Language
home » moda & varejo » moda vestuário » mercado

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

MALHA e Instituto C&A apresentam alguns vetores que devem guiar a indústria da moda

A questão do gênero vem sofrendo profundas transformações dentro da sociedade global. Temos um aumento de discussões referentes às liberdades, direitos e deveres historicamente distribuídos aos gêneros ao longo dos anos. E com o surgimento de novas tecnologias de informação e comunicação, aliados ao fenômeno da globalização e da chegada das gerações “Millenial” e “Z” ao mercado de trabalho, podemos notar reflexos dessas discussões na maneira como consumimos, principalmente, a moda.

É para trazer os insights e tendências deste novo cenário que a Malha – movimento por uma moda mais sustentável, colaborativa, local e independente – desenvolveu, em parceria com o Instituto C&A, o relatório “O Poder do Gênero”. O documento aborda os impactos das demandas de consumidores por uma maior fluidez de gênero, por empoderamento feminino (considerando inclusive a pluralidade dentro do movimento feminista) e por um novo modelo de masculinidade (‘não’ repressor e patriarcal); além de analisar a influência das mídias sociais e tecnologias na construção da nova forma de enxergar os gêneros.

Por fim, o relatório também reflete sobre os impactos destas demandas dentro da indústria da moda, mapeando novas oportunidades para o setor e incentivando as empresas a repensarem suas linhas, refletindo sobre como a produção deve se guiar para conversar com as próximas gerações e gerar uma nova moda libertadora – para todas as pessoas.

1. A nova onda do Movimento de Mulheres

O movimento feminista não é um fenômeno do século XXI: diversas ações em prol dos direitos das mulheres ocorrem desde há séculos e ganharam força com o passar dos anos, chegando ao ápice no século XX.

Em termos de Moda, o movimento feminista também influencia grandes mudanças no consumo há mais de um século: como quando Coco Chanel lança linhas de ternos para mulheres, questionando o masculino e o feminino e libertando as mulheres das cinturas marcadas, saias e espartilhos; ou quando, nos anos 60, temos o advento da minissaia; ou mesmo nos anos 2000, com o advento da moda “Sex and the City” valorizando a independência feminina e a hiperfeminilidade.

Porém, é a partir dos anos 2010 que podemos notar o desdobramento destes movimentos de mulheres e feministas, abordando diferentes tipos de corpos, vivências e padrões. O feminismo passa a trazer outros marcadores sociais, como raça, sexualidade, etnicidade, território, mostrando que ser mulher é se valer de uma gama plural de possibilidades, que devem ser atendidas e contempladas pelo mercado, por políticas públicas, por relações sociais.

Por isso, a moda pensada para o público feminino deve abordar uma visão interseccional, que incentive a mulher a se ressignificar por meio da resistência e da afirmação de poder. E com mais mulheres ocupando cargos públicos, o feminismo tende a afetar inclusive a indústria da moda – que passa a se preocupar tanto com o tipo de produto destinado ao consumidor, como em melhorar a qualidade de vida das mulheres que trabalham na indústria, ascendendo-as na cadeia de valor.

2.  Fluidez de Gênero

A indústria da moda sempre abordou a questão de gênero de forma vanguardista. Por essa razão que a moda é uma das primeiras a abraçar os novos paradigmas de gênero que se constroem ao longo do século XXI.

Entendendo gênero como uma construção social, a moda descortina o leque de opções, podendo criar para muito além do modelo binário e da “normalidade” homem-mulher imposta.

Abre-se aqui o mercado para a absorção dos públicos LGBTQIAA, com criações para indivíduos cis, trans, não-binários; e a partir de uma moda agênero ou mesmo mais fluida, sem demarcação de divisórias. O relatório demonstra que, entre a geração Z, por exemplo – considerado “mercado do futuro” –, o desejo de experimentar novas possibilidades identitárias é grande.

A criação desta nova moda mais fluida colabora também para um importante e significativo movimento cultural: a abolição do masculino padrão, com regras e normas que reprimem não só homens e meninos, mas também mulheres, todos presos a um ideal nocivo e tóxico de masculinidade. A moda agênero questiona a masculinidade “padrão”, abrindo espaços para discussões e alimentando a esperança de que as marcas criem, cada vez mais, coleções que saiam do padrão normatizado, abrangendo novos consumidores e criando um clima de aceitação e empatia entre os consumidores.

