Language
home » moda & varejo » moda vestuário » mercado

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Exportações de calçados sentem impacto da guerra comercial

Influenciadas pela guerra comercial instalada entre as duas maiores potências mundiais, Estados Unidos e China, as exportações brasileiras de calçados caíram no mês de outubro. Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que, no mês passado, os calçadistas embarcaram 10 milhões de pares que geraram US$ 80,57 milhões, quedas de 14% na receita e de 8,3% no volume em relação ao mesmo mês de 2018. Com isso, as exportações somaram US$ 798,87 milhões e 93,35 milhões de pares no acumulado dos dez meses, incrementos de 0,6% e de 4%, respectivamente, no comparativo com igual período do ano passado.

O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, avalia que, embora as exportações para os Estados Unidos tenham seguido a trajetória de elevação, como resultado da imposição de tarifas de importação locais para calçados chineses, por outro lado o produto brasileiro perdeu mercado em outros clientes internacionais importantes e que foram alvo da "desova" dos produtos asiáticos. "Apesar de os dois países estarem na mesa de negociação para por fim ao impasse, o mundo ainda sente os efeitos da guerra comercial, especialmente pela recente desvalorização artificial do Yuan (moeda chinesa), que tornou o produto chinês ainda mais competitivo. Além disso, no acumulado do ano, as exportações chinesas de calçados para os Estados Unidos caíram 3%, ou seja, mais de US$ 260 milhões em produtos que precisaram ser realocados em outros mercados ao redor do mundo", explica o dirigente. 

Além do impacto da guerra comercial, Ferreira destaca a sequência da crise argentina e os ajustes do câmbio, este último que fez com que o preço médio do calçado brasileiro caísse 24% nos últimos três meses, de US$ 10,60 para US$ 8. "Ou seja, os exportadores puderam baixar o preço médio, em dólar, sem perder a rentabilidade. O fato, na estatística, pesa na queda dos valores gerados pelos embarques", avalia. 
 

Destinos

O principal destino do calçado brasileiro no exterior segue sendo os Estados Unidos. No mês de outubro, foram embarcados para lá 945,7 mil pares que geraram US$ 14,74 milhões, incremento de 10,5% em volume e queda de 17,4% em receita no comparativo com o mesmo mês de 2018. Com o resultado, no acumulado dos dez meses, os norte-americanos somaram a importação de 9,88 milhões de pares de calçados brasileiros, que geraram US$ 165,16 milhões, incrementos de 35,2% e de 30,4%, respectivamente, ante o mesmo ínterim do ano passado.

O segundo destino do calçado brasileiro é a Argentina, que, no mês passado, importou 1 milhão de pares por US$ 9,76 milhões, quedas de 25,3% e de 13,6%, respectivamente, ante período correspondente de 2018. No acumulado dos dez meses, os argentinos somam a importação de 8 milhões de pares por US$ 86,9 milhões, quedas tanto em volume (-25,5%) como em receita (-31,2%) na relação com mesmo período do ano passado.

Na terceira posição do ranking aparece a França, para onde, em outubro, foram embarcados 584,68 mil pares por US$ 3,53 milhões, altas tanto em volume (16,5%) como em receita (13,3%) na relação com mesmo mês de 2018. Com o resultado, no acumulado os franceses somam a importação de 5,9 milhões de pares por US$ 45,77 milhões, incrementos de 1,8% e de 1,5%, respectivamente, em relação a igual intervalo do ano passado. 

RS: o maior exportador

O Rio Grande do Sul segue sendo o principal estado exportador de calçados. Nos dez meses do ano, os calçadistas gaúchos embarcaram 25 milhões de pares que geraram US$ 365,84 milhões, incrementos de 9,8% em volume e de 2,1% em receita no comparativo com o mesmo período de 2018. O segundo maior exportador dos dez meses foi o Ceará, de onde partiram 31,77 milhões de pares que geraram US$ 192,73 milhões, queda de 1,7% em volume e incremento de 1,1% em receita em relação ao período correspondente do ano passado. No terceiro posto do período aparece São Paulo.

