção. “Conversando com alguns empresários, vi que eles querem levar inovação pra dentro de suas empresas. E o que queremos aqui no Senai Cetiqt? Proporcionar que uma empresa grande, pequena ou média empresa se motive e quem sabe, crie uma nova unidade, com um novo produto para um novo mercado de forma integrada e colaborativa. Isso é diferente de um modelo padrão. Quando as pessoas chegam aqui no MBI, elas trazem uma visão do contexto, mas com a evolução do curso, percebem uma abertura de portas, um mundo de possibilidades de parceria que poderá nascer a partir daqui”, enfatiza Wanka. Ele explica que o conceito adotado pelo Senai Cetiqt do Rio de Janeiro é semelhante ao que existe na Universidade de Stanford no Vale do Silício, nos Estados Unidos. “São empresas do mesmo setor, com os mesmos problemas que, em vez de se fecharem no seu mundo, se unem com outras empresas para encontrar uma solução. O que a gente está fazendo no Brasil é a mesma coisa. Estamos juntando empresas do têxtil/confecção para discutir os problemas e achar soluções de acordo com cada perfil”. O gerente de educação do Senai Cetiqt reconhece que um dos principais problemas da indústria brasileira hoje é a baixa produtividade e carência de mão de obra qualificada, mas argumenta que a proposta do curso é apontar caminhos para novos horizontes. “Aprestamos na aula inaugural novos materiais com novas aplicações, que ninguém ainda está usando no Brasil. Ou seja, que conclusão eu chego? Tem diversos nichos que não estão sendo atendidos ou explorados neste mercado. Então, a produtividade é um problema igual para todos e todos devem melhorá-la. Agora, uma coisa que ninguém está fazendo é explorar novos mercados. Neste curso, queremos provocar esta reflexão. E, sinceramente, vi muita gente com brilho nos olhos”.

Incutir uma cultura de colaboração entre as empresas brasileiras, geralmente avessas a isso, é outra meta do MBI em Indústria Avançada. “Não queremos apenas fazer uma pós-graduação e dar um certificado de conclusão. A grande estratégia é ter um grupo permanente de discussão da 4.0, após a conclusão do curso. Porque, o que acontece, a gente fala o seguinte: quando acabar o curso, esse grupo tem que prosseguir. Podemos continuar ajudando os empresários, colaborando para formar mão de obra, oferecendo consultoria aplicada às suas necessidades, não de forma isolada, mas que abrange toda a cadeia têxtil/confecção. Por isso não é um curso tradicional, é um movimento que não vai parar aos seis meses. Ele continuará e nossa intensão é expandir pelo Brasil inteiro”, detalha Robson Wanka. Segundo ele, além do Rio de Janeiro, a rede Senai em outros estados como Ceará, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Bahia, Paraná e Distrito Federal estará engajada no projeto. Ao término da imersão inaugural, Robson Wanka deixou uma mensagem aos participantes do primeiro grupo de MBI em Indústria Avançada: “Estamos realmente tirando do papel a indústria 4.0. Queremos contribuir de forma significativa não só para aumentar a produtividade e a qualidade, mas oferecer modelos de negócios que tragam agregação real de valor para as empresas”.

