Language
home » moda & varejo » moda vestuário » mercado

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

MALHA e Instituto C&A apresentam alguns vetores que devem guiar a indústria da moda

A questão do gênero vem sofrendo profundas transformações dentro da sociedade global. Temos um aumento de discussões referentes às liberdades, direitos e deveres historicamente distribuídos aos gêneros ao longo dos anos. E com o surgimento de novas tecnologias de informação e comunicação, aliados ao fenômeno da globalização e da chegada das gerações “Millenial” e “Z” ao mercado de trabalho, podemos notar reflexos dessas discussões na maneira como consumimos, principalmente, a moda.

É para trazer os insights e tendências deste novo cenário que a Malha – movimento por uma moda mais sustentável, colaborativa, local e independente – desenvolveu, em parceria com o Instituto C&A, o relatório “O Poder do Gênero”. O documento aborda os impactos das demandas de consumidores por uma maior fluidez de gênero, por empoderamento feminino (considerando inclusive a pluralidade dentro do movimento feminista) e por um novo modelo de masculinidade (‘não’ repressor e patriarcal); além de analisar a influência das mídias sociais e tecnologias na construção da nova forma de enxergar os gêneros.

Por fim, o relatório também reflete sobre os impactos destas demandas dentro da indústria da moda, mapeando novas oportunidades para o setor e incentivando as empresas a repensarem suas linhas, refletindo sobre como a produção deve se guiar para conversar com as próximas gerações e gerar uma nova moda libertadora – para todas as pessoas.

1. A nova onda do Movimento de Mulheres

O movimento feminista não é um fenômeno do século XXI: diversas ações em prol dos direitos das mulheres ocorrem desde há séculos e ganharam força com o passar dos anos, chegando ao ápice no século XX.

Em termos de Moda, o movimento feminista também influencia grandes mudanças no consumo há mais de um século: como quando Coco Chanel lança linhas de ternos para mulheres, questionando o masculino e o feminino e libertando as mulheres das cinturas marcadas, saias e espartilhos; ou quando, nos anos 60, temos o advento da minissaia; ou mesmo nos anos 2000, com o advento da moda “Sex and the City” valorizando a independência feminina e a hiperfeminilidade.

Porém, é a partir dos anos 2010 que podemos notar o desdobramento destes movimentos de mulheres e feministas, abordando diferentes tipos de corpos, vivências e padrões. O feminismo passa a trazer outros marcadores sociais, como raça, sexualidade, etnicidade, território, mostrando que ser mulher é se valer de uma gama plural de possibilidades, que devem ser atendidas e contempladas pelo mercado, por políticas públicas, por relações sociais.

Por isso, a moda pensada para o público feminino deve abordar uma visão interseccional, que incentive a mulher a se ressignificar por meio da resistência e da afirmação de poder. E com mais mulheres ocupando cargos públicos, o feminismo tende a afetar inclusive a indústria da moda – que passa a se preocupar tanto com o tipo de produto destinado ao consumidor, como em melhorar a qualidade de vida das mulheres que trabalham na indústria, ascendendo-as na cadeia de valor.

2.  Fluidez de Gênero

A indústria da moda sempre abordou a questão de gênero de forma vanguardista. Por essa razão que a moda é uma das primeiras a abraçar os novos paradigmas de gênero que se constroem ao longo do século XXI.

Entendendo gênero como uma construção social, a moda descortina o leque de opções, podendo criar para muito além do modelo binário e da “normalidade” homem-mulher imposta.

Abre-se aqui o mercado para a absorção dos públicos LGBTQIAA, com criações para indivíduos cis, trans, não-binários; e a partir de uma moda agênero ou mesmo mais fluida, sem demarcação de divisórias. O relatório demonstra que, entre a geração Z, por exemplo – considerado “mercado do futuro” –, o desejo de experimentar novas possibilidades identitárias é grande.

A criação desta nova moda mais fluida colabora também para um importante e significativo movimento cultural: a abolição do masculino padrão, com regras e normas que reprimem não só homens e meninos, mas também mulheres, todos presos a um ideal nocivo e tóxico de masculinidade. A moda agênero questiona a masculinidade “padrão”, abrindo espaços para discussões e alimentando a esperança de que as marcas criem, cada vez mais, coleções que saiam do padrão normatizado, abrangendo novos consumidores e criando um clima de aceitação e empatia entre os consumidores.