Nos dez meses, os paulistas embarcaram 6,37 milhões de pares por US$ 86,65 milhões, incremento de 6,6% em volume e queda de 2,3% em receita no comparativo com o mesmo ínterim de 2018. Destaque desde o início do ano, a Paraíba aparece no quarto posto, com 15,66 milhões de pares embarcados por US$ 54,2 milhões, incremento tanto em volume (20,2%) como em receita (14%) em relação aos mesmos dez meses de 2018.

Importações

As importações seguem a trajetória de alta. Em outubro, entraram no Brasil 2,45 milhões de pares pelos quais foram pagos US$ 35,58 milhões, incrementos de 25,2% e de 25,6%, respectivamente, na relação com mesmo mês do ano passado. Com o resultado, no acumulado dos dez meses, as importações somaram 24,67 milhões de pares e US$ 324,55 milhões, altas de 3,9% e 6,7% no comparativo com o mesmo período do ano passado."Nas importações também sentimos o efeito da guerra comercial, já que a China está vendendo mais para o Brasil, apesar da tarifa extra do antidumping", avalia Ferreira, destacando que, para compensar a sobretaxa de US$ 10,22 por par, os chineses "jogam com o câmbio". "A China tem uma reserva internacional de mais de US$ 3 trilhões, quase dez vezes a brasileira. Isso faz com que eles possam mexer no câmbio com mais facilidade", acrescenta. 

Entre janeiro e outubro, a principal origem do calçado importado pelo Brasil foi o Vietnã, com 10,5 milhões de pares e US$ 161,45 milhões, queda tanto em volume (-1,6%) como em valores (-5,3%) em relação ao mesmo período de 2018. A segunda origem do período foi a Indonésia, que enviou para o Brasil 4,26 milhões de pares por US$ 68,33 milhões, altas tanto em volume (23,7%) como em valores (23%) na relação com igual ínterim de 2018.

A terceira origem foi a China, que embarcou para o Brasil 7,27 milhões de pares por US$ 42,24 milhões, incrementos de 2,7% e de 31,4%, respectivamente, em relação aos mesmos dez meses do ano passado. Em partes de calçados – cabedal, solas, saltos, palmilhas etc – foram importadas peças que equivalem a US$ 25,67 milhões, 39,8% menos do que no mesmo período do ano passado. As principais origens foram China, Vietnã e Paraguai.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Fonte: Assessoria de Imprensa Abicalçados
Fotos: Divulgação

Data de publicação: 13/11/2019

Conteúdo relacionado


Prefeitura de São Paulo e Fashion Revolution capacitam professores
A Prefeitura de São Paulo, em parceria com o Fashion Revolution Brasil e o British Council, realiza na próxima terça e quarta-feira, 18 e 19 de fevereiro, uma sessão de treinamento para professores na região central da cidade.  2020-02-14 - Tags: prefeitura sao paulo fashion revolution british council coworking brasil

Vestuário teve forte influência na baixa inflação de janeiro
O IPCA de janeiro, de 0,21%, o menor para o mês desde o Plano Real, teve forte influência do vestuário, que apresentou deflação de 0,48%, a maior dentre todos os segmentos. Dado foi divulgado pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), que também anuncia redução do déficit da balança comercial e do saldo negativo de postos de trabalho e aumento da produção física.  2020-02-11 - Tags: ipca abit vestuario inflacao balanca comercial producao textil

Indústria do denim investe cada vez mais na sustentabilidade
O denim sustentável foi a categoria de produto de consumo mais procurada em 2019. Foi o que revelou a edição de dezembro da Denim Première Vision, realizada em Londres que, ao contrário de edições anteriores, foi comercializada como “o evento de moda responsável do denim”, mostrando que o setor fez uma grande incursão na sustentabilidade.  2020-02-05 - Tags: denim pv londres textiles intelligence denim premiere vision londres pv21