3. Revolução Tecnológica, Distopia e Utopia de Gênero;

O advento e a popularização das mídias sociais trouxeram uma realidade complexa e até mesmo contraditória. Por um lado, temos a abertura para a manifestação de diferentes visões de gênero e sexualidade, com a possibilidade de encontrarmos em diversos lugares do mundo indivíduos que compartilhem de um mesmo pensamento. Por outro, temos o reforço dos preconceitos, em ataques virtuais com alto poder de virulência, protegidos pelo anonimato das redes. É a dupla realidade, utópica e distópica, tudo ao mesmo tempo.

Isso faz com que os ambientes das discussões, tendências e debates em torno da moda sejam permeados de realidades conflitantes.

O relatório também aponta como a análise de dados, desprovidas de um código de ética natural, podem reproduzir e absorver os preconceitos. Bots, apps e algoritmos vêm perpetuando estruturas de poder. É urgente a necessidade de nos apoderarmos desses meios, inclusive com a discussão de como a Inteligência Artificial deva ser conduzida e utilizada.

Os movimentos de ciberativismo e ciberfeminismo estão atentos à reprodução dos comportamentos. Diversos casos de assédio sexual às assistentes pessoais (Siri, Cortana, Alexa) assim como assistentes “femininas”, sempre de voz tranquila, prestativas e subservientes, mostram como procurar alternativas de combate e ocupação dos espaços é necessário. A criação de apps e linguagens que abracem a causa da igualdade de gênero já é uma realidade e a moda deve se inteirar das novas possibilidades.

Sobre a Malha

 A Malha é uma plataforma para o ecossistema da moda que conecta criadores, empreendedores, produtores, fornecedores e consumidores pela construção de uma moda sustentável, colaborativa, local e independente. Para isso, provê os meios de produção e estimula a troca e a criação de conhecimento. É ao mesmo tempo uma consultoria de novas tecnologias e futuro da moda e uma comunidade, além de atuar como escola e laboratório de experimentação.

Sobre o Instituto C&A

O Instituto C&A atua na promoção de uma indústria da moda mais justa e sustentável no Brasil. A organização, que se integrou à C&A Foundation em 2015, foca suas ações em cinco áreas: Incentivo ao Algodão Sustentável, Melhores Condições de Trabalho, Combate ao Trabalho Forçado e ao Trabalho Infantil, Moda Circular e Fortalecimento de Comunidades. Nos seus 26 anos de história, apoiou projetos na área de educação, temática que seguirá apoiando até 2018. A instituição oferece apoio técnico e financeiro e atua em rede para permitir que organizações sociais, marcas e outros agentes de transformação construam uma indústria da moda melhor. Saiba mais em: www.institutocea.org.br .  

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Fonte: Imprensa Instituto C&A
Foto: Divulgação

Data de publicação: 06/07/2018

Conteúdo relacionado


Centro Global de Pesquisa investe €20 mi em inteligência artificial
A Criteo S.A. (NASDAQ: CRTO), plataforma de anúncios para a Internet aberta, anunciou, em Paris, o lançamento do Criteo AI Lab, um centro de excelência dedicado à criação, experimentação e desenvolvimento em escala de tecnologia para Machine Learning.  2018-07-13 - Tags: criteo machine learning centro global de pesquisa suju rajan

MALHA e Instituto C&A apresentam alguns vetores que devem guiar a indústria da moda
A questão do gênero vem sofrendo profundas transformações dentro da sociedade global. Temos um aumento de discussões referentes às liberdades, direitos e deveres historicamente distribuídos aos gêneros ao longo dos anos. E com o surgimento de novas tecnologias de informação e comunicação, aliados ao fenômeno da globalização e da chegada das gerações “Millenial” e “Z” ao mercado de trabalho, podemos notar reflexos dessas discussões na maneira como consumimos, principalmente, a moda.  2018-07-06 - Tags: malha questao do genero instituto c&a movimento de mulheres vetores moda fluidez de genero

Ricardo Almeida cria nova marca com os filhos e negocia venda de 20% de sua empresa
A jornalista Sonia Racy, apresentadora do Show Business, entrevistou o estilista Ricardo Almeida para o programa que vai ao ar neste domingo (1/7). No encontro, o empresário fez duas revelações: vai vender parte do negócio para um sócio investidor e lançar com os filhos a marca RA2.  2018-07-02 - Tags: show business ra2 ricardo almeida josé carlos semenzato sonia racy

