Language
home » moda & varejo » moda vestuário » mercado

Mercado

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Estudo do IEMI analisa perfil de compra de 1.575 consumidores de vestuário

Que os consumidores colocaram o pé no freio nas compras de artigos de vestuário nos últimos dois anos todos sabem. Mas qual o real impacto da crise e sua influência na decisão de compra? Para entender este cenário em profundidade, o IEMI Inteligência de Mercado lançou o Estudo de Comportamento de Compra do Consumidor de Vestuário envolvendo 1.575 entrevistados de todas as faixas etárias, poder de compra e região. As compras analisadas ocorreram nos últimos meses de 2016 ou no início de 2017.

Especializado em estudos nos setores de vestuário; têxteis; calçados; cama, mesa e banho; móveis e colchões, o IEMI atualizou os dados da pesquisa sobre Comportamento de Compra de Vestuário realizada em 2014, período pré-crise. Lançado em Abril, o estudo busca entender as mudanças no comportamento de compra durante a crise e estabelecer diretrizes para o futuro. ”A forte recessão que se abateu sobre a economia brasileira afetou de maneira significativa o consumo de moda, resultando no encolhimento das vendas de roupas no varejo interno em 11%”, informa Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Neste período, o País saiu de um volume anual da ordem de 6,5 bilhões de peças, em 2014, para pouco menos de 5,8 bilhões no acumulado de 2016 (os dados não consideram roupas profissionais, promocionais e uniformes escolares).

Prado acredita que os resultados deste trabalho de imersão no setor de vestuário contribui para que os produtores de roupas, gestores de marcas e varejistas possam adequar suas estratégias para a retomada do crescimento, prevista para acontecer já a partir do segundo semestre deste ano. “A comparação com os resultados de estudo similar que realizamos em 2014, no período pré-crise, ajuda a criar referenciais para as estretégias a serem adotadas este ano.”

Ticket médio tem crescimento, mas volume de peças diminui

Obviamente, durante a crise, há menos consumidores dispostos a comprar. “Mas dentre os que compraram vestuário recentemente, observamos que a quantidade de peças adquiridas por compra caiu de 3,3 para 3,0 peças, uma redução de quase 10%. Em contrapartida, a frequência de compra dos consumidores aumentou levemente, em torno de 8%, quase que compensando a queda no número de itens comprados”, revela Prado.

O valor gasto por compra (ticket médio), por sua vez, foi elevado em mais de 25%, passando de uma média de R$ 237,00 para R$ 299,00 por compra. Em que pese a inflação do período, o que realmente puxou este gasto para cima foi o aumento no contingente de consumidores de renda mais elevada (poder de compra A e B), enquanto diminuíram os consumidores de menor renda, justamente os mais afetados pelos efeitos da recessão.

 Ofertas de preço, o fator mais atrativo

O bom atendimento vinha sendo, até 2014, o fator mais importante na atração de consumidores para as lojas de moda, destacado por quase 50% dos consumidores. Em 2017, porém, este fator perdeu relevância, tendo sido superado pela “oferta de preços baixos”, como o principal fator de escolha da loja, mencionado por 34% dos consumidores entrevistados na pesquisa mais recente. E ainda: com o endividamento das famílias, as compras com pagamento à vista subiram de pouco mais da metade, para quase 2/3 do total.

Há outros fatores de atratividade que cresceram muito nos últimos anos. Dentre eles destacam-se: maior exigência por “qualidade e design dos produtos”, “ter sempre novidades”, “ter localização conveniente” e “ter roupa para toda a família”, justamente os pontos de maior atenção das lojas de departamento, que vêm investindo fortemente na melhoria dos produtos, em coleções assinadas, no fast-fashion e um mix mais completo para todos os departamentos.

 O poder da marca

Mesmo com as dificuldades atuais do mercado, a importância das marcas na decisão de compra não foi reduzida nem um milímetro sequer, com 52% dos consumidores afirmando que a marca foi decisiva na escolha do produto adquirido, na última compra, mesmo índice observado no período pré-crise.

Dentre as razões alegadas para a escolha da marca destacam-se a identificação do consumidor com a “imagem e o estilo das roupas” que a marca oferece, o poder que essa marca tem de me despertar “desejo e satisfação” ao comprar seus produtos e o “conforto ao vestir”, que ela me dá.

“É chegado o momento de repensarmos as nossas estratégias para colocarmos as nossas marcas à frente na retomada do consumo, mesmo porque ela será lenta e não será para todos”, alerta Marcelo Prado.

