Language
home » têxtil » mercado » empresas e personalidades

Empresas e Personalidades

Tamanho do texto  A A A
Compartilhar

Uma nova imagem do Brasil para o exterior

A Textília entrevistou, com exclusividade, o diplomata Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos, atual presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos  (Apex-Brasil), que, frente ao desafio de um mercado em retração, tem como objetivo dar um salto na promoção comercial e na atração de investimentos estrangeiros para o Brasil, inclusive na área têxtil, de confecção e de acessórios de moda em geral.

Uma das primeiras iniciativas da nova gestão foi o lançamento da campanha “Be Brasil” (Seja Brasil), que visa construir uma imagem positiva do País no exterior. Nascido em 1952 no Rio de Janeiro, Jaguaribe está na carreira diplomática desde 1978. Filho do cientista político e escritor brasileiro Hélio Jaguaribe Gomes de Mattos, é também engenheiro de sistemas graduado pela PUC-RJ. O diplomata explica que, na nova admi- nistração, a Apex-Brasil passou a se reportar ao Ministério das Relações Exteriores, e não mais ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Segundo ele, para o setor têxtil, a atuação continuará focada no programa de fomento das exportações, com atenção à participação em feiras internacionais e projetos que atraiam compradores internacionais. Confira a entrevista:

Textília: Como foi o caminho de trabalho e evolução até chegar à presidência da Apex-Brasil?

Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos: Sou graduado em engenharia de sistemas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Ingressei na carreira diplomática em 1978 e, ao longo dos últimos anos, acumulei experiências em vários órgãos do governo. No exterior, servi mais recentemente como embaixador do Brasil na China, e pouco antes, no Reino Unido. Também fui ministro-conselheiro da Embaixada do Brasil em Washington. Em outros órgãos do governo, já exerci os cargos de presidente do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), secretário de Tecnologia Industrial do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e secretário de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento e Orçamento.

Textilia: Quais são suas metas e objetivos nesse novo momento à frente da Apex-Brasil?

Jaguaribe: Como funcionário público, sempre tive como missão trabalhar pelo Brasil. Esse valor é muito forte na Apex-Brasil também. A equipe da agência é altamente qualificada, e meu objetivo é que consigamos dar um salto na promoção comercial e na atração de investimentos estrangeiros para o País.

Textília: Quais são os principais desafios enfrentados pela sua gestão para o desenvolvimento da Apex-Brasil?

Jaguaribe: No novo governo, a Apex-Brasil passou a se reportar ao Ministério das Relações Exteriores, e não mais ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Essa mudança trouxe um grande ganho para a inserção do Brasil no mercado internacional, tanto em relação às exportações quanto à atração de investimentos estrangeiros. A agência e o MRE trabalhavam de forma paralela, e as iniciativas, em alguns casos, se sobrepunham. Quando passamos a atuar juntos, ganhamos muito mais força. A integração com a rede de postos das embaixadas nos traz mais capilaridade e aumenta exponencialmente a capacidade de encontrar oportunidades de novos negócios para as empresas brasileiras. Por outro lado, a Apex-Brasil, com seu trabalho de inteligência e com as informações obtidas junto aos setores apoiados, tem como municiar os negociadores do ministério que estão buscando mais acordos comerciais para o Brasil. Ao mesmo tempo, a agência auxiliará as empresas a aproveitarem as oportunidades abertas com os acordos, por meio de suas ações de promoção comercial. Toda essa mudança envolve desafios de transição e adaptação, que já estão sendo tratados pelas equipes dos dois órgãos.

Textília Que setores serão priorizados?

 Jaguaribe: A Apex-Brasil apoia, atualmente, 80 setores da economia brasileira, que incluem indústria, serviços e agronegócio. Nas nossas iniciativas, além da promoção comercial e da inteligência comercial, temos trabalhado cada vez mais para a qualificação das empresas, por meio de iniciativas que as estimulam a ganhar competitividade através da sustentabilidade, da inovação e do design. O objetivo é termos setores cada vez mais competitivos, que se inserirão de maneira mais efetiva no mercado internacional.

Textília: Que ações serão implementadas e como será feita a mensuração de resultados?