3. Revolução Tecnológica, Distopia e Utopia de Gênero;

O advento e a popularização das mídias sociais trouxeram uma realidade complexa e até mesmo contraditória. Por um lado, temos a abertura para a manifestação de diferentes visões de gênero e sexualidade, com a possibilidade de encontrarmos em diversos lugares do mundo indivíduos que compartilhem de um mesmo pensamento. Por outro, temos o reforço dos preconceitos, em ataques virtuais com alto poder de virulência, protegidos pelo anonimato das redes. É a dupla realidade, utópica e distópica, tudo ao mesmo tempo.

Isso faz com que os ambientes das discussões, tendências e debates em torno da moda sejam permeados de realidades conflitantes.

O relatório também aponta como a análise de dados, desprovidas de um código de ética natural, podem reproduzir e absorver os preconceitos. Bots, apps e algoritmos vêm perpetuando estruturas de poder. É urgente a necessidade de nos apoderarmos desses meios, inclusive com a discussão de como a Inteligência Artificial deva ser conduzida e utilizada.

Os movimentos de ciberativismo e ciberfeminismo estão atentos à reprodução dos comportamentos. Diversos casos de assédio sexual às assistentes pessoais (Siri, Cortana, Alexa) assim como assistentes “femininas”, sempre de voz tranquila, prestativas e subservientes, mostram como procurar alternativas de combate e ocupação dos espaços é necessário. A criação de apps e linguagens que abracem a causa da igualdade de gênero já é uma realidade e a moda deve se inteirar das novas possibilidades.

Sobre a Malha

 A Malha é uma plataforma para o ecossistema da moda que conecta criadores, empreendedores, produtores, fornecedores e consumidores pela construção de uma moda sustentável, colaborativa, local e independente. Para isso, provê os meios de produção e estimula a troca e a criação de conhecimento. É ao mesmo tempo uma consultoria de novas tecnologias e futuro da moda e uma comunidade, além de atuar como escola e laboratório de experimentação.

Sobre o Instituto C&A

O Instituto C&A atua na promoção de uma indústria da moda mais justa e sustentável no Brasil. A organização, que se integrou à C&A Foundation em 2015, foca suas ações em cinco áreas: Incentivo ao Algodão Sustentável, Melhores Condições de Trabalho, Combate ao Trabalho Forçado e ao Trabalho Infantil, Moda Circular e Fortalecimento de Comunidades. Nos seus 26 anos de história, apoiou projetos na área de educação, temática que seguirá apoiando até 2018. A instituição oferece apoio técnico e financeiro e atua em rede para permitir que organizações sociais, marcas e outros agentes de transformação construam uma indústria da moda melhor. Saiba mais em: www.institutocea.org.br .  

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Fonte: Imprensa Instituto C&A
Foto: Divulgação

Data de publicação: 06/07/2018

Conteúdo relacionado


Varejo cresce 12% com as promoções da Semana do Brasil
Cosméticos, com crescimento de 19% entre 6 e 11 de setembro; seguido por móveis e eletrônicos (16%), supermercados (13%) e vestuário e artigos esportivos (7%), foram os setores cujas vendas foram impulsionadas durante os quatro primeiros dias da Semana do Brasil, idealizada pelo governo federal para ser a “Black Friday” brasileira e estimular o comércio em todo o país.  2019-09-18 - Tags: cielo cosmeticos black friday semana do brasil resultados artigos esportivos

Varejistas defendem moda com responsabilidade social e ambiental no Latam 2019
Durante o Latam Retail Show 2019, maior evento dedicado ao varejo da América Latina, realizado de 27 a 29 de agosto no Expor Center Norte, em São Paulo, a Abvtex (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) debateu a responsabilidade social e ambiental na moda com dois grandes varejistas do setor, Pernambucanas e Riachuelo.  2019-09-06 - Tags: acordo mercosul uniao europeia programa abvtex edmundo lima projeto smart marcella kanner abvtex ariel claudio tolchinsky pernambucanas latam retail show 2019

Dafiti passa a ter Gap em seu portfólio
Líder em e-commerce de moda na América Latina, a Dafiti acaba de introduzir em seu portfólio a icônica marca norte-americana Gap, que está completando 50 anos de lançamento. Tudo começou em São Francisco, na Califórnia, em 1969 quando Don e Doris Fisher abriram sua primeira loja da Gap na Ocean Avenue.  2019-08-29 - Tags: dafiti gap ocean avenue moda malte huffmann dafiti group