Comprar para si mesmo X comprar para outros

Se o consumidor costumava comprar roupas para se sentir bonito ou se presentear, a necessidade de vestir algum parente parece motivar a maior parte das pessoas. A parcela das compras destinadas ao uso próprio diminuiu e aumentou a participação das compras voltadas a vestir algum ente da família, cuja motivação predominante está associada à substituição de uma peça de roupa antiga, velha ou desgastada, por exemplo.

Da mesma forma, a compra de roupas motivada por alguma ocasião especial, como ir a uma festa ou uma viagem, reduziu-se de 20% para 16% das razões alegadas para a compra.

 “Básicos” cedem espaço para itens diferenciados

O consumidor precisa se sentir atraido para a compra. Por essa razão, os produtos básicos deram lugar aos produtos inovadores e diferenciados. “Dentre os artigos escolhidos pelos consumidores em sua última compra observou-se um aumento na procura por produtos com apelo mais jovem, despojado, diferente, sexy ou romântico; enquanto que os produtos básicos, clássicos, sérios e tradicionais perderam atratividade e ficaram mofando nas prateleiras”, analisa o diretor do IEMI. Segundo ele, este dado reforça a tese de que “na crise, o que vende é o novo”, ou inovador, que encante o consumidor e o estimule a consumir,  mesmo ele estando preocupado com o “bolso.”

O produto, ainda de acordo com os dados da pesquisa, deve “ter um preço acessível” – não necessariamente barato - que caiba no orçamento do consumidor. Além disso, aumentou o interesse nos produtos que possam “durar mais estações” ou que “estejam na mídia e sendo usados pelos amigos”.

E-commerce ainda é tímido

Outro ponto importante retratado nesta pesquisa se refere ao crescimento no número de consumidores que incorporaram a internet como um de seus canais de compra de roupas. Se em 2014 os consumidores de vestuário que faziam compras pela internet eram menos de 10%, em 2017 são 14%. Mas em relação às roupas, o e-commerce é incipiente frente a outros produtos. Em 2017, o valor das vendas de roupas pelo e-commerce, no Brasil, ainda está na casa de 1,4% do consumo total, ou o equivalente a R$ 2,5 bilhões por ano (estimativas 2016). “Esta participação é baixa em relação à média dos países mais desenvolvidos, nos quais gira em torno de 3,5% das vendas a varejo. Este canal ainda tem muito a crescer no Brasil”, avalia o economista.

Lojas de departamento, as preferidas

Outro canal de venda que ganhou relevância no consumo de moda, no Brasil, foram as lojas de departamento, preferidas por 34% dos consumidores, em sua última compra, contra 24% observado em 2014. “O crescimento deste canal ocorreu em detrimento das lojas multimarcas tradicionais e das redes monomarcas, que junto com as butiques praticam os preços médios mais elevados do mercado”, afirma Prado.

Conveniência e segurança

Embora fosse esperado que, com a recessão, os consumidores abrissem mão dos shopping centers, onde os preços dos produtos de moda tendem a ser mais elevados do que nas lojas de rua, eles continuam a priorizar a conveniência e a segurança destes centros de compra. De meados de 2014 a meados de 2016, o número de shopping centers no País cresceu de 495 para 549, onde foram abertas nada menos que 7 mil novas lojas, que comercializam artigos de moda.

Ainda assim, nas cidades onde estes centros comerciais não existem, ou ainda são raros, as lojas do centro da cidade (de rua ou em galerias), mais baratas e com boa dose de conveniência, aumentaram em quase 40% a atração de consumidores com menor renda.

www.iemi.com.br

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Fonte:ADS Comunicação Corporativa
Fotos: Divulgação

Data de publicação: 11/09/2017

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


FIT 0/16 ocorre em momento de alta no varejo e indústria de moda infantil
Maior evento com os lançamentos e tendências do setor de moda infantil da América Latina, a “FIT 0/16” será realizada entre os dias 7 e 10 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo. A feira ocorre em momento favorável para o setor, já que estimativas preliminares do IEMI Inteligência de Mercado - especializado em estudos de mercado de vestuário - apontam que o vestuário infantil e bebê deve movimentar mais de R$ 53 bilhões no varejo em 2018, receita 7,9% maior em relação ao ano passado.  2018-06-05 - Tags: iemi fit 016 moda infantil mercado industria vestuario

Herchcovitch é o novo head de estilo da Olympikus e do grupo Vulcabras Azaleia
A maior marca esportiva nacional se une ao maior estilista brasileiro em atividade. Alexandre Herchcovitch está trabalhando na Vulcabras Azaleia como head de estilo, cargo criado especialmente para sua função. Sua ação tem, inicialmente, foco na Olympikus.  2018-05-30 - Tags: olympikus vulcabras azaleia alexandre herchcovitch kantar worldpanel a la garçonne