Jaguaribe: Nos próximos anos, vamos dar destaque ao trabalho de inteligência e monitoramento de mercado da Apex-Brasil. A China será um país que receberá maior atenção da agência nesse sentido, pois precisamos entender melhor o mercado para aproveitar, de forma mais estruturada, as enormes oportunidades que há ali, e o apetite que o país tem pelo Brasil, tanto do ponto de vista de exportação de produtos e serviços quanto da atração de investimentos diretos. Também temos como objetivo atuar na promoção da imagem do Brasil no exterior, no âmbito dos negócios. Nesse sentido, o MRE e a Apex-Brasil lançaram, durante os Jogos Olímpicos, a campanha “Be Brasil”, uma nova narrativa sobre o Brasil no exterior, que buscará construir uma imagem positiva do País ao destacar atributos presentes nos produtos e serviços nacionais, como sustentabilidade, qualidade, inovação e criatividade. Para isso, vamos utilizar como suporte a divulgação de histórias de sucesso e oportunidades de negócios, fazendo uso de ferramentas de comunicação integrada, como relações públicas, publicidade, eventos e ações em mídias sociais. Serão divulgados,por exemplo, a sustentabilidade e a tecnologia presentes no agronegócio e a criatividade e inovação de setores como moda, audiovisual, design, entre tantos outros.

Textília: E especificamente para o setor têxtil?

Jaguaribe: Dentro do programa de fomento às exportações do setor têxtil, atuamos em diversas frentes, aliando eventos de geração imediata de negócios internacionais (como feiras internacionais e projetos compradores) com investimentos em agendas de articulação internacional (essenciais para a busca por mais acordos comerciais relevantes), inteligência comercial e eventos de posicionamento e imagem, tão relevantes para abrir mercados nesse setor. Quanto à mensuração de resultados, devemos manter a sistemática atual, que mede a quantidade de empresas atendidas, quantidade de empresas exportadoras, valores totais exportados, quantidade de destinos das exportações e sua representatividade no total exportado do setor, entre outros pontos. 

Textília: Qual a importância do setor têxtil/confecção para o comércio internacional brasileiro e que metas foram colocadas para ele?

Jaguaribe: Hoje, a exportação do setor têxtil e de confecção do Brasil está concentrada em países da América do Sul, com destaque para Argentina, Paraguai, Uruguai e Colômbia, e para os Estados Unidos, enquanto temos uma participação ainda tímida dentro das cadeias globais de valor. O objetivo da Apex-Brasil, em parceria com a Abit [Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção], as empresas do setor e demais parceiros governamentais e privados, é fortalecer a competitividade do setor, de modo a reforçar e ampliar as exportações em mercados já tradicionais e, ao mesmo tempo, abrir novas oportunidades de inserção internacional em mercados ainda pouco explorados. O Brasil ainda é um dos poucos países que contam com uma cadeia têxtil e de confecção totalmente integrada, que corresponde a 5,7% do PIB da indústria de transformação e é capaz de produzir desde a matéria-prima (fibras naturais e químicas) até o produto final (vestuário e cama, mesa e banho). O setor têxtil e de confecção brasileiro, e as 33 mil empresas que ele reúne, é reconhecido no mercado internacional por seu profissionalismo, criatividade e tecnologia, e também pelas dimensões de seu parque fabril: é a sexta maior indústria têxtil e de confecção do mundo, o segundo maior produtor de denim e o terceiro de malhas. Autossuficiente em algodão, o País produz 5,5 bilhões de peças de vestuário ao ano. Em 2015, o faturamento foi de US$ 36,2 bilhões. Contudo, em escala mundial, a participação do Brasil no setor é ainda muito pequena: menos de 0,5% do total, ocupando a 38ª posição no ranking de exportadores. É como resposta a essa grande oportunidade de fortalecer a participação do Brasil no mercado internacional que a Apex-Brasil realiza, desde o ano 2000, o programa Texbrasil, em parceria com a Abit.

Textília: Como serão trabalhados os acordos comerciais internacionais? Que atividades devem ser realizadas em prol desse desenvolvimento?