Impressões

Roberto Luiz da Cunha Barroso Ramos, professor-doutor da Universidade Federal do ABC, na área de Engenharia e também no Instituto Tecnológico da Aeronáutica, ITA, foi um dos palestrantes da aula inaugural. Ele falou sobre a funcionalidade dos têxteis, que pode ser obtida por meio de tratamento por plasma que, aplicado na superfície dos materiais, modifica suas propriedades intrínsecas. “Foi um convite do Senai Cetiqt que muito me honrou, pois tive a oportunidade de compartilhar um pouco da minha experiência com os outros participantes e também ouvir o mercado. O objetivo da minha apresentação foi mostrar quais são as funcionalidades das matérias- -primas, os materiais que devem ser utilizados, seus benefícios e, principalmente, o que se tem hoje de inovação, como, por exemplo, a tecnologia PCM, materiais de mudança de fases (em inglês: Phase Change Materials) que tem a função de regular as flutuações de temperatura. Embutido no tecido, consegue termorregular a temperatura do corpo humano, aquecendo ou esfriando. Esta propriedade serve para aplicação, por exemplo, em roupas esportivas e agasalhos. Foi muito gratificante passar estas informações no curso onde se tinha profissionais da área de confecção, tecelagem, malharia e tingimento, e poder conciliar tudo isso”, revela Ramos. Ele, que já trabalhou em empresas como Rhodia e Alpargatas e, a partir de 2010, decidiu focar sua carreira na área de pesquisa, garante que: “Quando você consegue conciliar o teórico e o prático, você conquista resultados significativos”.

Luciana Bechara, diretora de criação na Be Little, de Curitiba, que também é coordenadora têxtil na Federação das Indústrias do Paraná, diz que o MBI é uma ferramenta de conhecimento importante para pequenas e medias empresas. “Será um desafio enorme, visto que hoje existem pouquíssimas empresas que estão equipadas com tecnologia e mão de obra capacitada. Minha expectativa é conseguir implantar o conhecimento adquirido no MBI e preparar nossa pequena empresa para o futuro do segmento de moda, cada vez mais competitivo mundialmente”.

Ricardo Scartazzini, gestor na Tutto Bianco Uniformes, de Barreiras, na Bahia, também elogia a proposta do curso: “Procuramos o que há de melhor no mercado tecnológico destinado ao setor de confecção. Por isso, participar do curso será um canal de abertura para uma nova forma de trabalho. Alinhar os conhecimentos tecnológicos à realidade da minha empresa, buscando a troca de conhecimentos com outros profissionais do ramo e encontrar as melhores fontes de modernização na indústria será excelente”.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Publicado por ITT Press - International Top Trends - ed. 111

Data de publicação: 05/08/2018

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Alpargatas conclui venda da marca Osklen para Grupo Dass
A Alpargatas concluiu a venda (anunciada no final de 2021) de sua fatia de 60% da marca Osklen, avaliada em R$ 400 milhões, para o Grupo Dass, que detém os diretos sobre as marcas Fila e Umbro, conforme informado pela agência Reuters. A oferta, segundo a Alpargatas, envolve uma parte fixa de R$ 300 milhões, a ser paga em três parcelas, e uma parte variável de até R$ 100 milhões, “condicionada ao atingimento de determinadas metas durante os exercícios de 2022 e 2023.  2022-05-16

Guararapes mantém consistência de crescimento na receita
A Guararapes Confecções S.A., controladora da rede varejista Lojas Riachuelo, divulgou os resultados do primeiro trimestre de 2022, apresentando consistência no crescimento da receita líquida de mercadorias, que totalizou R$1,2 bilhão, um aumento de 44,8% em relação ao primeiro trimestre de 2021 e de 16,3% versus o mesmo período de 2019, com aceleração em abril.  2022-05-16

Lojas Renner se compromete em reduzir emissões absolutas de gases do efeito estufa
Enquanto celebra o avanço de sua estratégia de sustentabilidade, a Lojas Renner também se concentra em finalizar a estruturação do seu novo ciclo de compromissos públicos que irá formalizar as ambições da companhia nessa área para os próximos anos. A varejista já antecipa uma de suas metas relacionadas a mudanças climáticas que, pela primeira vez, é baseada na ciência e foi aprovada pela Science Based Targets Initiative (SBTi).  2022-05-13

Gucci aceita criptomoeda e marca um 'salto' para a indústria de luxo
A marca italiana de moda de luxo Gucci começará a aceitar criptomoedas como meio de pagamento em algumas lojas nos EUA. O projeto piloto começará em cinco lojas no final deste mês, marcando um passo significativo para a Gucci combinar sua Web3 e comunidades físicas. O movimento marca uma validação importante para a moeda digital com uma marca de luxo líder de mercado.  2022-05-12