Inadimplência das empresas sobe após greve nos transportes
Após quatro meses de estabilidade, o número de empresas inadimplentes voltou a subir em maio. Segundo a Serasa Experian, o resultado negativo é reflexo da paralisação dos caminhoneiros, que acabou afetando várias cadeias produtivas. Foram registrados 5,5 milhões de CNPJs negativados, aumento de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior.  2018-06-29 - Tags: cnpjs serasa experian greve nos transportes inadimplencia marcelo leal america latina

Camex rejeita pedido de redução na alíquota de roupa importada
Em reunião realizada na última terça feira, 19 de junho, o GECEX (Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior) decidiu indeferir o pleito apresentado para redução da alíquota do imposto de importação, de 35% para 20%, para 4 grupos de produtos de vestuário.  2018-06-22 - Tags: abit gecex comite executivo de gestao da camara de comercio exterior comex importacao

Vendas do varejo têxtil e de confecção crescem 0,3% em abril
As vendas do varejo do setor têxtil e de confecção cresceram 0,3% em abril, na comparação com março deste ano, conforme apontam dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro da Indústria Têxtil e de Confecção). Em 12 meses, por outro lado, a evolução do setor foi de 4,8%, ante aumento de 3,8% do varejo como um todo.  2018-06-19 - Tags: ibge abit fernando pimentel varejo textil confeccao greve

FIT 0/16 ocorre em momento de alta no varejo e indústria de moda infantil
Maior evento com os lançamentos e tendências do setor de moda infantil da América Latina, a “FIT 0/16” será realizada entre os dias 7 e 10 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo. A feira ocorre em momento favorável para o setor, já que estimativas preliminares do IEMI Inteligência de Mercado - especializado em estudos de mercado de vestuário - apontam que o vestuário infantil e bebê deve movimentar mais de R$ 53 bilhões no varejo em 2018, receita 7,9% maior em relação ao ano passado.  2018-06-05 - Tags: iemi fit 016 moda infantil mercado industria vestuario

Herchcovitch é o novo head de estilo da Olympikus e do grupo Vulcabras Azaleia
A maior marca esportiva nacional se une ao maior estilista brasileiro em atividade. Alexandre Herchcovitch está trabalhando na Vulcabras Azaleia como head de estilo, cargo criado especialmente para sua função. Sua ação tem, inicialmente, foco na Olympikus.  2018-05-30 - Tags: olympikus vulcabras azaleia alexandre herchcovitch kantar worldpanel a la garçonne

FGV lança Índice que aponta que jovens são menos otimistas quanto à tecnologia
Estudo do professor André Miceli, coordenador do curso de MBA em Marketing Digital da Fundação Getulio Vargas (FGV), indica o impacto da tecnologia na vida do brasileiro. O Índice de Confiança Digital (ICD) mede a confiança de consumidores em diversos segmentos, como mudanças políticas, sociais, econômicas, ambientais ou mesmo tecnológicas.  2018-05-21 - Tags: marketing digital fundacao getulio vargas indice de confiança digital andre miceli icd

Nova loja da Marisol no Paraná
A Marisol S.A inaugura mais uma franquia da marca Marisol. Desta vez, na cidade de Guarapuava, no Shopping Cidades dos Lagos. Essa é a terceira unidade da rede no Paraná, que já conta com lojas em Curitiba e Maringá.  2018-05-17 - Tags: marisol shopping cidades dos lagos guarapuava franquias loja franqueada

Fecomércio MG mostra raio X econômico do Sul de Minas
Segunda maior população do Estado de Minais Gerais, reunindo 12% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro, o Sul de Minas é o terceiro território contemplado na série de pesquisas que traça o perfil econômico das empresas do setor varejista das dez regiões de planejamento estaduais, realizada pelo Departamento de Estudos Econômicos da Fecomércio MG.  2018-05-10 - Tags: produto interno bruto fecomercio mg varejo minas gerais tecnologia

Parceria entre Senai Cetiqt e ABVTEX visa atendimento à confecção
A ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), entidade que representa as principais redes de varejo de moda do País, firmou parceria com Senai Cetiqt - Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil, do Rio de Janeiro, em prol do desenvolvimento da indústria de confecção nacional.  2018-05-04 - Tags: programa abvtex abvtex senai cetiqt tecnologia inovacao