Jaguaribe: No caso do setor têxtil, é fundamental buscarmos mais acordos comerciais internacionais com os principais mercados mundiais consumidores de têxtil e de confecção. Além disso, é preciso maior integração entre centros de pesquisa, empresas e governo; aumento de produtividade da indústria; investimentos no desenvolvimento de tecnologia e inovação e o compromisso com a sustentabilidade global. Exemplo de trabalho nesse sentido são os esforços para a melhora de condições concorrenciais, como o acordo com a Colômbia que deve entrar em vigor até o final de 2016, bem como as missões de benchmarking que visam estimular o desenvolvimento de tecnologias dentro das empresas  brasileiras.

Textília: O que podemos esperar para curto, médio e longo prazos em termos de investimentos e de ampliação da exportação?

Jaguaribe: Em relação à exportação, como falei, vamos reforçar a questão da inteligência e manter o foco em qualificação, de forma a agregar novas empresas no esforço exportador e, ao mesmo tempo, reforçar a competitividade das que já exportam por meio de atributos de sustentabilidade, inovação e design. Na questão de investimentos, queremos reforçar nossa atuação como porta de entrada do investidor estrangeiro. A Apex-Brasil funciona como “one stop shop”, já que, aqui, o investidor recebe o primeiro atendimento e é orientado e direcionado para os outros órgãos do governo federal ou estadual que podem auxiliá-lo na implementação de seu projeto.

Textília: Que temas devem ser prioritários nos próximos cinco anos em termos de incentivo à exportação?

Jaguaribe: O agronegócio é um tema prioritário para a Apex-Brasil e um dos focos da campa- nha “Be Brasil”. Vamos trabalhar fortemente a mensagem de tecnologia e sustentabilidade no agronegócio, pois somos um dos maiores produtores agrícolas do mundo e, de longe, o país com agricultura mais sustentável, com maior cobertura vegetal nativa preservada e maiores índices de produtividade, produzindo cada vez mais com menos recursos. Temos uma ação em construção junto ao setor privado, em parceria com Mapa, MRE e Camex, onde vamos trabalhar fortemente na defesa da imagem do agronegócio brasileiro em mercados estratégicos. O Brasil tem uma enorme sustentabilidade na sua produção agroindustrial, mas, no exterior, isso não é percebido. A imagem de devastador de áreas nativas é falsa e pretendemos questioná-la fortemente. Juntos, o governo e as principais entidades do agronegócio brasileiro vão desenvolver programas e ações específicas de ampliação do acesso aos mercados, defesa de interesses nacionais no exterior e comunicação, para posicionar o agronegócio brasileiro por meio da adequada comunicação de seus atributos. Pretendemos, assim, sensibilizar a opinião pública de forma que nossas ações voltadas à defesa dos interesses brasileiros contra barreiras comerciais sejam eficazes e resultem no aumento das exportações brasileiras de maior valor agregado.

Textília: Como o Brasil deve ser retratado no exterior?

Jaguaribe: Acabamos de lançar a campanha internacional “Be Brasil”, que busca promover os negócios brasileiros no exterior, a partir da apresentação de atributos em que o País já é forte, como sustentabilidade, inovação e criatividade. É assim que queremos ser vistos pelos nossos potenciais parceiros de negócios ao redor do mundo. A ideia é divulgar diferenciais ainda pouco conhecidos, como a sustentabilidade e a tecnologia presentes, por exemplo, no agro- negócio, a criatividade de setores como moda, audiovisual e tantos outros produtos e serviços brasileiros, além de evidências de que o País é competitivo globalmente em diversos segmentos.

O Portal Textília.net não autoriza a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo aqui publicado, sem prévia e expressa autorização. Infrações sujeitas a sanções.