Vicunha Têxtil discute gestão hídrica em painel de sustentabilidade
A gigante têxtil participa de sala temática do Congresso Brasileiro de Algodão (CBA), que acontece durante a 12ª edição do Congresso do Algodão Brasileiro em Goiânia, de 27 a 29 de agosto, junto à Associação Brasileira dos Produtores de Algodão e o Movimento Ecoera.  2019-08-27 - Tags: vicunha textil sustentabilidade pegada hidrica marcio portocarrero chiara gadaleta

Mesmo tímido inverno aquece as vendas no varejo
O movimento de vendas do varejo da capital paulista cresceu em média 1,3% na primeira quinzena de agosto frente ao mesmo período de 2018. O dado é do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo. “A leve alta das vendas a prazo ocorreu em razão da variação climática, que levou consumidores a comprarem itens específicos de inverno", comenta Marcel Solimeo, da ACSP.  2019-08-20 - Tags: varejo inverno vendas acsp scpc marcel solimeo iemi abvtex

Lojas Renner promove capacitação em oficinas têxteis
A Lojas Renner, maior varejista de moda do Brasil, iniciou em 2019 um novo ciclo da parceria com alguns de seus fornecedores e o Sebrae, que oferece capacitação e consultoria em oficinas têxteis contratadas por estes fornecedores.  2019-08-14 - Tags: renner oficina textil varejista sebrae clarice martins costa sustentabilidade

Internautas buscam informações on-line antes de ir às lojas
Quando se trata de eletrodomésticos, celulares e smartphones e eletrônicos, 97% dos internautas brasileiros buscam informações na internet antes de comprar em lojas físicas, enquanto 84% fazem o caminho inverso, pesquisando em lojas físicas antes de comprar na internet.  2019-07-26 - Tags: eletrodosmeticos celulares smartphones eletronicos confederaçao nacional de dirigentes lojistas

MPT-GO firma acordo para contratação de alunos dos projetos de empregabilidade
O Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO) assinou um termo de cooperação técnica com o Grupo Mega Moda, formado pelo Mega Moda Shopping, Mega Moda Park, Mini Moda, Clube de Costura, Praça da Moda e Mega Moda Hotel, para viabilizar a contratação dos alunos de projetos de empregabilidade do órgão.  2019-07-24 - Tags: ministerio publico do trabalho goias costurando poemas mega moda hotel praça da moda tiago ranieri

A indústria do vestuário e o desafio da sustentabilidade
Para alcançar o grande desafio da sustentabilidade, a indústria do vestuário deverá, cada vez mais, trabalhar de forma colaborativa e seus profissionais precisam estar preparados para interagir com todos os parceiros ao longo da cadeia de abastecimento, e até mesmo com seus concorrentes.  2019-07-12 - Tags: textil textile intelligence cultura fashion vestuario global apparel markets moda

Vendas de máquinas de costura crescem 30% em 2019
Impulsionadas principalmente pelo setor de artesanato, a indústria de máquinas de costura tem registrado um crescimento robusto nos últimos anos no Brasil, especialmente durante o período conhecido como “pós-crise”. Segundo a Andrade Máquinas, as vendas de máquinas domésticas já acumula alta de 30% no 1º semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018.  2019-07-08 - Tags: costura maquinas mercado costura industrial andrade maquinas profissionais textil

Lançamento do Relatório 2018 do Programa ABVTEX
A Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) e as varejistas associadas que representam cerca de 90 marcas do varejo de moda nacionais e internacionais atuam fortemente na formalização do trabalho com o Programa ABVTEX, considerado o maior esforço setorial em prol da responsabilidade socioambiental, do compliance e na promoção do trabalho digno.  2019-07-01 - Tags: abvtex textil varejo moda nacional moda internacional programa abvtex

Varejo de interação: como proporcionar experiências para o consumidor?
Você sabia que as inovações tecnológicas podem refletir oportunidades positivas para a sua loja, fidelizar clientes e serem ótimas ações para encantar consumidores? Isso é possível graças às tecnologias como Omnichannel, RFID, Big Data, QR Code e inteligência artificial.  2019-06-28 - Tags: rfid big data qr code vitrine interativa fabio avellar varejo interacao mercado