FGV lança Índice que aponta que jovens são menos otimistas quanto à tecnologia
Estudo do professor André Miceli, coordenador do curso de MBA em Marketing Digital da Fundação Getulio Vargas (FGV), indica o impacto da tecnologia na vida do brasileiro. O Índice de Confiança Digital (ICD) mede a confiança de consumidores em diversos segmentos, como mudanças políticas, sociais, econômicas, ambientais ou mesmo tecnológicas.  2018-05-21 - Tags: marketing digital fundacao getulio vargas indice de confiança digital andre miceli icd

Nova loja da Marisol no Paraná
A Marisol S.A inaugura mais uma franquia da marca Marisol. Desta vez, na cidade de Guarapuava, no Shopping Cidades dos Lagos. Essa é a terceira unidade da rede no Paraná, que já conta com lojas em Curitiba e Maringá.  2018-05-17 - Tags: marisol shopping cidades dos lagos guarapuava franquias loja franqueada

Fecomércio MG mostra raio X econômico do Sul de Minas
Segunda maior população do Estado de Minais Gerais, reunindo 12% do Produto Interno Bruto (PIB) mineiro, o Sul de Minas é o terceiro território contemplado na série de pesquisas que traça o perfil econômico das empresas do setor varejista das dez regiões de planejamento estaduais, realizada pelo Departamento de Estudos Econômicos da Fecomércio MG.  2018-05-10 - Tags: produto interno bruto fecomercio mg varejo minas gerais tecnologia

Parceria entre Senai Cetiqt e ABVTEX visa atendimento à confecção
A ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), entidade que representa as principais redes de varejo de moda do País, firmou parceria com Senai Cetiqt - Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil, do Rio de Janeiro, em prol do desenvolvimento da indústria de confecção nacional.  2018-05-04 - Tags: programa abvtex abvtex senai cetiqt tecnologia inovacao

Varejo de moda brasileiro alinhado aos princípios globais para a moda sustentável
O fórum sustentável Global Fashion Agenda (GFA) acaba de divulgar a primeira edição histórica de um relatório com medidas que devem estar nos planos de curto e longo prazo das empresas envolvidas com moda sobre os investimentos em sustentabilidade.  2018-04-20 - Tags: global fashion agenda gfa copenhaguen fashion summit ceo agenda 2018 abvtex edmundo lima sustentabilidade

Brasil terá transporte de carga de altíssima velocidade
A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o Ministério da Industria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) e a empresa Hyperloop estabeleceram uma parceria para o desenvolvimento de um centro de pesquisa. O Centro Global de Inovação em Logística vai funcionar na cidade de Contagem (MG) e tem como objetivo desenvolver um sistema de transporte de carga de altíssima velocidade, capaz de atingir 1,2 mil quilômetros por hora.  2018-04-09 - Tags: abdi htt agencia brasileira de desenvolvimento industrial hyperloop transportation technologies guto ferreira bibop gresta

Varejo de vestuário deve crescer 6,1% em volume em 2018
Após dois anos de dificuldades (2015 e 2016), onde o varejo de vestuário no Brasil acumulou uma queda de 11% no volume de peças comercializadas, 2017 registrou uma importante recuperação das vendas para o setor. Estimativas preliminares do IEMI Inteligência de Mercado, especializado em estudos de mercado, varejo e comportamento de compra dos setores de têxteis.  2018-04-06 - Tags: varejo de vestuario iemi inteligência de mercado estudos de mercado varejo e comportamento de compra dos setores de texteis

Parceria entre ABVTEX e Senai Cetiqt beneficia cadeia produtiva da moda
A ABVTEX acaba de firmar parceria com o Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil - SENAI CETIQT, um dos maiores centros latino-americanos de produção de conhecimento aplicado à cadeia produtiva, em prol do desenvolvimento da indústria de confecção nacional.  2018-04-05 - Tags: abvtex programa abvtex senai cetiqt confeccao nacional cadeia produtiva da moda

Renner é eleita a Loja Mais Querida do E-commerce na categoria moda e acessórios
A Renner, maior varejista de moda do Brasil, foi eleita a Loja Mais Querida do E-commerce do país em 2017 na categoria moda e acessórios, no prêmio organizado pela Ebit. O resultado foi divulgado em uma cerimônia realizada na última quinta-feira, dia 8, na cidade de São Paulo.  2018-03-13 - Tags: renner ebit ecommerce premio ebit varejo