Sebrae e ApexBrasil lançam programa para ampliar participação das MPE nas exportações brasileiras
O Sebrae e a agência ApexBrasil lançaram o MPE Global, programa que conta com o apoio do Ministério das Relações Exteriores e tem como objetivo promover a participação de pequenas empresas das cadeias de moda (vestuário, calçados e acessórios), na pauta de exportações brasileiras. Apesar das micro e pequenas empresas representarem 99% dos empreendimentos no país, sua participação no valor exportado ainda é baixa.  2022-05-10

Aciju divulga balanço da 25ª edição da Felinju
A Associação Comercial e Industrial de Juruaia (Aciju), organizadora da Felinju-Moda e Lingerie de Juruaia, divulgou o balanço da 25ª edição da feira. O evento realizado dos dias 28 a 30 de abril foi marcado pela retomada presencial e contou com mais de 50 marcas expositoras, palestras, desfiles, oferecendo oportunidades de negócios aos clientes e as marcas. A feira recebeu um total de 22.500 visitantes divididos entre o formato virtual e presencial.  2022-05-06

Lectra apresenta nova organização no Brasil e América do Sul
No dia 1 de junho de 2021, a Gerber Technology passou a fazer parte do Grupo Lectra e a partir de 1º de maio de 2022, a representação da marca e produtos Gerber no Brasil passou a ser realizada diretamente através da filial da Lectra, que possui escritórios em São Paulo e Blumenau.  2022-05-05

Dafiti otimiza processo de vendas para impulsionar e-commerce
O mês de maio chega acompanhado de grandes expectativas para o varejo têxtil com o Dia das Mães. Uma forma que as pessoas buscam para realizar a compra de artigos de moda é por meio do e-commerce. A Dafiti, maior fashiontech da América Latina, possui parceria com o Bling, sistema de gestão do Grupo Locaweb, que tem como objetivo otimizar os processos de gestão de negócios e melhorar a eficiência de seus vendedores.  2022-05-04

Iniciativa fortalece PMEs da cadeia têxtil e de confecções de São Paulo
A Organização Internacional do Trabalho (OIT), em parceria com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) e a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), vai fortalecer as pequenas e médias empresas (PMEs) da cadeia têxtil e de confecções da Região Metropolitana de São Paulo, inicialmente, por meio da introdução no Brasil da metodologia Sustentando Empresas Competitivas e Responsáveis (SCORE, na sigla em inglês).  2022-05-03

Aumento de preços na indústria de vestuário é de quase 30%, aponta IEMI
Pesquisa realizada pelo IEMI - Inteligência de Mercado, empresa especializada em pesquisa setorial, revelou que o aumento médio dos preços de insumos como tecidos, malhas e aviamentos foi de 29,3% em 2021, comparado com 2020. A pesquisa, feita com 100 empresas de confecções de abrangência nacional, mostra que 96% dos entrevistados sentiram esse aumento.  2022-04-29

Minas Trend aponta caminhos para transformação no setor
O 27ª Minas Trend foi aberto oficialmente na terça-feira (19) com uma coletiva de imprensa com Flávio Roscoe, presidente da FIEMG, e Afonso Maria Rocha, superintendente do Sebrae Minas. Roscoe destacou, inicialmente, que esta é a 27ª edição do Minas Trend, mas, na verdade, é o seu renascimento, uma vez que é a segunda edição pós-pandemia.  2022-04-20

Grupo brasileiro assume a gestão da marca italiana Diadora no Brasil
Varejista com 40 anos de existência e 120 lojas no Brasil, o Grupo Oscar anunciou contrato exclusivo de licenciamento e distribuição da marca italiana de sportswear Diadora no Brasil. O contrato garante ao grupo o direito de criar coleções, gerir o marketing, receber coleções europeias e distribuir itens da marca que ao longo de mais de 70 anos tem escrito uma das principais histórias de marcas esportivas do mundo.  2022-04-19