Por: Gabriel Rajão
Foto: Divulgação

Data de publicação: 15/11/2016

Galeria de fotos desta matéria

Conteúdo relacionado


Loepfer mostra alta tecnologia em sensores na ITME Africa
A Loepfer estará presente no Pavilhão Suíço da ITME África, que acontecerá pela primeira vez na Etiópia, de 14 a 16 de fevereiro, na capital Adis-Abeba. A África tem apresentado crescimento nos últimos anos e a indústria têxtil tem sido um dos motores deste desenvolvimento, especialmente a Etiópia, não só pelo cultivo do algodão, mas também pelo investimento em toda a cadeia de valor têxtil.  2020-01-27 - Tags: loepfe brothers itme africa etiopia adis abeba yarn cleaner falcon-i

Mahlo colabora com universidades em Bangladesh da área têxtil
Trazendo especialistas em têxteis do futuro, a empresa alemã de engenharia mecânica Mahlo GmbH + Co. KG, realizou palestras na Universidade de Bangladesh de Têxteis (BUTEX) e na Universidade do Norte de Bangladesh, apresentando aos alunos os requisitos e soluções da moderna produção têxtil.  2020-01-24 - Tags: butex industria 4 0 msmart mahlo maquinas texteis

Fiação chinesa eleva produtividade com sistema de dados Uster®
Oferecer alta qualidade e produtividade aos seus clientes, por meio da análise e transparência de dados de classe mundial, é o resultado obtido pela empresa chinesa Esquel ao implantar o sistema Uster® Quality Expert na sua produção de fios.  2020-01-23 - Tags: uster quality expert li guanghai esquel produçao fios

Novos talentos para uma indústria tecnologicamente forte
Peter D. Dornier, presidente da Fundação Walter Reiners-Stiftung da VDMA (Associação dos Fabricantes de Máquinas Têxteis da Alemanha), entregou prêmios a seis jovens engenheiros em Dresden, durante cerimônia de premiação na Conferência Têxtil Internacional de Aachen-Dresden-Denkendorf.  2019-12-18 - Tags: itm peter d dornier vdma maquinas texteis ita aachen

Basf oferece formulação de produtos para lavagem de roupas
Detergente líquido ou em pó, amaciantes e outros produtos voltados à lavagem de roupas demandam equilíbrio entre o bom desempenho do produto e o cuidado em não causar riscos à saúde do consumidor.  2019-12-17 - Tags: basf lavergy fibras tecidos sokalan

Sinditec homenageia Santista Têxtil pelos seus 90 anos de fundação
O Sinditec, que representa as indústrias têxteis de Americana e Região, prestou homenagem à Santista Têxtil pelos seus 90 anos de fundação. O presidente da entidade, Dilézio Ciamarro, entregou a “Lançadeira de Prata” ao presidente da empresa, Gilberto Stocche, em reunião da diretoria, realizada no final do mês de novembro.  2019-12-17 - Tags: sinditec americana industrias texteis santista textil dilezio ciamarro gilberto stocche

Industriais catarinenses participam de evento com presidente da República
No dia 11 de dezembro, empresários catarinenses participaram da cerimônia de entrega do Grande Colar da Ordem do Mérito Industrial ao presidente Jair Bolsonaro, promovida em Brasília pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).  2019-12-16 - Tags: sintex fiesc cni fiaçao industria conservacao homenagem

Karsten é eleita a 11° melhor empresa para trabalhar em Santa Catarina
A Karsten, empresa têxtil de Blumenau que completou 137 anos de história, foi eleita a 11ª melhor empresa para trabalhar em Santa Catarina. O prêmio foi entregue na última quarta-feira (4), em Florianópolis, pelo Instituto Great Place to Work (GPTW), que desde a década de 1980 seleciona as empresas com melhores ambientes de trabalho nas categorias grande, médio e pequeno porte.  2019-12-10 - Tags: karsten gptw empresa santa catarina trabalhar

Abit entrega Medalha do Mérito 2019 em confraternização anual do setor
Como faz todos os anos, a Abit – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção realizou a solenidade de entrega da Medalha do Mérito, que antecedeu o coquetel de confraternização de fim de ano da entidade, reunindo empresários, executivos, profissionais de moda e imprensa em sua sede na capital paulista.  2019-12-06 - Tags: abit 2019 confraternizacao premio sinditextil grupo lunelli grupo malwee camisas polo salvador steinbruch vicunha

Santista tem novo gerente comercial para jeanswear
Produção de denim e de jeans, segmento têxtil que mais cresceu no Brasil nos últimos anos, continua sendo alavancada pela indústria nacional.  2019-12-05 - Tags: denim jeans brasil oto rafael arantes junior santista minas gerais sao paulo