Varejo de moda brasileiro alinhado aos princípios globais para a moda sustentável
O fórum sustentável Global Fashion Agenda (GFA) acaba de divulgar a primeira edição histórica de um relatório com medidas que devem estar nos planos de curto e longo prazo das empresas envolvidas com moda sobre os investimentos em sustentabilidade.  2018-04-20 - Tags: global fashion agenda gfa copenhaguen fashion summit ceo agenda 2018 abvtex edmundo lima sustentabilidade

Brasil terá transporte de carga de altíssima velocidade
A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o Ministério da Industria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) e a empresa Hyperloop estabeleceram uma parceria para o desenvolvimento de um centro de pesquisa. O Centro Global de Inovação em Logística vai funcionar na cidade de Contagem (MG) e tem como objetivo desenvolver um sistema de transporte de carga de altíssima velocidade, capaz de atingir 1,2 mil quilômetros por hora.  2018-04-09 - Tags: abdi htt agencia brasileira de desenvolvimento industrial hyperloop transportation technologies guto ferreira bibop gresta

Varejo de vestuário deve crescer 6,1% em volume em 2018
Após dois anos de dificuldades (2015 e 2016), onde o varejo de vestuário no Brasil acumulou uma queda de 11% no volume de peças comercializadas, 2017 registrou uma importante recuperação das vendas para o setor. Estimativas preliminares do IEMI Inteligência de Mercado, especializado em estudos de mercado, varejo e comportamento de compra dos setores de têxteis.  2018-04-06 - Tags: varejo de vestuario iemi inteligência de mercado estudos de mercado varejo e comportamento de compra dos setores de texteis

Parceria entre ABVTEX e Senai Cetiqt beneficia cadeia produtiva da moda
A ABVTEX acaba de firmar parceria com o Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil - SENAI CETIQT, um dos maiores centros latino-americanos de produção de conhecimento aplicado à cadeia produtiva, em prol do desenvolvimento da indústria de confecção nacional.  2018-04-05 - Tags: abvtex programa abvtex senai cetiqt confeccao nacional cadeia produtiva da moda

Renner é eleita a Loja Mais Querida do E-commerce na categoria moda e acessórios
A Renner, maior varejista de moda do Brasil, foi eleita a Loja Mais Querida do E-commerce do país em 2017 na categoria moda e acessórios, no prêmio organizado pela Ebit. O resultado foi divulgado em uma cerimônia realizada na última quinta-feira, dia 8, na cidade de São Paulo.  2018-03-13 - Tags: renner ebit ecommerce premio ebit varejo

ABVTEX lança Relatório 2017 com ações realizadas para cadeia de moda
A Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) acaba de lançar aos varejistas associados, o Relatório 2017. Disponível somente em formato eletrônico, o documento traz, além da prestação de contas das ações da entidade durante o ano, informações sobre as principais temáticas do setor de varejo de moda e seu papel como promotor de diálogo junto aos diversos stakeholders, (influenciadores) que atuam na cadeia da moda.  2018-03-08 - Tags: abvtex associacao brasileira do varejo textil relatorio 2017 varejo centauro c&a marisa renner riachuelo netshoes

Ecotag cresce 150% em número de lacres de autenticidade entregues em 2017
Combater a falsificação e garantir a segurança na troca de mercadorias são apenas duas das funções dos lacres de autenticidade. As peças, que pode ser genéricas ou ter a aplicação da marca, trazem credibilidade para empresas e consumidores. E é com a produção nacional delas que a Ecotag, indústria que fica em Blumenau (SC), registrou em 2017 um crescimento de 150% na produção e ultrapassou o índice de mil clientes ativos.  2018-02-20 - Tags: ecotag endeavor fcnp lacres de autenticidade lacres de seguranca

Instituto C&A abre edital de transparência para iniciativas da Indústria da Moda
A indústria da moda está cada vez mais atenta às condições de trabalho em que as peças são confeccionadas. Em resposta às demandas por maior transparência, um número crescente de marcas e grupos industriais começou a divulgar publicamente informações como nomes e locais das oficinas de costura com as quais trabalham, condições de trabalho, informações de segurança e muito mais.  2018-02-19 - Tags: giuliana ortega instituto c&a industria da moda transparencia moda brasil