Renner lidera ranking das varejistas de moda de maior reputação para o brasileiro
Em pesquisa realizada pela consultoria de marketing DOM Strategy Partners, a Renner foi eleita a empresa com negócios no segmento varejista de moda de melhor reputação entre todas as outras que produzem no Brasil. A marca conquistou 7,62 pontos e foi classificada como "forte" na mensuração de valores adotada pela consultoria.  2019-06-27 - Tags: dom strategy partners reputation index by dom strategy partners renner varejo ranking

Varejo de SP cresce 1,4% na 1ª quinzena de junho, diz ACSP
O movimento de vendas do varejo da capital paulista cresceu em média 1,4% na primeira quinzena de junho de 2019, frente ao mesmo período de 2018, segundo o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). A média resulta das altas de 2% do sistema a prazo e de 0,8% do sistema à vista.  2019-06-19 - Tags: associacao comercial de sao paulo acsp marcel solimeo varejo mercado sao paulo

Escolaridade tem influência na formalização dos negócios no Brasil
O empreendedorismo no Brasil ainda é uma atividade profundamente marcada pela informalidade. Dados do IBGE apontam que dos 28,4 milhões de donos de negócio no país, cerca de 2/3 afirmam não possuir CNPJ. Estudo inédito do Sebrae, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE), mostra que essa informalidade é determinada por aspectos estruturais, em especial o nível de escolaridade.  2019-06-19 - Tags: empreendedorismo educacao informalidade escolaridade sebrae cnpj

Haco anuncia investimentos de mais de 20 milhões em fábricas de Santa Catarina
A Haco investirá mais de R$ 20 milhões nas fábricas em Santa Catarina. O investimento ampliará a capacidade da empresa em função do crescimento das vendas nos últimos anos. Uma parte do orçamento será para a aquisição de dezenas de novos teares para a produção de etiquetas tecidas de alta definição.  2019-06-07 - Tags: haco santa catarina parque fabril alberto conrad lowndes investimento jeanswear luciano mondini projeto rfid

Instituto C&A apoia primeiro fórum internacional de moda sustentável do país
Na semana do Meio Ambiente, o Instituto C&A estará presente no primeiro fórum internacional de moda sustentável do Brasil. O Rio Ethical Fashion (REF), idealizado pela estilista Yamê Reis, acontecerá entre os dias 6 e 8 de junho, no IED Rio e no Oi Casa Grande, ambos no Rio de Janeiro. O intuito do evento será debater, criar parcerias, inspirar e difundir os valores da sustentabilidade na moda brasileira.  2019-05-31 - Tags: agenda moda brasil c&a foundation rio ethical fashion meio ambiente yame reis fashion for good giuliana ortega

Famílias de baixa renda representam 49% do consumo de roupas e calçados esportivos no Brasil
Os consumidores brasileiros menos favorecidos, com rendimentos familiares mensais de até R$ 2.489, estão comprando cada vez mais calçados e roupas esportivas. Em 2016 eles representavam 42% das vendas, índice que saltou para 49% em 2018, como revela o monitoramento contínuo do The NPD Group (www.npd.com) com shoppers em todo o país.  2019-05-29 - Tags: baixa renda roupas esportivas npd group consumo mercador esportivo

Grupo Malwee seleciona startups para inserir varejo de rua no mundo digital
O Grupo Malwee lançou chamada no Edital de Inovação para a indústria a fim de selecionar projetos inovadores apresentados por startups. Serão escolhidas até cinco propostas que utilizem ferramentas destinadas a oferecer uma experiência de compra diferenciada e inovadora, como a inserção de lojistas multimarcas no mundo digital.  2019-05-28 - Tags: sebrae grupo malwee edital de inovacao institutos senai de tecnologia new retail illan sztejnman

Senai Cetiqt desenvolve ponto de vendas em realidade virtual
É fato que os consumidores estão, cada vez mais, preferindo as compras virtuais às físicas. Até 2021, segundo uma pesquisa do Google, 67,4 milhões de pessoas farão sua primeira compra pela Internet. E se ao invés de elas apenas escolherem peças estáticas em uma página de internet pudessem passear virtualmente por uma loja de verdade?  2019-05-24 - Tags: senai cetiqt ponto de experiencia de consumo angelica coelho ponto de vendas realidade virtual