Milano Unica unida para fortalecer 'Made in Italy'
A cerimônia tradicional de inauguração da trigésima edição da Milano Unica para a primavera-verão 2021, contou com a presença de autoridades que exaltaram a importância do setor têxtil e moda para a Itália, enaltecendo que o pais transforma materiais em “coisas” que as pessoas no mundo aspiram. Aproveitou para reforçar que o comércio internacional é uma das ferramenta da paz mundial.  2020-02-05 - Tags: ercole botto poala milano unica michelangelo pistoletto made in italy agencia ice

Varejo de moda avança no combate ao trabalho análogo ao escravo
Na semana em que se comemora o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, em 28 de janeiro, a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) chama atenção para a valorização dos trabalhadores e respeito à dignidade humana no mundo da moda.  2020-01-30 - Tags: varejo textil abvtex moda trabalhadores vestuario

Maioria dos brasileiros ainda preferem lojas físicas
De acordo com um estudo realizado pela Lett em parceria com a Opinion Box, cerca de 64% das pessoas preferem comprar em lojas físicas. Já 28,5% dos entrevistados sempre pesquisam os preços online - mesmo quando estão em uma loja física - e 35,2%, que realizam compras em varejo físico, buscam por informações do produto na internet.  2020-01-30 - Tags: lett opinion box lojas online marketplaces dassi boutique

Prazo para regularização do Simples Nacional termina 31 de janeiro
Os pequenos negócios, que foram excluídos do Simples Nacional em 2019, têm até 31 de janeiro para regularizarem as pendências e fazerem uma nova adesão ao regime, desde que não haja débito com a Receita Federal ou a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.  2020-01-23 - Tags: simples nacional receita federal procuradoria geral fazenda nacional prazo regularizaçao

Brechós utilizam redes sociais para expandir negócio
O mercado de Brechós é um dos segmentos que mais cresceu no Brasil nos últimos anos. A oferta de peças de vestuário de qualidade a preços mais acessíveis, aliada ao conceito de sustentabilidade, fez com que o público consumidor desse tipo de negócio crescesse expressivamente, atraindo a atenção de mais empreendedores.  2020-01-20 - Tags: brechos redes sociais michelle marketing vendas brasil

Mega Moda recebeu 10,7 milhões de pessoas em 2019
O Mega Moda, formado pelos shoppings atacadistas Mega Moda Shopping, Mega Moda Park e Mini Moda, recebeu mais de 10,7 milhões de pessoas no ano de 2019. Só no mês de dezembro, foram mais de 1,5 milhão de clientes, batendo a meta traçada.  2020-01-14 - Tags: mega moda metas clientes sebrae

Sebrae e Caixa assinam convênio para apoiar empreendedorismo no país
Com o objetivo de aproximar e facilitar o acesso dos donos de micro e pequenas empresas a soluções e serviços bancários, o Sebrae firmou, no dia 10 de dezembro, um acordo de cooperação técnica com a Caixa. A ideia é criar um ambiente favorável para a inclusão bancária e a educação financeira de empreendedores que ainda não se sentem seguros em buscar auxílio do sistema financeiro para desenvolver seus negócios.  2019-12-19 - Tags: pedro guimaraes caixa sebrae abcred caixa economica federal

Renner chega à Argentina e amplia atuação no Uruguai
A Renner faz sua estreia na Argentina com a abertura de quatro lojas entre os dias 12 e 18 de dezembro, em Córdoba e em Buenos Aires. As inaugurações são responsáveis por gerar 250 empregos diretos no país e marcam a continuidade da trajetória da rede varejista no exterior, iniciada em 2017, quando abriu suas primeiras lojas no Uruguai.  2019-12-17 - Tags: renner uruguai expansao piel canela peseo del jockey inauguraçao