Tatiana Burgos: a piloto da Black Jeans
Com loja de atacado no bairro do Brás, em São Paulo, marca renova mix de produtos a cada temporada para atender mercado de moda.  2019-12-05 - Tags: entrevista tatiana burgos denim black jeans bras

Novo Instituto de Inovação em Biossintéticos
Desde o dia 8 de novembro, o Instituto de Inovação em Biossintéticos e Fibras (ISI) do Senai-Cetiqt está funcionando no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão.  2019-12-05 - Tags: biossinteticos fibras senai cetiqt parque tecnologico ufrj engenharia

Roadshow tecnológico mostra novidades da ITMA
Evento exclusivo para clientes, realizado em Minas Gerais, foi promovido pelas empresas Stäubli, Rieter, Graf e Picanol e suas representantes locais.  2019-12-05 - Tags: itma barcelona milão staubli luciana neves evento rieter graf picanol

A digitalização têxtil é um processo irreversível
Redução de resíduos, reuso e reciclagem de materiais também trazem mudanças para o setor de máquinas têxteis.  2019-12-05 - Tags: alessandro zucchi itma 2020 barcelona entrevista

Scavone encomenda Linha Dilo 4.0 para fábrica de nãotecidos
A Fabril Scavone, uma das líderes na América do Sul na produção de nãotecidos, adquiriu uma unidade de agulhagem completa do grupo alemão Dilo para sua nova planta industrial em Itatiba, São Paulo.  2019-12-04 - Tags: fabril scavone naotecidos agulhagem dilo pes pp bico fibras

Trajetória da Rhodia no Brasil é marcada pela inovação e sustentabilidade
No ano em que comemorou 100 anos de Brasil, a Rhodia, empresa do Grupo Solvay, apresentou ao mercado têxtil novos fios sustentáveis, como Amni® Soul Cycle e Amni® Dynamic, reforçando seu compromisso com o País na produção de tecnologias e produtos que valorizam os recursos disponíveis e as fontes renováveis.  2019-12-03 - Tags: rhodia grupo solvay amni soul cycle amni dynamic daniela manique mercado textil industria sustentavel 100 anos

Sinditec elege nova diretoria e conselho consultivo para 2020/22
O empresário Leonardo José de Sant´Ana, da Guainumby Têxtil, especializada em fios tintos de poliéster texturizado e fios fiados para linhas de costura, foi eleito novo presidente do Sinditec - Sindicato das Indústrias de Tecelagens de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré.  2019-12-03 - Tags: guainumby textil fios tinturaria poliester texturizado fios fiados linhas sinditec jose de santana

Brother oferece soluções competitivas para a indústria da moda
Com uma longa trajetória de 42 anos no Brasil, a Brother está cada vez mais presente nos negócios da indústria de transformação e moda. A empresa apresenta tecnologia de ponta e ótimo custo-benefício, em diversos segmentos de atuação como impressão P/B ou colorida em diferentes formatos e estilos; comunicação visual; identificação e rotulação de produtos; máquinas de corte, costura e bordado.  2019-11-12 - Tags: impressoras brother wireless eva tecnologia scanncut

Saurer mostra Autoairo pela primeira vez ao mercado asiático
A Saurer, com sede na Suíça desde 1863, e hoje líder global em tecnologia e componentes para processamento de fios contínuos, exibiu pela primeira vez ao mercado asiático, o Autoairo, máquina de fiação a ar, lançada este ano na ITMA de Barcelona.  2019-11-05 - Tags: saurer suica autoairo synchropiecing fiacao flexibilidade

Picanol apresenta novidades para tecidos técnicos na Techtextil India
A Picanol, um dos maiores fabricantes mundiais de máquinas de tecer, com matriz na Bélgica, estará presente com estande informativo no Setor Tecelagem - Hall B25, da 7º Techtextil India, que acontece 20 a 22 de novembro, no Bombay Exhibition Center, Mumbai.  2019-11-01 - Tags: picanol bombay exhibition center mumbai agrotech sporttech techtextil itma