ABVTEX lança Relatório 2017 com ações realizadas para cadeia de moda
A Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) acaba de lançar aos varejistas associados, o Relatório 2017. Disponível somente em formato eletrônico, o documento traz, além da prestação de contas das ações da entidade durante o ano, informações sobre as principais temáticas do setor de varejo de moda e seu papel como promotor de diálogo junto aos diversos stakeholders, (influenciadores) que atuam na cadeia da moda.  2018-03-08 - Tags: abvtex associacao brasileira do varejo textil relatorio 2017 varejo centauro c&a marisa renner riachuelo netshoes

Ecotag cresce 150% em número de lacres de autenticidade entregues em 2017
Combater a falsificação e garantir a segurança na troca de mercadorias são apenas duas das funções dos lacres de autenticidade. As peças, que pode ser genéricas ou ter a aplicação da marca, trazem credibilidade para empresas e consumidores. E é com a produção nacional delas que a Ecotag, indústria que fica em Blumenau (SC), registrou em 2017 um crescimento de 150% na produção e ultrapassou o índice de mil clientes ativos.  2018-02-20 - Tags: ecotag endeavor fcnp lacres de autenticidade lacres de seguranca

Instituto C&A abre edital de transparência para iniciativas da Indústria da Moda
A indústria da moda está cada vez mais atenta às condições de trabalho em que as peças são confeccionadas. Em resposta às demandas por maior transparência, um número crescente de marcas e grupos industriais começou a divulgar publicamente informações como nomes e locais das oficinas de costura com as quais trabalham, condições de trabalho, informações de segurança e muito mais.  2018-02-19 - Tags: giuliana ortega instituto c&a industria da moda transparencia moda brasil

A gigante CHIC Shanghai
A CHIC Shanghai International Fashion Fair acontecerá de 14 a 16 de março de 2018, com mais de 1.200 expositores distribuídos em mais de 100 mil metros quadrados no maior centro de exposições do mundo, o National Exhibition & Convention Center, em Xangai.  2018-02-15 - Tags: chic shanghai national exhibition convention center mckinsey

Compra de vestuário de moda pela internet avança no Brasil
Em 2017, o e-commerce cresceu 12% em relação ao ano anterior e obteve um faturamento de R$ 59,9 bi, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Dentro desse cenário, o setor de moda e acessórios é hoje um dos mais fortes no e-commerce nacional.  2018-02-09

Moda inclusiva vai completar 10 anos de conquistas e desafios
O primeiro desfile aconteceu em 2009, no Memorial da América Latina, na capital paulista, para estudantes e profissionais do setor de moda. Em dezembro de 2017, foi realizado o 9º Concurso de Moda Inclusiva e lançada a cartilha ilustrativa sobre o tema, coordenada pela médica fisiatra da Faculdade de Medicina da USP, Linamara Rizzo Battistella.  2018-02-02 - Tags: moda inclusiva adriana barra mario queiroz juliana jabour isaac silva kathia castilho moda inclusiva da secretaria de estado dos direitos da pessoa com deficiencia

ONG especializada em reciclagem têxtil realiza trabalho social
No Brasil só 2 % dos resíduos e insumos gerados na indústria de confecção são reciclados, enquanto o restante é lançado em aterros sanitários ou queimados em canaviais, afetando o meio ambiente. A ONG Shekinah 3F tem como objetivo atuar nas áreas de treinamento, consultoria e reciclagem de materiais, especialmente os de menor interesse comercial como tecidos, fios têxteis; coco verde, madeiras, isopor, resíduos da construção civil, eletrônicos entre outros materiais.  2018-02-02 - Tags: ong shekinah 3f ong joao sacco shekinah 3f sustentabilidade reciclagem textil

Em 2018, crescimento permanecerá liderado pelo consumo, diz FGV
As principais redes de varejo de moda do País associadas à ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) já notam a melhora no ânimo dos consumidores. “O cenário é mais favorável, a partir do momento em que há maior disponibilidade de crédito; a inflação abaixo do esperado, com aumento no poder de compra do consumidor; e a leve redução do desemprego.  2018-01-30 - Tags: fgv abvtex edmundo lima pib robson gonçalves consumo mercado varejo

LYCRA® recebe prêmio na Colombiatex
Em 60 anos de história o fio LYCRA® revolucionou o mercado da moda mundial, trazendo inovação, tecnologia e conforto necessários para as peças de roupa. Reconhecendo a importância do trabalho desenvolvido, a Inexmoda premiou a marca LYCRA® durante a abertura da Colombiatex 2018, maior feira do setor têxtil da América Latina, realizada em Medelín, na Colômbia até a próxima quinta-feira.  2018-01-29 - Tags: lycra invista max wiesendanger inexmoda colombiatex 2018 premio colombia