Varejo de moda registra crescimento em vendas
O final do ano é a época mais aguardada pelo varejo de moda, pois traz consigo a perspectiva de um aumento nas vendas de vestuário. “Nesta data as roupas sempre estão na lista de itens mais procurados, seguidas de calçados e acessórios, como bolsas, bijuterias e joias”, afirma Edmundo Lima, diretor executivo da Abvtex (Associação Brasileira do Varejo Têxtil).  2019-12-16 - Tags: abvtex eduardo lima iemi black friday fim de ano

Alexandre Vale comanda uma das maiores marcas de moda masculina do Nordeste
Tendo como base uma família do ramo de vestuário, Alexandre Vale sempre acreditou nos fios e nos tecidos como sua vocação. Com R$ 100 que conseguiu do pagamento de uma dívida, resolveu comprar 13 camisas e vender.  2019-11-25 - Tags: alexandra vale dlt nordeste lojas ceo branding varejo

Vicunha apresenta novo posicionamento de mercado
Com mais de 50 anos de mercado e sensível a um mundo em constante transformação, a Vicunha, referência global em soluções jeanswear, apresenta ao mercado o modelo de negócios one stop shop, com a proposta de oferecer soluções integradas em jeanswear, do fornecedor ao consumidor final.  2019-11-22 - Tags: vicunha posicionamento mercado disep jeansidentity cultura vicunha

E-commerce registra alta de 30% em outubro e fatura R$ 6,2 bilhões
Os brasileiros estão cada vez mais confiantes nas plataformas digitais como ambiente para compras. De acordo com o Compre & Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, as vendas geraram R$ 6,2 bilhões, crescimento nominal de 30% em relação ao mesmo período do ano passado.  2019-11-21 - Tags: plataforma digital compre confie e commerce faturamento inteligencia de mercado

Exportações de calçados sentem impacto da guerra comercial
Influenciadas pela guerra comercial instalada entre as duas maiores potências mundiais, Estados Unidos e China, as exportações brasileiras de calçados caíram no mês de outubro.  2019-11-13 - Tags: guerra comercial calçados mercado compras vendas estados unidos china exportaçao abicalçados

Grupo Reserva está com 600 vagas em aberto para o fim de ano
O Grupo Reserva, detentor das marcas Reserva, Reserva Mini, Oficina, Ahlma e Eva, está com 600 vagas abertas pelo Brasil para os cargos de vendedor, auxiliar de vendas, auxiliar de caixa, auxiliar de estoque e fiscal.  2019-11-12 - Tags: reserva vaga trabalho fim de ano vendedor auxiliar de vendas auxiliar de caixa estoque fiscal

Varejo de moda vê com otimismo a abertura de mercado
O varejo de moda nacional representado pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), que reúne mais de 100 grandes marcas com atuação em todo País, vê com bons olhos o plano do governo de promover a abertura de mercado e a redução das alíquotas de imposto de importação para vestuário e calçados - de 35% para 12% e de 35% para 15%, respectivamente, até 2022.  2019-11-08 - Tags: abvtex edmundo lima 2022 varejo aumento vestuario calçados

Vagas temporárias podem crescer 7% até o fim do ano
Com a chegada do fim do ano, a busca por vagas temporárias pode ser uma ótima oportunidade para quem busca uma renda extra, recolocação no mercado de trabalho ou a chance de arrumar o primeiro emprego. A FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo) aponta que o setor de vestuário tende a contratar mais até o final do ano.  2019-11-01 - Tags: fcdlesp black friday natal fgts

Prefeitura divulga raio X da indústria da moda na cidade de São Paulo
A Prefeitura de São Paulo divulgou, em outubro, um estudo realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, que mostra que a indústria da moda no município teve um aumento de 4,9% na geração de empregos de 2012 a 2017.  2019-10-31 - Tags: prefeitura raio x moda aumento empregos mei spfw paulo borges aline cardoso