Arezzo&Co anuncia aquisição de fábrica de bolsas e empresa sourcing
Arezzo&Co (B3:ARZZ3), grupo que reúne as marcas Arezzo, Schutz, Anacapri, Alexandre Birman, Fiever, Alme, Vans, Grupo Reserva, BAW Clothing, Carol Bassi e TROC, anuncia a aquisição da HG e Sunset, duas empresas brasileiras de ponta na cadeia de fornecimento do segmento de calçados e bolsas.  2022-04-18

Dez compradores internacionais confirmam presença no Minas Trend
Visando promover a conexão entre as empresas mineiras do setor de moda com compradores internacionais selecionados, o Projeto Encontro de Negócios Internacionais acontecerá entre os dias 19 e 21 de abril de 2022, durante a 27ª edição do Minas Trend. Representantes de países como Inglaterra, Alemanha, Itália, Mônaco, Israel, Bolívia, Paraguai e Uruguai participam do evento.  2022-04-11

Grupo Malwee se une ao Movimento Sou de Algodão
O Grupo Malwee, uma das maiores empresas de moda do Brasil, se uniu ao Sou de Algodão, iniciativa da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), um movimento único no Brasil que une todos os agentes da cadeia produtiva do algodão e da indústria têxtil, incentivando o uso da fibra e promovendo a moda responsável e o consumo consciente.  2022-04-06

Aplicativo inédito promove reciclagem de roupas e moda circular
O aplicativo Plataforma Circular Cotton Move, iniciativa inédita no setor de Moda global, acaba de ser lançado e está disponível para download na Apple Store e Play Store, através do QR Code do projeto. A plataforma também é acessível pelo desktop em plataformacircular.app. O foco da plataforma é reduzir o desperdício têxtil e aumentar a escala da reciclagem de roupas de algodão no país, gerando novos produtos com fibras recicladas.  2022-04-01

Denim Show mostra indústria indiana de jeans na primeira edição de Mumbai
Inovador, elegante e sustentável, assim promete ser a Denim Show em sua primeira edição de Mumbai, Índia, que acontece de 12 a 14 de maio de 2022, no recém-lançado Jio World Convention Center (JWCC) em BKC. Como um dos segmentos de mercado em recuperação mais rápida após o surto de pandemia de Covid, a indústria de denim deve apresentar uma taxa de crescimento sustentável de 12% CAGR, destacou o secretário-geral da Denim Manufacturer Association (DMA), Gagandeep Singh.  2022-03-23

Solução desenvolvida pelo Sebrae auxilia empresários a montar um plano de negócios
Muitas pessoas desistem de colocar uma ideia em prática antes mesmo de começar. Para muitas delas, montar um plano de negócios pode ser desafiador, complicado e demandar muito tempo. Esse é um equívoco bastante comum por parte de quem pretende começar a empreender. Pensando nesse público, o Sebrae criou uma solução totalmente virtual e gratuita que descomplica a vida de quem quer abrir a própria empresa: o PNBOX.  2022-03-18

Grupo Paraíso comemora 30 anos como uma das maiores confecções do País
O Grupo Paraíso, detentor das marcas Amo Paraíso, LeTut, Le Bhua e Turminha Paraíso realizará ações bem focadas para festejar os seus 30 anos. As festividades serão no dia 30 de abril no Centro de Eventos de Terra Roxa, localizado no Paraná.  2022-03-17

Comércio de roupas é a atividade que mais formalizou MEI desde o início da pandemia
Apesar dos fortes impactos da pandemia do covid-19 sobre a economia brasileira, o número de microempreendedores individuais (MEI) continuou a crescer e tem batido recordes de formalizações ano a ano. Somente em 2020 e 2021, foram criados 5,7 milhões de MEI, sendo que a atividade que mais apresentou adesões foi a de comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios, com cerca de 380 mil formalizações.  2022-02-18 - Tags: microempreendedores mei economia mercado sebrae melles pandemia